5.17.2011

respostas a perguntas inexistentes (150)

as aberturas fáceis

Foi com o Amor que passei a desconfiar das embalagens de abertura fácil. Há uns dias dei por mim a olhar para o cesto do supermercado e obriguei-me a trocar quase todos os produtos que lá estavam, antes de os pagar, por outros similares mas que não prometiam ser facilmente abertos. Cervejas, vinhos, sumos, sardinhas em lata, atum, tomate pelado e natas. Troquei tudo, e até admito que teria comprado uma embalagem que tivesse um aviso a dizer "atenção que isto é difícil de abrir". Procurei e não vi nenhuma.

Quem nos promete uma abertura fácil não está, de facto, a fazer outra coisa se não a enganar-nos. As aberturas fáceis são a prostituição das embalagens. São uma forma de, por um instante, deixarmos de ligar ao produto para nos concentrarmos apenas naquilo que não interessa: a abertura. 
O acto da abertura do que se come é essencial no processo. Tirar uma rolha a uma garrafa de vinho e ouvir o som "pop" quando ela finalmente sai, dá outro sabor ao néctar de Baco. Além disso, enquanto se controla esse acto de Amor entre um saca-rolhas e uma garrafa, há sempre tempo para uma troca de palavras com aqueles que nos rodeiam e anseiam entrar nessa orgia do álcool. Agora vendem-se em alguns supermercados garrafas de vinho com carica de rosca. Eu não as quero, que a abertura difícil é a oportunidade de o Amor se dar. É nela que olhamos uns para os outros e lhes tentamos adivinhar o pensamento. Pode ser a abrir uma garrafa de vinho, mas também pode ser numa cerveja ou numa lata de sardinhas. O que interessa é que seja difícil.
Em nome do Amor recusemos o facilitismo.

16 comentários:

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Concordo plemanente com o que escreveste. Beijos

bagaco amarelo disse...

pipoca dos saltos altos, beijos. :)

Anónimo disse...

Fizeste-me lembrar de uns ferrinhos que havia antigamente para abrir as latas de sardinhas ou de atum, normalmente as pessoas nunca sabiam onde estavam porque se perdiam pelas gavetas dos talheres.
CR

Helena disse...

" A oportunidade do Amor se dar" Lindo! :)

Pusinko disse...

GRande texto este.
Para variar... mas este, gostei ainda mais :)
Beijinhos

bagaco amarelo disse...

cr, lembro-me bem disso... e sou um nostálgico desses ferrinhos. :)

helena, obrigado. :)

pusinko, obrigado. :)

Li disse...

Tudo o que seja fácil perde a piada. A dificuldade em atingir o amor transforma a luta em orgulho quando atingimos o nosso objectivo. Beijinhos

bagaco amarelo disse...

li, :)

Briseis disse...

E viva as rolhas de cortiça! as dos sobreiros do alentejo! As que vêm com uma cápsula em aluminio por cima, que tem que se cortar com a serrinha do saca-rolhas, antes de podermos ver a rolha...
Hoje, no trabalho, um australiano veio defender as cápsulas de enroscar nos vinhos. Se já soubesse deste post, tinha-o posto a ler-te, Bagaço! =)
...AH! e adorei ver-te na tv! =P

bagaco amarelo disse...

briseis, os australianos não percebem nada de vinho. nem vale a pena tentar convencê-los. :)

Soraya Azevinho disse...

brindemos :)

bagaco amarelo disse...

soraya azevinho, touché. :)

Cristina disse...

Lindo!
Nunca tinha pensado nas coisas dessa forma, mas de repente até senti vontade de deitar fora metade da minha despensa, ehehhehehe.

Ah e claro.... ' admito que teria comprado uma embalagem que tivesse um aviso a dizer "atenção que isto é difícil de abrir". Procurei e não vi nenhuma. ' --> nem imaginas como isto me fez rir, ja começo o dia com um sorriso :)

bagaco amarelo disse...

cristina, ainda bem. :)

Fatyly disse...

Mas teria alguma piada se fosse tudo facilitado? Abençoados produtos que poupam imenso trabalho...o mesmo não direi na atitude facilitista de pais e educadores...e digo que "em nome do Amor racusei sempre o facilistismo"!

bagaco amarelo disse...

fatyly, exacto. :)