10.21.2012

respostas a perguntas inexistentes (223)

jackpot

Existem uma bolachas negras com um creme branco no meio, tipo sanduíche, a que as crianças costumam lamber o creme primeiro e comer as bolachas depois. Sim, passe a publicidade, são as Oreo, embora também haja algumas marcas brancas a imitar, mais baratas e parecidas.
Eu estava no computador a tentar trabalhar quando um dos meus enteados surgiu na sala totalmente excitado com uma dessas bolachas. Abriu-a e mostrou-ma com um brilho anormal nos olhos.

- Que foi? - perguntei.
- Esta bolacha tem muito mais creme do que o normal! -  respondeu.

De repente senti um nó no estômago. Não sei quando é que perdi esta capacidade de ficar feliz com pouco, mas sei que, sem dar por ela, a deixei algures. Talvez numa notícia de televisão sobre uma guerra qualquer, talvez na morte dum amigo, talvez num Amor terminado. Já não me lembro. Talvez em vários sítios, um bocadinho de cada vez.
O miúdo ainda ali estava, a segurar a bolacha na minha direcção, à espera dum sinal qualquer que confirmasse a sorte grande que lhe tinha saído.

- Espectacular! - disse.

Vi-o a sair novamente da sala, aos saltos, numa corrida louca em direcção ao quarto. Estava a escrever um conto para crianças e parei, fechei o computador e os olhos. Procurei com urgência, nas memórias dos meus últimos dias, algo que me pudesse fazer assim feliz. O quotidiano desfilou à minha frente como se estivesse a jogar na máquina dum casino qualquer. Tomar café, beber uísque, pôr-me à janela, ver um filme, ler um livro, ouvir música ou comer chocolate. Nada me faz ter aquele brilho nos olhos.
Depois veio um beijo da Raquel, uma mão que lhe dou enquanto passeamos, um abraço quando chegamos a casa ao fim da tarde. Três lembranças em linha. Saiu-me o jackpot.

22 comentários:

Crystal disse...

Nunca perdes a capacidade de me surpreender e de me fazer sorrir. Desde que a cidade sopra...obrigada por isso e ainda bem que tens contigo o maior jackpot do mundo ;-)

Bagaço Amarelo disse...

crystal, obrigado. :)

Malena disse...

Fazer o Jackpot é fantástico!

Mas as Oreo são mesmo boas, pá! :P

Bagaço Amarelo disse...

malena, eu sou um conservador. gosto de bolacha Maria. :)

Quase nos "entas" disse...

A Raquel é a tua OREO!! :)))

E no meio de tanta....desgraça começa a ser dificil encontrar sinais para sorrir mesmo...
O meu mini ontem fez-me essa pergunta...e deixou-me sem resposta...

Olga disse...

O jackpot saiu-me quando descobri este blog. Torna a minha segunda-feira menos triste e dolorosa. Obrigada. :)

Menino De Sua Mãe disse...

bagaço,
continuo a achar que era mais fácil no tempo das bolachas

(ok, mas talvez não fosse tão bom)

Bagaço Amarelo disse...

quase nos "entas", sim... a felicidade começa a ser um exclusivo dos escavadores. :)

olga, obrigado. que simpática. :)

menino de sua mãe, era mais fácil sim... disso não há dúvida. :)

Olga disse...

Hoje estou assim mas não digas a ninguém senão lá se vai a minha reputação de exterminadora implacável! ;)

Carmo disse...

Devagarinho, vens sempre acordar-me da minha escuridão. Que bom que é ler-te. Mudas o meu estado de espirito frequentemente.

:)

Bagaço Amarelo disse...

olga, lol... não digo... :)

carmo, obrigado. :)

Mam'Zelle Moustache disse...

Bem, já não sou propriamente uma criança e, no entanto, sou bastante dada àqueles momentos de brilhozinho nos olhos tal e qual o teu enteado. Deve ser por ainda não ter ganho nenhum jackpot... ;p

regina disse...

realmente, é triste quando damos conta que essas pequenas coisas já não nos deixam felizes como a uma criança.

Bagaço Amarelo disse...

Mam'Zelle Moustache, o jackpot sai quando menos esperamos. :)

regina, é como se tivesse uma pedrinha na alma. :)

Anónimo disse...

Caro Ivar: Carpe diem!
O resto que se quilhe. Hoje vim a pé para o trabalho (desde a estação de comboios).
Não chovia, ceú limpo. Estou feliz com isso.
Trago comida, tenho café. O meu filho está bem, a minha mulher também. Estou feliz com isso.
Tenho livros para ler, musica para ouvir...

:-)
Porra, também temos direito a um raio de Sol!

EJSantos

Bagaço Amarelo disse...

ejsantos, estou contigo. :)

Fatyly disse...

A crise, os mercados, as políticas, a fome, o dinheiro, o desemprego, o malfadado Centro de Emprego,resposta a anúncios que não se dignam a responder, emigração, o jornalismo, ...se...se...isto...aquilo... andam a pôr todo o mundo receoso, desassossego, desinteressado, triste...e penso "para onde toda esta gente caminha? que sofrem SIM, mas onde pára a criança que todos têm e deviam mantê-la dentro de si"?

e dou de caras com um belo ensinamento de uma criança: a alegria de te mostrar o "brinde", o que te fez interromper o trabalho numa alegria tão verdadeira e com a prova provada que não é preciso muito para
"termos brilho nos olhos" e só depois de pensares nas rotinas...o que te levantou foi o desfile com a tua Raquel.

Mantém esse jackpot, volta a sorrir pá...porque muitos nem isso têm e jamais perdem o sorriso e a esperança, o sonho..."o brilho nos olhos" e o baixar dos braços.

Estamos mal? é verdade!
Se temo uma guerra civil? Sim!
Mas ainda muita água vai passar debaixo da ponte e como tal

queres uma bolacha Maria?:) é que são as únicas que consigo comer e como tal leva o pacote.

ADOREI e um beijo a esse garoto que te tirou da "rotina"!



Bagaço Amarelo disse...

fatyly, às vezes fazes-me tão bem... :)

Fatyly disse...

Estás a falar a sério?

fico contente porque sou assim mesmo e faço com que outros o sejam também porque desmotivados não conseguimos nadar e mantermos à tona do lodo onde nos enfiaram e se estivesses ao pé de mim levavas com o pacote inteiro das bolachas hehehehehe

Um abraço rapaz e vamos em frente...e quando deres por ela estamos fora da crise e perdeste tempões sem valorizares as pequeninas coisas boas da vida!

Bagaço Amarelo disse...

fatyly, claro que estou a falar a sério. :)

Kelly disse...

Espetacular! Os seus textos ainda me fazem sentir essa coisa de ficar feliz "com pouco". São textos...mas são deliciosos.

Bagaço Amarelo disse...

kelly, obrigado. :)