12.02.2011

respostas a perguntas inexistentes (190)

O que fica por fazer

Às vezes Amar dá-me medo, principalmente quando me despeço de quem Amo e atravesso a rua dizendo-lhe adeus. Fico a vê-la desaparecer na primeira curva e a distância entre nós ganha peso. Ela vai de carro e eu a pé, sempre em direcções opostas. É quando me apercebo que um eventual fim desse Amor seria como uma amputação duma parte qualquer do corpo. Um braço ou uma perna, por exemplo. Seria consistente, seria físico.
Depois caminho contando os passos. É o que eu faço sempre que tenho medo: invento uma coisa inútil para fazer. Da casa dela ao primeiro semáforo são cerca de duzentos e vinte passos, e é nesse semáforo que deixo de os contar. Fico a ver os automóveis impacientes pela mudança de cor e lá dentro só estão pessoas sós. Algumas irão trabalhar, talvez a maior parte, e percebo que a normalidade é afastarmo-nos uns dos outros. Alívio.
Foi com esse alívio que hoje me detive perante o verde para peões e o vermelho para os automóveis. Fiquei a ver a condutora do primeiro carro da longa fila de automóveis que ali se forma de cada vez essa combinação de cores se dá. Fumava um cigarro nervoso, abria a porta do veículo e tornava a fechá-la como se estivesse estragada. Depois direccionou o espelho retrovisor para se pentear com os dedos. Quis acreditar que ela vinha de uma despedida apressada e que por isso ainda tinha tudo por fazer: fumar, fechar a porta e pentear-se.
É isso que é uma despedida entre duas pessoas que se Amam: o Amor e a vida que ficam por fazer. Não é medo. Ainda bem.

17 comentários:

SM disse...

Afinal, homens e mulheres não são tão diferentes assim no que toca ao amor e à vida.O medo de deixar algo por dizer ou fazer em relação à pessoa amada. Somos humanos. Amamos.Ainda bem.

bagaco amarelo disse...

sm, não, não somos tão diferentes assim. também acho. :)

Fatyly disse...

Há que suavizar a angústia de uma despedida, detesto despedidas e porque não um até já ou até logo ou um beijo e um abraço que dizem mais que mil palavras, tudo feito com a certeza, mas certeza mesmo e assim as horas passam mais rápido! Nada de dramas e medo não enche a alma só a envenena. Estou certa?

bagaco amarelo disse...

fatyly, eu também não gosto de despedidas, não... :)

memyselfandi disse...

Entendo tão bem esse medo que dizes não ser medo =)o medo de que vá e não volte...

Anónimo disse...

Adorei!

Pena é quando depois de uma "despedida normal", de quotidiano, de um "até logo à noite"... não existe esse reencontro! :S Talvez porque tb não existisse amor!

Muitos Parabéns pelo blog! descobri há umas semanas e agora tenho de vir sempre dar um olhinho! Gosto mesmo muito :)

Beijinho,
C.

bagaco amarelo disse...

memyselfandi, :)

C, obrigado. :)

Carmo disse...

:)

Eu era assim como essa mulher parada nos semáfros, chegava ao emprego sempre atrasada 10 min e completamente por arranjar. Metia-me de imediato no wc, arranjava a cara, penteava-me com as mãos a seguir bebia um café e perdia-me inteiramente nos meus pensamentos, até que alguém me despertava com um 'passou bem' e um 'olá como está'. Era um cargo importante e só agora que me fazes voltar lá atrás me apercebo a minha infantil irresponsabilidade.

Hoje sou pontualissima, não estou apaixonada.

bagaco amarelo disse...

carmo, 10 minutos para mim nem classifica como atraso. :)

poeta de rua disse...

quando partilhamos uma história, a geografia não a leva. E ás vezes amar também me faz medo :-)

bagaco amarelo disse...

poeta de rua, a geografia não leva, de facto, nenhuma história partilhada, mas às vezes quase que sim... :)

Anónimo disse...

pois meu amigo, o medo é inimigo em muitas situações da vida e também o é no amor.

porque o medo, vai aos poucos arruinar a mente e esta irá dominando o coração. se o coração é sereno o medo recua, se tem dúvidas então a quele ganha-lhe...

é preciso ter cuidado com os jogos da mente que se cultivam!!

porém acredito que o amor prevalece sobre o medo, mas a maturidade também ajuda e muito. e aqui inclúo o já ter cometidos atitudes erroneas no amor!!
a vida no seu auge!

tudo faz sentido, nada acontece por acaso!

Boa sorte com o medo!

bagaco amarelo disse...

anónimo, passa mesmo por aí, sim. abraço. :)

Anónimo disse...

sou mulher! abraço é coisa de gajos para gajos!!

bagaco amarelo disse...

anónimo, depende do abraço, claro. mas beijinhos, então. :)

H. Santos disse...

Hoje a minha namorada despediu--se de mim com um "foda-se", ia atrasada a moça xD

bagaco amarelo disse...

h.santos, lol... já me aconteceu. :)