6.26.2007

olhinhos

Estava a chover naquela noite. Ela disse-me que ia fazer olhinhos a um tipo que estava sentado, sozinho, a duas mesas de distância da nossa. Perguntei-lhe se queria me afastasse. Não, disse ela. Reparei que ele tinha um moleskine igual ao meu onde, nesse momento, batia com a ponta duma esferográfica. Queria escrever qualquer coisa mas não sabia o quê.
Estava a chover naquele dia. Ela afastou o copo de cerveja com a ponta dos dedos e atreveu-se. Impeliu-o com a crueldade dos seus brandos olhos. Eu abri o meu moleskine. Queria escrever qualquer coisa mas não sabia o quê.
Estava a chover naquela noite. Pelo canto do olho vi-o a rasgar uma página do caderno. Ninguém rasga páginas dum moleskine, pensei. Depois levantou-se e caminhou até à nossa mesa. Abriu-lhe a palma da mão e, nela, agasalhou o papel dobrado fechando-lhe os dedos. Segredou-lhe qualquer coisa e saiu.
Estava a chover naquela noite. Ela abriu a mão e deu-me o papel a ler. Era um número de telefone. Telefona-me, tinha-lhe ele pedido. Ela riu-se e assumiu um ar de vitória. Estava no pódio. Lá em cima.
Estava a chover naquela noite. Bebemos mais uma cerveja e, depois, talvez ainda outra. Demorámos mais meia-hora. Quando saímos do bar ele estava cá fora, encharcado pelo logro húmido. Nessa noite, antes de adormecer, finalmente escrevi qualquer coisa. Lembrei-me dum Natal em que abri, por engano, uma prenda do meu irmão. Era um avião que não chegou a ser meu.

14 comentários:

Insaciável disse...

O texto está genial....

parabéns :-)

Bjos

bagaco amarelo disse...

insaciável, obrigado ;)

Anónimo disse...

Se não estava a chover, não tem piada ;)

A Carente

Xantipa disse...

Lindo!
Mas, desta vez, diz que não é verdade!

bagaco amarelo disse...

Carente, com ou sem chuva o tipo é que se molha sempre. tem piada, isso. ;)

xantipa, eu até dizia... mas como esta foi mesmo verdade, não posso. :)

prologo disse...

É por isso que uso sempre os comuns cadernos de argolas onde não se notam as páginas arrancadas.

bagaco amarelo disse...

eu uso o moleskine. ninguém me faz olhinhos... é uma seca.

Anónimo disse...

Há gajos que falam de barriga cheia ;)

A carente

bagaco amarelo disse...

Carente, agora que sei quem és... não me provoques. :)

Anónimo disse...

Eu!Eu!Eu não provoco ninguem;)

A Carente

bagaco amarelo disse...

Sim, sim, claro. Já deu para perceber que não. :)

Elora disse...

Pois a minha irmã também ficou uma vez com um rapa...presente que era para mim. E depois estragou-o!

Fatyly disse...

Gostei desta narrativa...mas há aviões que partem e outros que chegam.

bagaco amarelo disse...

elora, uau... tens cá uma irmã...

fatyly, esta narrativa é baseada em factos verídicos...