5.01.2007

jantar a um



Hoje convidei-me para jantar a sós. Precisamos pôr a conversa em dia, disse-me. Depois aceitei o convite e apareci à hora prevista. Nem mais um minuto nem menos um minuto. Duas tranches de pescada guisada, arroz branco cozido com bastante alho e espinafres. Eu sabia que eu adorava espinafres, disse-me quando cheguei. E acertei, respondi-me. Depois abri uma cerveja preta. Conheço-me bem e achei melhor não abrir uma garrafa de vinho, por isso fiquei-me pela cerveja. Depois reguei uma taça de gelado com um fio de vinho do Porto e comi três kiwis.
Chegou a altura de escolher a banda sonora, mas até aí a discussão foi rápida. Estava de acordo comigo. Aliás, quando me convido para jantar é quase sempre assim, por isso já sei: o cd duplo “Nouvelle Vague”, de Jean-Luc Godard. Sons de filmes, pessoas que falam, carros que passam, etc, etc. É melhor do que música porque não me molda tanto o pensamento. Deixo a embalagem em cima da mini hi-fi.
Acabei por não decidir nada do que tinha para decidir comigo, mas no fim acabei por marcar outro jantar, ainda sem data. Qualquer dia telefono-me ou assim, disse-me. Por enquanto é melhor aproveitar o que isto tem de bom, viver assim. É verdade e eu sei disso, tentei-me convencer. Sim, é verdade. Vá lá. Dei-me um abraço e saí.

14 comentários:

Tangerina disse...

Nem todos conseguem 'jantar consigo próprios'.

Gabo-te a proeza e invejo a companhia:)

Gostei deste texto muito mais do que possas.

Bjo citrus.

Mau disse...

tambem costumo fazer isso. gosto muito da minha presença.

Clara disse...

Boa! E a pachorra de cozinhares e tudo...Eu sozinha compro umas coisas mto boas no supermercado q são tipo "coisas já feitas só para pôr no microondas 1 min" (olha, Caril de Gambas!).
Também dou muitos desses autoabraços, só os aprendi recentemente mas são do mais reconfortante q há.

bagaco amarelo disse...

tangerininha, se estivesses cá jantava contigo, pá. ;) beijos bagaçólicos.

maus, não é que eu goste assim tanto da minha presenças. o que é tenho que levar comigo, estou sempre a chatear-me, percebes?

clara, também faço muito isso dos pré congelados, mas iiso é quando janto sozinho. quando janto comigo sou mais exigente... :)

Tangerina disse...

Reli agora o que escrevi, eu e as pressas! Não terminei a frase 'gostei deste texto muito mais do que possas imaginar'. Desculpa a falha. Memamssim, chegate lá que eu sei:))

bagaco amarelo disse...

eu percebi, tangerina. não te preocupes, isso é normal e eu não sou o Carlos Pinto Coelho ;)

Contabilista Emocional disse...

A desvantagem (será?) é que nunca nos divorciamos de nós próprios.

bagaco amarelo disse...

não é uma desvantagem... é até essencial, contabilista. :)

antídoto disse...

Grande texto, este eu gostava de ter escrito...

bagaco amarelo disse...

antídoto, basta jantares contigo uma vez...

sem-se-ver disse...

vc tem o dom de me comover.

sabia?

bagaco amarelo disse...

sem-se-ver, beijos então. ;)

Teresa disse...

só tu, bagaço, para me fazeres rir assim. invejo, saudavelmente, a tua criatividade!
já cá não venho há algum tempo, mas estou a lê-los todos.
beijo grande ;)

sem-se-ver disse...

vou usar este seu post no meu blog. linkado, naturalmente.

isto é bom demais, quero tê-lo no meu espaço.

também para que quem me lê perceba porque venho aqui tantas vezes.

ok?

logo me diz se sim ou não, quando voltar dessa exposição... não qualifico, espero pelos seus comentários a ela :-)