8.04.2015

conversa 2145

Ela - A minha filha adormeceu...
Eu - Pois...
Ela - Agora estamos por nossa conta. Vou abrir uma garrafa de vinho...
Eu - Okay!
Ela - Preferes Alentejo ou Bairrada?
Eu - Qualquer coisa...
Ela - Este é o momento em que bebemos um copo e, se tu não fosses tu, eu tentava levar-te para a cama.
Eu - Tentavas levar-me para a cama se eu não fosse eu?
Ela - Sim. Ando mesmo a precisar disso.
Eu - Qual é o problema de eu ser eu?
Ela - És meu amigo há vários anos...
Eu - Ah!
Ela - Já passou o prazo, percebes?!
Eu - Mais ou menos. Diz-me uma coisa: e se eu deixar de ser teu amigo, há alguma hipótese?
Ela - Não. Tarde demais.
Eu - Pronto! Era só para saber...
Ela - Não te preocupes, tenho aí mais vinho...

7 comentários:

paula disse...

compreendo perfeitamente.
há amizades importantes de mais para serem colocadas em risco ao partir para o sexo. não pelo ato em si. mas porque depois poderia não voltar a não ser a mesma coisa e não quero esse risco. ao contrário do que ela diz não o faço porque já passou o tempo posso apaixonar-me por essa pessoa depois de já ser amigo dela, afinal o amor tem tantos mistérios. faço-o por amor. faço-o porque a amizade é mais importante que isso.

Maria Varredora Pau de Vassoura disse...

E se em vez de uma garrafa, abrirem duas?

Ahahahahaha ...adorei

Bagaço Amarelo disse...

paula, está decidido. não faço mais amigas. :)

Maria Varredora Pau de Vassoura, não me tentes. :)

paula disse...

bagaço amarelo, não sabes o que perdes. xb

Bagaço Amarelo disse...

paula, o meu problema é saber o que perco. :)

Teresa Costa disse...

Se soubéssemos "amar-nos" sem trazer sempre para cima da mesa tanto mais do que o amor em si, não seria a vida muito mais simples?
Não creio é que mesmo que tal se consiga nos possamos considerar todos muito mais felizes, mas há dias (ou noites) em que parece uma solução ideal ;)

Bagaço Amarelo disse...

Teresa Costa, sim, é isso. :)