12.02.2011

não venhas tarde



Quantas vezes fazemos asneiras irreversíveis no Amor? Poucas, porque a irreversibilidade é isso mesmo: basta acontecer uma vez. Se há coisas que quando se partem nunca mais voltam a ser as mesmas, o Amor é definitivamente uma delas, e este fado do Carlos Ramos é genial por causa disso. Porque é fado, e porque sabe que a angústia de quem é esperado é às vezes maior do que a de quem espera. Pelo menos se essa irreversibilidade estiver iminente...

Não venhas tarde,
Dizes-me tu com carinho,
Sem nunca fazer alarde,
Do que me pedes baixinho.

Não venhas tarde,
E eu peço a Deus que no fim,
Teu coração ainda guarde,
Um pouco de Amor por mim.

Tu sabes bem,
Que eu vou para outra mulher,
Que ela me prende também,
Que eu só faço o que ela quer.

Tu estás sentindo,
Que te minto e sou cobarde,
Mas sabes dizer sorrindo,
Meu Amor, não venhas tarde.

Não venhas tarde,
Dizes-me sem azedume,
Quando o teu coração arde,
Na fogueira do ciúme.

Não venhas tarde,
Dizes-me tu da janela,
E eu venho sempre mais tarde,
Porque não sei fugir dela.

Tu sabes bem,
Que eu vou para outra mulher,
Que ela me prende também,
Que eu só faço o que ela quer.

Sem alegria,
Eu confesso, tenho medo,
Que tu me digas um dia,
Meu amor, não venhas cedo.

Por ironia,
Pois nunca sei onde vais,
Que eu chegue cedo algum dia,
E seja tarde de mais.

7 comentários:

Olga disse...

Esta mulher era uma santa.
Se fosse comigo já tinha levado um chuto no rabo que tinha ido parar à lua. (obviamente sou uma peste) ;)

bagaco amarelo disse...

olga, se há coisa que eu aprendi com a vida, foi que mulheres santas não existem. :)

Fatyly disse...

Engraçado que nunca considerei esta música como fado...gosto e fez parte de um período da minha vida e dizes algo muito importante:

"porque sabe que a angústia de quem é esperado é às vezes maior do que a de quem espera" mas para ultrapassar isto, quer seja homem ou mulher, é preciso ter tomates para terminar com uma "indefinição" e as últimas quadras são prova disso.

Não sei se me fiz entender!

bagaco amarelo disse...

fatyly, fizeste-te entender muito bem. :)

Carmo disse...

Ela é uma calculista, mas quase todas nós mulheres somos. Eu admito, depois de tudo sou mesmo calculista, só não sou mais porque não consigo.

Carmo disse...

Ela é uma calculista, mas quase todas nós mulheres somos. Eu admito, depois de tudo sou mesmo calculista, só não sou mais porque não consigo.

bagaco amarelo disse...

carmo, ou calculista ou, como isto foi escrito por um homem, desiludida. :)