12.12.2011

pensamentos catatónicos (265)

não estou pronto para outra

Este blogue começou porque eu sei o que é a vida desmoronar-se por causa do Amor ou, se preferirem, do desAmor. Sei o que é ouvir numa noite de sábado a frase "já não te Amo!" e conheço o sabor do copo de uísque seguinte e dos outros que se seguem a esse. Sei que é estranho aceitar que o planeta continue a girar indiferente ao nosso sofrimento, como se ele não fosse a coisa mais importante do mundo. Sei o que é não perceber absolutamente nada do que nos aconteceu e alternar, de cinco em cinco minutos, um choro  de desalento com uma raiva interior de quem se sente enganado pelo mundo.
Este blogue começou como uma estratégia de sobrevivência, uma forma de voltar à normalidade de quem já só queria voltar a conseguir dizer "bom dia" aos vizinhos. Por uma questão de justiça, e também de solidariedade com quem está a passar agora pelo mesmo que eu passei, devo dizer que só há uma pessoa capaz de ajudar realmente um desiludido do Amor, e essa pessoa é ela própria. Como mero exemplo, cabe-me ainda dizer que hoje acho que essa desilusão de Amor foi a melhor coisa que me aconteceu na vida. De tal forma que não estou pronto para outra. E estou a dizer isto a alguém muito específico, porque sei como se sente, mas também a todos que o queiram entender como uma certeza de que tudo passa.

33 comentários:

Anónimo disse...

Tive um amigo que passou pela mesmíssima situação. Ele, inclusive, também criou um blog para superar a decepção amorosa e expurgar seus demônios (blog é a nova terapia). Deu certo e depois de um tempo, ele hoje está em outra.

É por isso que afirmo com toda a certeza que você vai ficar bem também. :)

Um abraço,
sua leitora do Reader.

M.R disse...

Quase toda a gente passa por isso na vida... mas quase toda a gente acaba por assumir que foi o melhor que podia ter acontecido. Nem que seja pelo facto de não valer a pena estar com alguém que não nos ame.

Anónimo disse...

Eu estive do lado dos que dizem "já não te amo" e não foi mais fácil.
Gostava de saber que foi a melhor coisa que me aconteceu na vida, mas ainda não o sei, mas pelo menos permitiu-me quebrar uma inércia que eu não queria.
E é um facto que tudo passa... uma vezes apenas demasiadamente devagar. :)

aAprendiza disse...

Ora aí está, a meu ver, a verdade mais agri-doce de todas... :')

Hysteria* disse...

Senti-me contemplada :) * Um beijo e obrigado...

tiago leal disse...

É preciso é olhar em frente: quando se fecha uma porta, quase sempre se abre uma janela!

Anónimo disse...

É para mim?! ;)
Conheço o blog hà pouco mais de 2 meses e é um alento enorme. Não percebo como é que alguém consegue ser tão cobarde ou mentiroso ao ponto de enganar assim outra pessoa.Egoismo exacerbado, mentira, ficção. Nunca vou perceber. :S

Um beijinho,

C.de O.

Jibóia Cega disse...

Bingo! ;)

**Lili** disse...

Tão Verdade.. :)

Carmo disse...

É bem verdade Bagaço, só nós nos podemos ajudar, no entanto fico renitenta quanto ao "tudo passa", fonix para mim foi como se tivesse sido ontem e já lá vão mais de 4 anos.

É uma passividade minha por vezes doentia. Mas quero acreditar que tudo passa, sim.

mi@mara disse...

A única coisa boa numa desilusão, é isso mesmo, a certeza de que passa! Não faz doer menos, mas ajuda a seguir caminho!

Anónimo disse...

Só queria dizer que compreendo cabalmente.
Já fiquei com o coração estraçalhado. Apesar da dor... foi uma das melhores coisas que me aconteceu. Não me arrependo de nada do que fiz. Não deixei nada a meio.
E de facto... também não estou pronta para outra.
E ainda procuro amor. procuro e encontro amor todos os dias. amor proprio, amor por outros e amor de outros.
Pode ser que um dia encontre alguem a quem possa dizer amo-te, um amo-te diferente do que digo a minha mae, ao meu pai, aos meus irmaos e aos meus amigos, mas não menos intenso.
Penso que amar de novo só é possivel depois de nos perdoarmos e de nos estimarmos honestamente.
Obrigada
Joana

Lianita disse...

Tudo passa... E o dificil não é terminar mas começar de novo.

Dói mas passa.

Depois de ter passado por um fim doloroso, hoje também vejo que foi a melhor coisa que aconteceu para aquele amor.. ter acabado.

bagaco amarelo disse...

anónima, eu já estou bem... demorou dois anos e meio. beijinho. :)

m.r., mais nada... é mesmo isso. :)

anónimo, o tempo não é constante, de facto. tem várias velocidades que dependem do que sentimos. :)

aAprendiza, :)

hysteria, beijo. :)

tiago leal, mais tarde ou mais cedo abre, sim... :)

C.de O., já pensei exactamente nesse pântano... e percebo-o. :)

jibóia cega, :)

lilli, :)

carmo, numa espécie de masturbação da dor, à época fartei-me de ouvir o "tudo passa" do marcelo camelo. :)

mi@mara, o tempo faz milagres. é isso. :)

joana, subscrevo cabalmente. :)

lianita, são dificuldades diferentes, a de terminar e a de começar de novo, não são? :)

Anónimo disse...

Eu não digo que "tudo passa", digo que "tudo vai passando". Haverá sempre retornos a determinados cantinhos da memória, por vezes dói, outras vezes já não.

Anónimo disse...

Como é tão verdade... também eu passei pela mesma situação há cerca de 2 anos (terminei um casamento de 22 anos) e, de facto, a minha vida deu uma volta tão grande e posso dizer com toda a verdade que sou muito mais feliz agora.
MF

bagaco amarelo disse...

anónimo, pois... a mim já nada me dói, mas admito que me saiu uma espécie de euromilhões entretanto. :)

mf, 22 anos é mesmo muito. o suficiente para ter sido difícil q.b... :)

Anónimo disse...

além do mais a "perda" de um amor, não é a pior coisa do mundo, haverá outras perdas que terás que passar, que poderão ser piores...ou não...
logo verás...
nem toda a nossa vida gira à volta do amor, por isso é que o mundo também não gira, na mesma proporção!

isto que viveste é a vida, se vivesses sempre com esse amor, talvez, não crescesses mais! e o que te doeu foi o crescimento !!

agora o luto terá sempre que se fazer, não há vida sem morte (sem luto ).

"anónima " .

bagaco amarelo disse...

anónima, nunca lhe chamei crescer. pior... chamei-lhe uma lição de humildade. :)

Phiona disse...

Pronto, depois disto já não me sinto tão sozinha e incompreendida, como se sofrer por amor fosse uma coisa para seres de Marte!!!!! =)

Resta acreditar que vai passar... ou vai passando.... :x

bagaco amarelo disse...

phiona, isso. :)

Never Told Words disse...

É por estas coisas que quero acreditar que Enquanto há vida há esperança :) Obrigada :)

bagaco amarelo disse...

never told words, isso mesmo. :)

Pipoca disse...

Faço as tuas palavras, as minhas. A unica diferença é que estou a passar essa fase agora. :(

Fatyly disse...

Aplaudo-te de pé e coincidente ou não, hoje disse o "mesmo a alguém" e acrescentei apenas...nunca comeces uma nova relação sem o assentar da poeira, excepto que queiras...sexo por sexo!

bagaco amarelo disse...

pipoca, o tempo faz milagres. :)

fatyly, concordo... :)

Cat disse...

True story. Dói. Mas com o tempo tudo se cura e nos torna mais fortes. Eu espero caminhar para lá a passos largos.

C. disse...

espero mesmo que seja verdade...mas entretanto vou lendo aqui umas linhas e, por qualquer razão, acredito que possa 'passar', seja o que for.

neste momento em que acho que já recuperei, julgo que a sensação de solidão foi o mais difícil de superar. mas gosto da sensação de estar a começar um novo capítulo que, com sorte, não levará a outro no futuro ;)

parabéns pelo blogue, leio sempre muito atentamente ainda que não tenha tido muito tempo ultimamente para comentar :)

bagaco amarelo disse...

cat, exactamente... e caminhas certamente. :)

c., a solidão tem um peso enorme durante muito tempo, depois da separação, até uma fase em começa a alternar com uma sensação de alívio. comigo, pelo menos, foi assim. :)

memyselfandi disse...

Oh! ...

bagaco amarelo disse...

memyselfandi, muito suspiras tu... :)

AF disse...

espero mesmo que passe!
é um gosto ler-te*

bagaco amarelo disse...

af, obrigado. :)