10.30.2012

pensamentos catatónicos (284)

por trás dum pequeno homem

Dizem que por trás dum grande homem há sempre uma grande mulher. Não sei até que ponto isto é verdade, mas também admito que desconfio que a minha definição de grande homem não corresponde à do senso comum. O que eu sei é que, de facto, me farto de ver mulheres escondidas pela pequenez dos homens.
Hoje de manhã tinha um encontro marcado com uma ex-colega de escola. Uma mulher que eu não vejo há mais de vinte anos e de quem, por vários motivos, tenho saudades. Encontrámo-nos aqui, na internet, através duma rede social, assim como quem se cruza na rua e diz "Ah! Já não te via há tanto tempo!". Marcámos um café para hoje  e ela não apareceu porque, ao contrário do que estava previsto, o marido dela estava em casa e ele, segundo o que me disse numa rápida conversa telefónica, não gosta que ela saia sozinha para ir ter com um homem.
Não disse nada. Saí na mesma, comprei o jornal e fui tomar um café sozinho a outro sítio qualquer em Matosinhos. Uma rapariga com uns doze ou treze anos estacionou a bicicleta no passeio. Longos cabelos ao vento e um sorriso enorme estampado na cara. Veio ter comigo assim que dobrei o jornal e o coloquei sobre a mesa.

- Olá! O meu pai pediu-me para lhe comprar o jornal. Se me venderes esse por cinquenta cêntimos, eu fico com o resto para mim. Pode ser?

Dei-lhe o jornal para a mão. Claro que não lhe cobrei os cinquenta cêntimos. Ela já me tinha pagado com aquela demonstração de que nem tudo está perdido. Espero que daqui a uns anos não esteja a telefonar a um amigo para lhe explicar que não pode sair de casa por causa do marido.

17 comentários:

Haso´s disse...

Muito bom!!!
Ps: Matosinhos, a minha cidade!

Estudante disse...

"O que eu sei é que, de facto, me farto de ver mulheres escondidas pela pequenez dos homens." Adorei, embora seja uma constatação triste...

Anónimo disse...

Bem não acho que no fundo nem fez por mal a sua amiga, acho que nos meus 24 anos nunca pensei ceder em nada nessas teorias machistas...mas acho as mulheres sedem muito por causa das relações. Já nem sei se fazemos bem ou não!!

Bagaço Amarelo disse...

haso's, é a minha segunda cidade, agora. :)

estudante, triste é... :)

anónimo, pois... mas eu acho que faz mal sempre for por aí: :)

Anónimo disse...

Olá! O medo da sua amiga acaba por ser uma denuncia ao que ainda sente por si...algum medo de o ver :) Anyway, quando é a sério ( o sentimento) a confiança e sinceridade está acima de tudo, ou seja, se isso não existe no casamento dela, não vai durar muito.

MA disse...

Adorei o desembaraço da miúda!

Quanto há sua amiga, a minha opinião é que uma mulher que vive dessa forma não pode ser feliz, vive apenas conformada! O que é triste...

MA disse...

Adorei o desembaraço da miúda!

Quanto há sua amiga, a minha opinião é que uma mulher que vive dessa forma não pode ser feliz, vive apenas conformada! O que é triste...

Bagaço Amarelo disse...

anónimo, talvez o casamento não dure muito, não. :)

MA, pois... é o mais triste que há. :)

O Olhar do Lobo disse...

Bagaço,

Gosto bastante do teu blog mas sinto que racionalizas demasiado ou se preferires dás demasiada atenção à introspecção, a vida é bela na sua simplicidade e devemos tentar mantê-la simples, sobretudo na relação homens mulheres.

Desculpa lá a pequena crítica mas é o que sinto.

Se essa tipa não se queria encontrar contigo pessoalmente e culpa o marido, então é uma pessoa complexada e pouco independente, se calhar até te fez um favor...

Bagaço Amarelo disse...

O Olhar do Lobo, aceito todas as críticas, na boa. Aliás, eu tenho noção que não consigo deixar de ser um racionalista. :)

T. disse...

;) Sorrio...
Infelizmente também acho que a maioria das mulheres fica mais pequena ao lado dos seus homem.
Não vou entrar em considerações sobre as razões para esta situação, pois tal levaria muito tempo.
Mas eu também tenho fé na futura geração. Rezo para que mães, professoras e mulheres em geral... eduquem as meninas para serem independentes e "espertas"...

Bagaço Amarelo disse...

T, tenho feito o que posso nesse capítulo. :)

$hort disse...

Bem, nem os homens nem as mulheres se medem aos palmos... mas o marido da tua amiga não há de estar sempre em casa... e essa outra menina, apesar do episódio ser delicioso, já devia saber que não se fala com estranhos, especialmente aqueles que se dispõem a 'encontros' com mulheres casadas (: Mais, creio que esta tua amiga está comer o fruto que deu a comer pois, algum dia, disse ao seu marido, que não gostava que saísse de casa para ir ter com quem quer que seja... somos tristes mas, já somos tristes há muito tempo ):

Fatyly disse...

Muitas tornam-se pequenas e muitos tornam-se pequenos com medo que lhe roubem o marido ou a mulher...sobretudo quando sabem que se vão encontrar com divorciados(as). Já pensaste nisso?

Quem vive dentro do convento é que sabe o que lá vai dentro e essa amiga pode-se ter "acomodado na vida a dois" e portanto não se impõe...o que acho uma perfeita estupidez...mas enfim!

Quanto à miúda de 13 anos, eu dava-lhe o jornal mas não deixaria de lhe dizer alguma coisa, nada de lições de moral...mas numa de que todo o cuidado é pouco e felizmente deu contigo!

Bagaço Amarelo disse...

$hort, mas já é mau estar à espera que ele não esteja, não é? :)

fatyly, o medo de perder alguém nesses termos é um absurdo, mas de facto existe... :)

Mam'Zelle Moustache disse...

Bem, quanto a essa amiga, a culpa não é do marido, é dela. Ela é que aceita que ele não queira que ela tome café com outros homens. Não sou bruxa (mesmo hoje sendo dia delas), mas quase que aposto que ela também não quer que o marido tome café com outras mulheres... Se assim for, estão bem um para o outro. Eu cá, não aceito que um homem me diga com quem eu posso ou não posso tomar café...

Bagaço Amarelo disse...

Mam'Zelle Moustache, eu acho sempre que a responsabilidade é de ambos... :)