8.21.2015

amanhecer

Vi o dia nascer mais uma vez. Precisei de o ver nascer vários dias seguidos para perceber que o Pôr do Sol é injustamente mais famoso do que o Amanhecer. Tudo se deve à estatística. Na maior parte da nossa vida estamos acordados quando o Sol se põe, mas estamos a dormir quando ele nasce.
A maior parte dos habitantes da Terra, quando dá pelo Sol de manhã, já ele nasceu. Já o Pôr do Sol é alvo de todas as atenções. Juntamo-nos na orla costeira, no alto duma montanha ou numa estrada infinita para assistir à sua lenta despedida.
É por isso que o Amanhecer sofre duma injustiça tão injusta como o Amor. Quando damos por ela, já estamos apaixonados. Acordámos assim e nem percebemos, pronto. Por outro lado, um Amor que se põe na linha do horizonte é sempre mais lento e escurecedor.
Às vezes acho que os Amores acabam porque somos incapazes de amanhecer frequentemente. E este texto era só para te dizer que amanheço contigo todos os dias antes de me deitar, mesmo que tu não estejas.


8 comentários:

Anónimo disse...

Eu sempre tive a ideia que há muitos amores que acabam, porque nunca chegou a ser Amor, aquilo que começou. Como também há muitas coisas semelhantes ao Amor, que duram a vida inteira. Esquisitices de quem vê o Amor como uma jóia rara.

Bagaço Amarelo disse...

anónimo, pois... só que um Amor que nunca o foi não pode acabar... se nunca começou. :)

Anónimo disse...

:) Verdade. Excelente resposta.

Bagaço Amarelo disse...

anónimo, :)

Terapia das palavras... disse...

bonito.."mas triste!"

Bagaço Amarelo disse...

Terapia das palavras.... obrigado. :)

Marguinha disse...

Sempre achei que o Amor era fruto da nossa vontade, a imagem do outro era criada por nós, e por isso o amávamos porque na realidade ele era criado no nosso ideal. Claro que depois começam a surgir lacunas e "incorrespondências" na nossa criação, eis que surge a desilusão, e eis que sofremos muito porque afinal o nosso "amor" está a correr mal, tem defeitos, e não é assim tão bom. Enfim, quando esse amor vai embora afinal sentimos que não é assim tão mau, com ele também foram as coisas que não correspondiam ao ideal, morreu a ideia e isso foi o pior. Mas temos criatividade suficiente para criarmos muitas ideias :)

Hoje em dia, finalmente encontrei o AMOR e a verdade é que não é nada de ideias, não podemos controlar o que gostamos, como gostamos e quem gostamos!

Bagaço Amarelo disse...

Marguinha, ainda bem. :)