10.04.2012

respostas a perguntas inexistentes (220)

 O Amor revela o que mais interessante e estúpido existe dentro de nós. Quando estamos apaixonados, acreditamos piamente que encontrámos a única pessoa no mundo inteiro por quem conseguimos sentir uma coisa assim. E mesmo sabendo que isso é uma enorme mentira, insistimos nela porque essa é a base de qualquer Amor. É mentira e é boa.
Estou apaixonado pela Raquel. Sei que há, por esse mundo fora, mais uma enormidade de mulheres por quem me poderia eventualmente apaixonar, mas não acredito nessa verdade. Acredito piamente na mentira que me diz que só pela Raquel é que consigo sentir o que sinto. E assim, a mentira vai-se transformando na doce verdade da minha vida.
Nessa verdade, podemos Amar uma vida inteira se formos capazes de viver na mentira. Não é difícil. Basta ser verdadeiro.

28 comentários:

lugar_teu disse...

contraditório. mas tão verdade!

Veruska disse...

Tu és um tipo com menos de 30 anos , não és???!!! :)

someotrainbow disse...

Brilhante. Muito bem dito! Sinto mesmo, mas só hoje consegui ver escrito o que sinto, há anos! Obrigada!
Inês
(No meu caso é o A. e não a Raquel :)

Inês disse...

:)

Olga disse...

Estas verdadeiras manifestações públicas de amor para com a tua Raquel são apaixonantes e trazem alguma doçura à mentira que é a vida! :)

Me disse...

Pena é de vez em quando se trocarem os conceitos... Ser-se mentiroso numa verdade. Infinitamente pior.

Anónimo disse...

Olá!!! concordo contigo, o que é o amor hoje em dia? parece uma grande farsa , hoje amas, no dia seguinte já passa para uma mentira, já não há amor como dantes.

Bagaço Amarelo disse...

lugar_teu, é a verdade da mentira. :)

veruska, obrigado. menos de cinquenta. :)

someotrainbow, obrigado. :)

inês, :)

olga, obrigado. :)

me, é verdade, isso. bem verdade. já me aconteceu. :)

anónimo, não era bem isso que eu queria dizer. :)

Kowalski disse...

Gostei muito desta "mentira", mais verdadeira que muitas "verdades".

Por isso é que continua (sempre) a valer a pena acreditar :)

Bagaço Amarelo disse...

kowalski, obrigado. :)

Sara* disse...

Este texto lembra-me de Fernando Pessoa...

Bagaço Amarelo disse...

sara, a mim nem por isso, por acaso. :)

T. disse...

Concordo que para viver um romance é preciso mentir. Mentir para nós próprios tantas as vezes que forem necessárias para que se torne verdade. Isso torna o romance verdadeiro e a mentira fica só na nossa cabeça...

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

"...por quem me poderia eventualmente apaixonar..."

Lá que poderias, poderias, mas não era a mesma coisa! Essa é também uma verdade verdadinha!

Carmo disse...

Então...

Bagaço este post veio baralhar-me os neurónios!

Tem tanto de verdade como de mentira, ou seja acho que nunca tinha lido uma mentira tão verdadeira, ou uma verdade tão mentirosa. Não sei, é como te digo, acordaste-me para a realidade. Fonix!!!

:)

Fatyly disse...

Subscrevo!

A Vida da Cinderela de Saltos Altos disse...

É bem verdade!

Miú Segunda disse...

Somos capazes de nos apaixonarmos por várias pessoas (às vezes até ao mesmo tempo, o que não convém mesmo nada), mas nunca da mesma forma, nem com a mesma intensidade, nem com as mesmas emoções, ou sensações, ou (des)ilusões. Por isso é que cada paixão é única. Mas isso não é uma mentira; é a pura verdade.

Se a paixão não for especial, não é paixão; é antes um gostar para passar o tempo, enquanto não aparece nada melhor ;D

Anónimo disse...

Bem, se achas que é mentira, neste caso "cheira-me" a verdade. Pelo menos, é mais verdade do que muitas verdades que nos querem inpingir.
Quando se ama, nesse momento (sejam meses, anos ou seja uma vida) é aquela pessoa que se ama. Tudo o resto é irrelevante.

Hmm, o teu texto apanhou bem a ideia... Gostei muito.

EJSantos

Bagaço Amarelo disse...

t, :)

maria sem frio nem casa, certíssimo. :)

carmo, pois... é que é isso mesmo. :)

fatyly, :)

a vida da cinderela de saltos altos, :)

miú segunda, nenhuma é igual, é verdade. :)

ejsantos, obrigado. :)

Anita disse...

Aplica-se também ao "desapaixonarmo-nos". Nesse momento tentamos acreditar que há por aí muitas pessoas por quem nos podemos apaixonar, que nos preenchem e completam, que nos volta a fazer bater o coração desenfreadamente e olha que também nessa altura acreditados numa mentira que queremos e esperamos que seja verdade :)

redonda disse...

Portanto, não será mentira, mas verdade :)

Bagaço Amarelo disse...

Anita, mas há mesmo. :)

redonda, exactamente. :)

Francisca disse...

"Quando estamos apaixonados, acreditamos piamente que encontrámos a única pessoa no mundo inteiro por quem conseguimos sentir uma coisa assim". O que insistes por achares que é a base de qualquer amor não é mentira. A Raquel é (de facto) a única pessoa por quem consegues sentir algo assim. Porque qualquer outro amor, mesmo que tão apaixonante, tão intenso, será sempre diferente porque a pessoa não será a mesma.

Estudante disse...

O Amor é mesmo um assunto traiçoeiro ;)

Bagaço Amarelo disse...

francisca, exactamente. :)

estudante, :)

Margarida disse...

Este texto tem qualquer coisa de muito verdadeiro :)

Bagaço Amarelo disse...

Margarida, tem sim: :)