9.01.2011

quatro

Em primeiro lugar uma meia verdade que não é uma meia mentira: a violência doméstica atinge ambos os géneros. Agora uma verdade inteira: as mulheres são as principais vítimas da violência doméstica. Em menos de uma semana foram assassinadas quatro em Portugal.
A violência doméstica precisa de dois ingredientes: uma vítima e um cobarde filho da puta. Foram esses dois ingredientes que se misturaram nestes quatro casos e que se misturam continuadamente um pouco por todo o país.
A vergonha é a máscara que encobre este tipo de violência, e é ela que devia estar só do lado do agressor. Mas não está por uma razão muito simples: os cobardes filhos da puta não nunca têm vergonha. Tenho dito.

19 comentários:

Anónimo disse...

os cobardes até podem ter vergonha ou não. mas a vitima é que nunca pode ter vergonha. além do mais, deve fugir de quem apresenta sinais o que até se pode ver em fases de enamoramento, a agressividade para com os outros, os animais, crianças, e ódio pelos outros... tudo isto são sinais de pessoas intolerantes e/ou violentas. Mas como é que se pode gostar de alguém que é violento para outros, mesmo que não seja drigido a nós ( mas na pratica acaba-se por aceitar isto o que se virar contra nós um dia)quem não faz nada para combater a violência é também uma maneira de ser violento.
há muitas mulheres que deviam aprender definitivamentre que o amor nada tem que ver com bater, que é preferivel estar só, do que ter alguém que de vez em quando até dá uma estalada ou um empurrão, e deviam ter coragem para aprenderem isto de uma vez por todas. O estranho é porque não o fazem!!

Malena disse...

E tens muito bem dito! Cobardes filhos da puta é pouca para os classificar!

Até deixo o habitual sorriso mais abaixo... :)

Malena disse...

E tens muito bem dito! Cobardes filhos da puta é pouca para os classificar!

Até deixo o habitual sorriso mais abaixo... :)

Porque um dia me perdi... disse...

Sou obrigada a concordar. Não se entende como se encara tudo isto com passividade. 4 numa semana ...onde vamos parar?

Cármen disse...

Há algo de muito errado e pouco compreensível na minha cabeça relativo à violência doméstica. Sempre que um caso destes é do meu conhecimento, uma série de perguntas são imediatamente formuladas cá dentro, mas nunca consigo obter resposta.
A primeira é: como é que alguém é capaz de aguentar agressões domésticas sem as tentar travar? Muitas vezes têm vergonha, mas como é que alguém prefere abster-se de denúncia e levar porrada a tomar uma atitude corajosa que a poderá livrar de uma grande infelicidade? Outras vezes têm esperança de que o agressor mude de atitude, mas se essa pessoa chega ao ponto de bater em alguém que lhe é íntimo é porque perdeu o total respeito pela dignidade da vítima (se é que alguma vez o teve), o que significa que essa situação se repetirá, ainda que se trate apenas de violência verbal.
Outra coisa de que interrogo é: porque é que insistem numa relação violenta? Como é que podem achar que é típico do amor haver conflitos tão drásticos? Porque é que continuam a alimentar uma relação que já está mais do que estragada? Como é que podem ter esperança na superação deste golpe? Como é que podem gostar de abraçar, beijar e cuidar de alguém, quando a memória da agressão nunca se apaga? Porque é que insistem em ser infelizes?
Finalmente, pergunto-me: se o agressor foi capaz de chegar a este ponto deve ter mostrado tendências de agressividade antes da relação, não? Não conhecem as pessoas com quem se relacionam? Então porque é que se relacionam com elas, se não as conhecem? E, se as conhecem, porque é que se envolvem com elas?
A estas perguntas nunca obtenho respostas - não pelo menos coerentes. Frustrante.

bagaco amarelo disse...

anónimo, concordo. :)

malena, :)

porque um dia me perdi, exacto. :)

cármen, também me pergunto isso. mas acho que todos nós temos as nossas fragilidades, uns mais que outros, e a resposta passará sempre por aí. :)

Cármen disse...

Eu sei, também eu já fracassei. Só não consigo compreender é quando é algo contínuo, repetido...

Salsa disse...

Existem muitos culpados e aquele que eu aponto com mais facilidade, não porque goste de facilitar mas sim porque é aquele que me salta sempre aos olhos cada vez que presencio uma situação destas "são as mulheres".
porque são agredidas e gostam, caso não gostassem de ser agredidas abandonavam o agressor e mudavam de vida, porque vezes sem conta provocam a situação por palavras, quando o homem chega a casa bebado o que menos precisa é de estar a ouvir a mulher aos berros a discutir com ele.
Agora digo cobardes são as mulheres depois de serem agredidas muitas delas com lesões permanentes chagam junto do Ministério publico e dizem que não querem nada do agressor.
Filhos da puta são todos aqueles homens ou mulheres que fazem mal físico e psicológico a crianças e idosos pessoas que deviam proteger e acarinhar, mas muitas vezes são vitimas sem direito de opinião.
4 mulheres foram assassinadas em Portugal em menos de uma semana, quantos deste 4 casos ja estavam identificados e o que as mulheres fizeram!? NADA, as mulheres tem que deixar de viver sobre a capa das coitadinhas e serem mulheres com letra grande, tem tudo para que isso possa acontecer.

Este meu comentário vai gerar algum mal estar entre os leitores mas quando falo assim falo com conhecimento de causa, peço desculpa aos mais sensíveis, mas eu também tenho a minha sensibilidade pessoal e o passado nunca pode ser descurado num caso de violência domestica.

Olga disse...

O homicídio foi o capítulo final do trabalho árduo que estes filhos da puta montes de esterco fizeram sabe-se lá durante quantos anos. Torturaram física e psicológicamente as vítimas de modo a que elas perdessem de vez a auto-estima e se tenham convencido que não mereciam destino melhor. Acho que esse talvez seja um dos motivos porque elas "permitem" ao filho da puta monte de esterco continuar a agredi-las.

Fatyly disse...

e algumas delas continuam a ser perseguidas, mesmo depois da sentença... por esses filhos da puta.

Ninguém entende e só quem está dentro "dela" é que entende e eu sei do que falo porque fui durante quase 20 anos sofri violência psicológica da grossa...até ao dia em que me tentou bater, mas em vão. Já lá vão outros 20, morreu há 12 e ainda hoje pergunto a mim própria como fui capaz de amar um homem que nunca me amou. BURRAAAAAAAAAAAA e mais BURRRAAAAAAA porque ninguém muda ninguém e portanto criticar é muito fácil, damos receituários a todos...mas a sociedade por vezes põe o televisor mais alto para não se incomodar.
Eu não...se oiço é trigo limpo.

Eu atenta a um caso bem perto, já lá vão 4 anos em tribunal...agora não bate porque pedi ao juiz para assistir ao julgamento (a minha mãe foi uma das testemunhas dela)...e o gajo sabe bem que há quem a defenda, a aconselhe porque todo o cuidado é pouco.

As associações falham, a vizinhança falha, a família foge...e a vitima vê-se completamente perdida e ir para onde se todas as portas foram fechadas? Em vez de retirarem as vitimas da residência, deveriam retirá-los a eles e enfiá-los "no raio que os parta".

Mas atenção, que também é elevadissima a percentagem de "falsas denúncias" e até quem passe por vitima só para o lixar".

Sociedade e políticas de merda!

bagaco amarelo disse...

cármen, eu também não compreendo... mas não me ponho em bicos de pés... :)

salsa, o culpado é o agressor. o resto pode precisar de uma explicação complexa, mas não é assim tão simples. :)

olga, sim, o pior é essa continuidade. :)

fatyly, eu também... se oiço é trigo limpo. :)

João F disse...

Não compreendo aqueles que querem "agarrar" uma mulher pelo medo e violência em vez do coração...

Cármen disse...

Pois. Falar consegue ser relativamente mais fácil do que agir.

Anónimo disse...

o salsa, culpabiliza as mulheres e quem pratica o acto, é desculpável o seu comportamento?! quem pratica o acto, é porque o quer fazer, e só isto basta para ser punido e censurado pela sociedade!! Também concerteza, que se alguém no trabalho , se põe aos berros ou com termos verbais que não se gosta, o homem desata aos murros ? se não, então é porque o pode evitar! claro que dentro de 4 paredes é mais fácil ?!

E a provocação das " mulheres " nunca pode ser desculpa para a violência, porque então tudos os outros crimes são desculpáveis!!
Porque fazes a comparação com crianças, será que quem abusa sexualmente de crinaças ou menores, se alegar que a criança estava nua, que isso justifica o abuso sexual?! parece-me que não!!
do teu prisma então também este crime seria desculpável correcto... ?! parece que não!!

Quanto às vitimas maiores, têm que preceber, que é melhor, viver com menos dinheiro, conforto ou o que quer que seja, em troco de ter um homem.
mas é um caminho pessoal, que só com inteligência e coragem se faz. algumas com o tempo fazem-no, outras não, infelizmente para elas...

memyselfandi disse...

Olha, Bagaço, a minha indignação pelo facto foi tanta e tão grande (sê-lo-á sempre que acontecer), que até tive de escrever algo mais sobre... no espaço de uma semana quatro assassinadas...

Anónimo disse...

Concordo a 100%.

EJSantos

bagaco amarelo disse...

joão f, nem eu. :)

cármen, é isso, sim. :)

anónimo, obrigado. :)

memyselfandi, :)

ejsantos, :)

Salsa disse...

Anonimo, quando culpabilizo as mulheres culpabilizo-as por inercia da parte delas, as mulheres tem de deixar de ser umas coitadinhas e passarem a ser mulheres mas mulheres de verdade.
quando falo de crianças e idosos falo no contexto de violência domestica, que foi uma coisa que eu durante muitos anos vi muito e pouco ou nada pode fazer durante anos, esses sim são aqueles que a sociedade se devia preocupar porque não tem opção nem possibilidades de viver de outra forma e quem se devia ocupar destas situações grande parte das vezes olha para o lado e diz que não viu.

Anónimo falas como se eu tenta-se desculpar o agressor, mas nunca em situação alguma da minha vida defendi um agressor de mulheres, idosos ou crianças, no entanto passaram pela minha vida diversas situações em que as mulheres mesmo depois de agredidas e bem agredidas continuavam a coabitar com os agressores por isso eu dizer que muitas mulheres gostam de ser agredidas, situações outras em que eram agredidas e depois em tribunal diziam que não queriam que o agressor fosse punido, em menos de um mês estavam outra vez com um enxerto de porrada em cima.
o homem e a mulher são seres de hábitos e desengane-se quem pensa que um agressor alguma vez muda.

Mas ao longo dos meus anos de vida são maioritariamente em que vi mulheres sem vontade de serem felizes, sem vida própria, o porque de terem esse comportamento!? talvez pelas razões que enumeras, mas eu considero por estupidez própria e por covardia.

Anónimo tu falas em pedofilia, pedofilia é um crime hediondo que muita gente tenta considerar uma doença, muitas vezes associado a violência domestica, mas no meu entender nada tem a ver com a mesma e que deveria ser punido convenientemente e não como vários casos mediáticos que temos assistido aqui em Portugal em que o pedófilo apanha meia dúzia de anos quando destruiu a vida de uma criança. Não a muito tempo existiu um caso na zona do porto em que a criança ainda foi recriminada por andar nua junto do pedófilo, como se uma criança alguma vez pudesse ser culpada dos atos de um adulto.

bagaco amarelo disse...

salsa, concordo com o que dizes, mas também acho que não se deve responsabilizar a vítima de uma agressão, embora até ache que de facto não é isso que queres fazer. :)