12.21.2011

lamechices

Ela pergunta-me porque é que os homens nunca falam de Amor, mas não é sobre os homens que ela quer saber seja o que for. É sobre mim. Quer saber porque é que eu nunca lhe digo que gosto dela, que a Amo ou pelo menos que eu defina verbalmente a importância dela para mim. Não sou capaz de o fazer e, pior do que isso, nem sequer sou capaz de lhe dizer que sou incapaz de o fazer. Sou homem, é isso, e portanto espero que ela adivinhe tudo o que eu sinto por ela. Não sei como, mas tenho esperança que o consiga fazer. Afinal de contas é mulher.
Ser homem é difícil porque um homem tem que parecer o mais forte a vida toda, e todos sabem que parecer uma coisa é bem mais difícil do que sê-lo. Ainda noutro dia fomos passear na praia que o Inverno limpou de gente. Ela descalçou-se e abraçou-me. Eu descalcei-me e deixei-me abraçar. Caminhámos durante largos minutos com os pés enterrados no seu silêncio, e eu sabia que ela estava à espera que eu lhe dissesse qualquer coisa. Um "Amo-te tanto!", por exemplo. Mas eu não consegui. Nunca consigo. Cheguei a elaborar uma frase qualquer com as palavras "gosto" e "sorte", mas os meus dentes bloquearam-na quando ela estava prestes a sair da boca. Demos meia volta e regressámos mais distantes, com as mãos enfiadas nos bolsos, eu com a sensação que estava a esconder o que sentia num deles. 
Foi a semana passada que me contou a história dum filme qualquer que viu na televisão, numa noite dessas em que eu fico horas seguidas sentado em frente ao computador sem concluir nada do que começo a fazer. Era sobre um homem incapaz de falar de Amor e que acabava um alcoólico solitário por causa disso. Eu percebi onde ela queria chegar mas respondi-lhe que o argumento me parecia "mais uma lamechice qualquer". Vi-a sorrir com a minha resposta mas com um sorriso triste, como se engolisse duma só vez a réstia duma esperança qualquer. E eu, que pareci mais uma vez o mais forte, na realidade senti-me mais fraco.
Agora estamos aqui num café dos subúrbios da cidade, onde algumas dezenas de pessoas preenchem boletins do totoloto como se isso lhes pudesse salvar a vida, e ela pergunta-me porque é que os homens nunca falam de Amor. Eu sei que responder pode salvar a minha vida, mas as ideias enrolam-se no meu cérebro como um áspero novelo de lã. Os olhos dela pousaram no meus como o pé dum vencedor que pisa o corpo imóvel do morto, e o meus parecem insectos à procura dum local para descansar. "Eu Amo-te", digo-lhe baixinho.  Depois concluo que não faço a mínima ideia porque é que os homens não falam de Amor. Ela levanta-se e dá-me um beijo na testa antes de sair a correr para o trabalho. Pareço mais fraco mas sinto-me mais forte.

51 comentários:

NiceGirl disse...

Estás, sem dúvida, muito mais forte. :)
Adorei o texto.

bagaco amarelo disse...

nicegirl, obrigado. :)

*Lili* disse...

Gosto, geralmente não leio os teus relatórios grandiosos, precisamente porque me perco a meio da leitura...tal como estava a acontecer com este. Mas gostei do final e da finalidade que deste à conversa (pensamento).
Gostei muito :)

EJSantos disse...

"Ser homem é difícil porque um homem tem que parecer o mais forte a vida toda...!" Que super macho!

Pá, felizmente deixei-me de me armar em forte há muito tempo. Talvez influencia do Karaté, que me traz uma paz de espirito dificil de encontrar noutras actividades. E as coisas correm-me melhor na vida.

"Ela pergunta-me porque é que os homens nunca falam de Amor,"

Eu falo; pouco, mas falo. E digo o essencial. E sabes que mais? É libertador. É bom.

Um abraço
EJSantos

lolita disse...

Foi dado o 1º passo na caminhada :)

Gostei do texto, tal como tudo o que escreve.

bagaco amarelo disse...

lili, obrigado. :)

ejsantos, eu até falo muito... actualmente falo muito. :)

lolita, obrigado. :)

Fatyly disse...

Sinceramente acho que geneticamente falando (onde é que já ouvi isso?) somos diferentes: 99,9% das mulheres falam por elas, pelos companheiros, maridos ou amigos e até pela vizinhança, ou seja verbalizam mais e 99,9% dos homens são o contrário e é terrível viverem uma vida debaixo dessa cobrança.

O andar de mãos dadas, um gesto, um carinho, um beijo, um abraço, uma surpresa etc. entre dois seres que se amam não é suficiente para acimentar a verbalização "eu amo-te"?

Mais confuso, vivi num país onde o calor emitido entre todos através da mesma frase mas com uma entoação bela e sem qualquer maldade..."eu ti amo" e acrescentavam sempre..."viu"?

Gostei!

marie disse...

Muito bonito :)

Su disse...

Não deixes de falar, porque um dia ela pode deixar de perguntar, e isso é mau sinal.

Alexandre disse...

Toma atitudes para que ela perceba que a amas realmente porque apesar dessa palavra ser muito forte, ela perceberá.

bagaco amarelo disse...

fatyly, obrigado. muito boa, essa da cobrança. :)

marie, obrigado. :)

su, :)

alexandre, às vezes fico sem saber se as pessoas percebem que isto é uma crónica... :)

Pedro Gaivota disse...

Gosto de ti, Pá.
Posso parecer fraco ao dizê-lo, mas gosto de ti.
Gosto de te ler as palavras, as escritas e as que ficam por dizer. És uma boa praça.

Feliz Natal.

Abraço.

Ana Sá disse...

Tens de ser capaz de dizer. Eu sou mulher e sou como tu... mas quem amamos precisa de o ouvir. :)

Salsa disse...

O homem não diz mas sente e demonstra.
Como diz o provérbio: um olhar vale mais que mil palavras.

Sintonia disse...

E pensar que uma pessoa que escreve assim tem dificuldade em dizer a quem ama o quanto ela significa ... mas no entanto é bom já conseguir perceber que a dificuldade está em pôr as coisas por palavras e "deitá-las" cá para fora ... adorei o texto ... e por incrivel que pareça, reconheci-me aqui ...

=)) *

Daisy disse...

Fizeste muito bem em ter dito! As mulheres não são adivinhas e mesmo que fossem, gostam que se verbalizem coisas como o Amor.
:)

bagaco amarelo disse...

pedro gaivota, um abraço, pá. :)

ana sá, eu até vou dizendo. :)

salsa, acho que às vezes vale mesmo... :)

sintonia, obrigado. :)

Fátima disse...

Nunca deixes de dizer "Amo-te" a quem realmente amas... actualmente digo-o muitas vezes e quando me respondem olhos nos olhos "Também te amo", para mim, o mundo pode acabar ali, naquele momento...

bagaco amarelo disse...

daisy, :)

fátima, eu só não quero que o mundo acabe. :)

Eduarda M. Fernandes disse...

eu, via facebook: ja foste ver o ultimo post do nao compreendo as mulheres? o tipo escreve BEM. MESMO BEM. embora a verdade de que fala seja uma miséria triste.
ele, via facebook: n. vou ver

e com a partilha deste meu dialogo (verídico) espero estar a homenagear o post e o autor do post.
boas festas e nao guardem para amanha o que podem mimar hoje

bagaco amarelo disse...

eduarda m. fernandes, obrigado. e este é um grande obrigado. :)

Olga disse...

E é por isto que estou sempre aqui refastelada na tua "casa". :)

Anónimo disse...

cada vez que venho aqui e acabo de ler um post seu só penso "outro post maravilhoso" parabéns pela escrita, merece ser divulgado, merecia uma PUB paga no seu blog (se há quem a tenha e não tem metade do seu dom).
Venha o próximo por favor que estou a espera.

Estudante disse...

Pensei que essa história de que os homens não conseguem falar de amor fosse um mito... mas pelos vistos é verdade! :P Sabes, uma vez falei com uma pessoa que me disse que não dizermos o que sentimos é um desperdício... e que dizer "amo-te" não nos diminui, engrandece-nos :) por isso, podes dizê-lo à vontade!

bee disse...

lamechices ou não, gostei muito do texto! e não é qualquer um que admite essas suas 'fraquezas'!!

Brisa disse...

Não faço a menor ideia de quem é o Bagaço na vida real, e não importa. Sobre a personagem que aqui escreve: estou apaixonada! Não te importas? (espero que o meu homem também não :):)

Carmo disse...

Há todo um trabalho que se faz de retaguarda para aprender ou saber lidar com emoções, sentimentos and on. Provavelmente o que te retrai é uma insegurança ainda que infima lá bem no teu subsconsciente em relação a ela, talvez seja um mecanismo de defesa. Mas incomoda saber que a amas tanto e não lhe dizes, a sério que não te compreendo, só me apetece abanar-te, se me permites a franqueza. Liberta-te e diz-lhe o que sentes, naturalmente. Deixa fluir, apesar de já te teres atrevido a pronunciar baixinho 'mas eu amo-te'. Exercita-te, ou seja sempre que te apetecer dizer-lhe, não te retraias, mesmo que baixinho é mais um avanço em direcção à libertação de ti mesmo.

:)

Carmo disse...

Claro que esta crónica se aplica a uma enorme percentagem de homens, eu percebi que não és tu em concreto certo?

:)

São Rosas disse...

Mais uma pérola para o nosso blog porcalhoto ;O)

Filipe disse...

Brutal o texto, como sempre :D

bagaco amarelo disse...

olga, bebe um copo, se puderes. obrigado. :)

anónimo, obrigado. :)

estudante, acho que há homens e homens... e também alturas da vida. :)

bee, obrigado. :)

brisa, e alguma vez eu me importaria disso? obrigado. :)

carmo, actualmente não sou eu... :)

São Rosaas, obrigado. :)

filipe, obrigado. :)

Miguel disse...

Os homens não falam de amor e as mulheres não falam de sexo, que é tão importante quanto.

bagaco amarelo disse...

miguel não é bem assim. eu diria que não é nada assim. :)

Pedro Gaivota disse...

Feliz Natal.

bagaco amarelo disse...

pedro gaivota, obrigado. Bom Natal para ti também. :)

Maria Tereza Estrabon Falabella disse...

Entrei por curiosidade, pois o nome do blog é bizarro, inusitado.
Gostei e resolvi começar do começo.
Assim, há já algum tempo, leio o hoje e vou para o passado. Ainda não alcancei o presente porque não apenas leio: penso, reflito...tento entender e...me delicio.
Bom, estou aqui a sofrer suas dores e alegrar-me com suas vitórias há algum tempo.
Então, se não por você, mas por mim FALA...abre o bico põe pra fora. Não quero mais sofrer com você, quero só alegrar-me. Passei minha vida contando contos de fadas e ...acabei por acreditar neles.
Porém, abriu-se uma luz ao ler os comentários. Parece que o texto é uma cronica, não é de verdade. É isto? De verdade você fala e age. É isto?
Maria Tereza

Maria Tereza Estrabon Falabella disse...

Bom li agora é uma cronica de engate...ufa!!!!
Feliz Natal

bagaco amarelo disse...

maria tereza, obrigado. bom natal também. :)

Maria Nunes disse...

assim como alguém já aqui disse nos comentários, eu também venho quase diariamente aqui ansiosamente à procura de novo(s) post(s), porque sempre (bom, para ser mais exacta, cerca de 99% das vezes) me delicio com o que escreve, bagaco amarelo!
obrigada!

bagaco amarelo disse...

maria nunes, eu sinto-me feliz por isso. aliás, acho que preciso disso. obrigado. :)

Malena disse...

Isso é assim quando o Amor não extravasa a nossa boca! Aí, nada para as palavras e não há género distinto na conjugação do verbo Amar!
Olha para ti com a Raquel! :))))

mary disse...

Li este texto várias vezes de seguida, por ser admirável a verdade que contém nele. Principalmente por encaixar em tudo o que a pessoa que tenho hoje ao lado tenta ser. sempr eo mais forte, sempre achando que amar é fraqueza. Imprimi o texto e entreguei-lhe, na esperança que ele possa cair em si.
Foi absolutamente lindo o que escreveste!

bagaco amarelo disse...

malena, exactamente. :)

mary, obrigado. já vivi isso. :)

H. Santos disse...

Eu nunca tive vergonha/medo/embaraço de dizer que amava. Na verdade é preciso ser um durão para dizer tal frase, a medoooonha (buuhh =]) frase: "Eu amo-te".

Por vezes foi um erro dize-lo, assumo, porque o Amor assusta algumas pessoas... Mas agora, encontrei alguém que não tem medo dele e olha o Amor de frente xD

Bom texto amigo, eu acho que toda a gente devia ler textos destes, abre o uma crónica no correio da manhã ;)

bagaco amarelo disse...

h. santos, obrigado. É verdade que o Amor, tal como ele é, assusta algumas pessoas. :)

Wild Things disse...

Era só para dizer que fiz um post com uma ligação para este texto.. uma espécie de resposta :)

Ritinha disse...

Sabes, a minha relação era completamente ao contrario da tua, ele dizia.me com toda a facilidade(mas sempre sentido) "Amo.te" e eu sempre tive dificuldade em dizer o que sentia.

Curioso, eu sou uma pessoa que diz tudo o que pensa, mas que era incapaz de dizer tudo o que sentia.

Agora já o digo abertamente e sem problemas, e lá porque ele tem mais facilidade em exprimir o que sente eu não o acho mais fraco, nem menos homem, aliás ele é bem mais forte que eu e para mim é um bom exemplar de homem, já estou com ele há 6anos sei do que falo, ensinou-me o que é amar, e ensinou.me que a vida é curta e temos de dizer tudo o que sentimos!

Adorei o teu blog!

Xoxo Ritinha

quem? disse...

uau. descobri hoje o teu blogue. sim senhor.

bagaco amarelo disse...

wild things, vou lá ver. :)

ritinha, obrigado. :)

quem?, obrigado. :)

Ana Luísa disse...

que texto espectacular!! Obrigada :)

bagaco amarelo disse...

ana luísa, eu é que agradeço. :)