5.06.2011

pensamentos catatónicos (244)

máquina de beijos

Acho que tive a sorte de desejar um beijo de algumas mulheres que nunca me quiseram beijar. Os beijos conseguidos têm sabor mas os outros, os que não chegam a acontecer, também têm. Das mulheres que nunca beijei mas quis beijar, recordo com nostalgia o sabor a maçãs vermelhas dos lábios carnudos da Patrícia, o aroma a mar dos lábios delicados da Cláudia ou a textura de almofada dos lábios da Madalena.
Recordo o sabor de beijos que nunca tive porque me apaixonei por essas mulheres, e não há nenhuma mulher por quem se sinta paixão que não tenha um sabor na nossa imaginação. Aliás, o beijo é a maior prova de Amor entre duas pessoas, porque só ele permite comprovar esse mundo de paladares.
Li por estes dias, nas páginas dum jornal qualquer, que o laboratório duma universidade japonesa inventou uma máquina de beijar à distância, ou seja, através da internet. Pelo que percebi, a coisa passa por meter os lábios numa palhinha que se mexe da mesma forma que outra palhinha ligada a um computador distante.
Imagino que quem inventa uma máquina destas é uma pessoa só. Não por estar sozinho nem por nunca ter beijado ninguém, mas sim porque nem sequer conseguiu ter lembranças de beijos que nunca aconteceram. Só quem não tem imaginação para o Amor pode ter imaginação para uma máquina de beijos. Mas não sabe o que isso é: beijar.

14 comentários:

Frederico disse...

Por vezes interessa mais a acção em si do que o resultado. Nada substitui o calor humano, mas não tendo então que fique a acção. O poder fazer mesmo com a certeza que não é a mesma coisa.

bagaco amarelo disse...

frederico, a mim não me interessa nadinha beijar à distância desta maneira. :)

Anónimo disse...

o beijo é uma forma de diálogo, diz muito acerca da pessoa, qualquer dia criam máquinas de engate.

bagaco amarelo disse...

anónimo, isso é o msn e o hi5, uma máquina de engate. :)

Helena disse...

Beijar é das melhores coisas do Mundo!...mas pessoalmente, nada de máquinas ;)

Fatyly disse...

Olha que concordo em absoluto contigo, mas há lá alguma coisa que substitua um beijo até aquele que só ocorre quando damos asas à imaginação?
Se o Richard Gere soubesse...ai, ai:):):)

Já agora...cuidado porque se enfiam a palhinha num local errado...calma...do pc loll oh pá...não digo mais nada:)

Há mil formas de beijar e os que mais detesto são os do socialmente correcto, prefiro um olá geral e bastante sorridente. No Amor, pois é tal e qual e de repente comecei a cantarolar

Já sei namorar
já sei beijar de língua
agora só me resta sonhar
já sei onde ir
já sei onde ficar
agora só me falta sair
(Tribalistas)

Agora irmão mi chama de "xofró" que os angolana perdoa sim?

ADOREI e desculpa a brincadeira, mas hoje tou assim:):):)

bagaco amarelo disse...

helena, só se a Mayra fosse uma máquina. :)

fatyly, e estás muito bem. :)

Li disse...

Ainda hoje penso no beijo que não dei e ainda sabe bem imagina-lo! Beijar é o melhor do mundo...
Este post abriu-me o apetite para falar desse beijo no meu blog. :)

bagaco amarelo disse...

li, :)

memyselfandi disse...

Também não sou a favor das máquinas =/ infinitamente a favor "da" pessoa... rsrsrs

redonda disse...

Essa máquina parece algo mesmo estranho :)

bagaco amarelo disse...

memyselfandi, neste caso, pelo menos. :)

redonda, muito. :)

sophie disse...

Hum parece-me que não resultava comigo...

Prefiro "sonhar" com o sabor dos beijos do meu amor e com a saudade, que beijar uma máquina...

E é exactamente o que vou fazer agora... Que amanhã já "mato" as saudades... Sem máquinas e outras tecnologias... Mas com lábios e língua... :)

p.s. Não tenho conseguido passar por cá, e já tinha saudades, mas continua muito bom... Como sempre!!! :)

bagaco amarelo disse...

sophie, eu estou contigo. :)