12.06.2010

como agarrei uma divorciada - the final cut

Estava à procura de um disco específico para ouvir o primeiro minuto de cada música, "Welcome to Mali" do duo Amadou et Mariam. Tinha combinado com a Raquel às oito na Fnac e chegado mais cedo propositadamente para pôr as minhas pré-escutas da secção de worldmusic em dia. Nessa altura já eu sabia que ela, que me tinha enviado uma fotografia por email durante o dia, era a minha paixão da adolescência.
Escusado será dizer que não consegui ouvir nada, apesar de acumular algumas dezenas de cds em ambas as mãos. Os sons fugiam-me da mesma forma que ela me fugira mais de vinte anos antes na minha adolescência, como se fosse uma música que nos embala uma única vez nas doces ondas hertzianas dum programa de rádio, para depois terminar num silêncio empedernido do qual nem o nome sabemos. Por trás dessas montanhas de cd's nasceu solarenga finalmente a face dela.
Rapidamente apreendi que uma tamanha coincidência cosmológica não nos pode acontecer duas vezes na vida, e que se passara todos os meus tempos de miúdo a engolir as palavras que me pediam sempre que as soltasse, não ia repetir a asneira. "Olá Raquel! És o meu amor do liceu. Sabias?"
Não, ela não sabia.

31 comentários:

Mara disse...

obrigado aos 2 por partilharem a vossa história :)

bagaco amarelo disse...

mara, a história não é nossa. na verdade é só mais uma história de amor, como outra qualquer, e por isso é de todos. :)

aloucura disse...

opá, lindo! lindo! lindo! nem queria acreditar, tive de ler para aí umas três vezes de seguida para confirmar ques estava a perceber bem.

"Espreitei e sorri-lhe. Antes de eu dizer qualquer coisa, ele anunciou: “estive apaixonado por ti!”. - Como? - Tu não andaste na Escola Comercial, em Aveiro? - Sim, andei... - És a Raquel, e eu gostava de ti... "

Posso perguntar o que sentiste/ pensaste qd viste a foto dela no mail?

bagaco amarelo disse...

aloucura, podes perguntar, claro. eu para te responder só te posso dizer que me levantei e fui lavar a cara à casa de banho, e que o meu colega do escritório me perguntou se eu me estava a sentir bem. :)

Janine Bettencourt disse...

Ainda bem que ela não sabia, podia lembrar-se de algum teu episódio embaraçoso :)

Conspirações...
... o Universo conspirou mesmo a teu favor :)
Ou melhor, a vosso favor!

bagaco amarelo disse...

Janine Bettencourt, se ficar vermelho como um pimento for embaraçoso, então todos os episódios em que eu me cruzei com ela são embaraçosos. :)

Simone Lopes disse...

Segui e adorei a história :o

bagaco amarelo disse...

simone lopes, :)

R. disse...

Só falta mesmo saber é se a Raquel estava mesmo interessadoa em sacar aquela pessoa que nem conhecia ou se foi um feliz acaso... ;)

Em todo o caso, é uma história lindíssima e transpira a vossa alegria e satisfação. Fico contetnte por vós. :)

R.

Fátima disse...

Que coisa mais linda!!! Parabéns aos dois pela maneira como descrevem o que vos aconteceu.Que sorte terem voltado a encontrar-se desta forma. :)))

mosKa disse...

Um último para a Raquel.

Passagem efémera mas que deixou saudades. Adorei a história.

Até sempre e muitas felicidades.

Fatyly disse...

Rapidamente apreendi que uma tamanha coincidência cosmológica não nos pode acontecer duas vezes na vida
.............
Como acredito no destino (não em poderes e blá, blá) porque se viemos ao mundo por algum motivo foi...e eis, numa bela narrativa...como a vida dá tanta volta nós que julgamos que não! Belíssimo!

Malena disse...

Seus "melados", pá!! :P
Tão lindinhos, os dois a recordar essa partida boa que a vida vos pregou!! Sejam feliiiiiiiiizes!! :))

AnAndrade disse...

É esta a faceta da blogosfera que eu adoro: aquela em que as gentes são mesmo gente (apesar de viverem estórias de filme hollywoodesco).
Obrigada e parabéns.

Paulo disse...

Esta vossa maravilhosa história faz-me lembrar algo que às vezes dizemos para nós próprios: quem diria que isto ía acontecer!

E, às vezes acontece mesmo! e não há palavras para o descrever. :)

Sejam felizes! :)

Giovana disse...

Agora, eu compreendo.
Vocês não são somente o povo que abrigou uma das mais fantásticas poesias do mundo. Vocês SÃO poesia.
A poesia está nos relacionamentos de vocês, na sensibilidade e na sutileza nas relações humanas, na amizade, no amor.

Vocês são a poesia que nos originou cá, do outro lado do oceano :)

Stiletto disse...

What will come, will come.
Be happy! :-)

Eli disse...

Tenho a dizer que gostei muito e neste final de noite, vir cá ler este "final" encontro, foi divinal! Agradeço mesmo por mostrarem algo em que acredito e quem até há uns dias era o título do meu blogue "O Amor Acontece".

Sim, é possível.

:)

bagaco amarelo disse...

r, acho que não podia estar interessada em 'sacar' o que não conhecia. mas terá percebido que é preciso uma pessoa cruzar-se com outras. :)

fátima, só eu é voltei. ela nunca tinha reparado em mim: :)

moska, a raquel lê, mesmo que não comente. :)

fatyly, eu acredito no destino feito por nós. :)

malena, não fui eu. :)

anandrade, obrigado. :)

paulo, obrigado. :)

giovana, não vás tão longe, senão tenho que desenganar e não quero isso. :)

stiletto, exacto. obrigado. :)

eli, yes we can. :)

Giovana disse...

Bagacito, não sejas tão modesto! LOL

bagaco amarelo disse...

giovana, olha que eu de modesto não tenho nada. :)

Anónimo disse...

Bela história sim senhor! A Raquel está de parabéns pela forma como tomou conta do blog, gostei especialmente da etiqueta "patrão fora dia santo na loja".
Só faltou mesmo o cliché final:
E viveram felizes para sempre... :)
CR

bagaco amarelo disse...

cr, para sempre não acredito. da maneira que bebo... :)

Anónimo disse...

Mantenho o que disse.
Viveram felizes para sempre (juntos ou cada um para seu lado) mas espero que seja juntos :)
CR

Pearl disse...

Um sorriso enorme! :o)))

É caso para dizer "essa história dava um livro, ou filme".

Fico emocionada quando o amor acontece!

Gostei mesmo desta história da vida real...

;o)))***

bagaco amarelo disse...

cr, obrigado. :)

pearl, obrigado. :)

eueuemaiseu disse...

ADOREI ADOREI ADOREI!
A Raquel tomou muito bem conta do estaminé e fico feliz por ter partilhado a vossa (ou nossa, como dizes q as histórias de amor são de todos nós) história magnifica.
Dá mesmo vontade de procurar o amor porque ele existe mesmo e está onde menos se espera.
Tudo de bom para vocês.

Lisa P. disse...

Eu apenas não diria "the final cut", mudaria para "o prólogo", em vez de me ficar pela ideia do epílogo :P


(O.K. Acho que são influências de uma leitura de ontem : http://www.huffingtonpost.com/rabbi-shmuley-boteach/the-centrality-of-marriag_b_786038.html)

bagaco amarelo disse...

eueuemaiseu, obrigado. :)

lisa p, :)

mr.Z disse...

bagaceira meu caro...

foste um senhor, eu faria o mmo...
que perde ou ganha um gajo em andar com meias palavras!!? ou é ou não é...

eras menino pa ser um dos meus melhores amigos pah...
muito forte xD

bagaco amarelo disse...

mr Z, um abraço. :)