9.16.2011

pensamentos catatónicos (258)

Eu, homem, cobarde me confesso.

Uma mulher nunca acredita na desculpa que um homem lhe dá quando acaba um namoro com ela. Pode fingir que sim, que acredita. Mas não acredita. A razão é muito simples: nunca é verdade. Só há uma coisa capaz de segurar um Amor, que é Amar, e um homem nunca diz que já não Ama. Tem medo. Não dela, da mulher, mas dele mesmo e da sua incapacidade de viver um Amor a sério. Eu, homem, cobarde me confesso.
As mulheres não entendem porque é que os homens fazem isto, embora saibam que o fazem. Não entendem porque elas fazem-no sem problema nenhum. A mim já mo fizeram. Ela chegou ao pé de mim enquanto eu tinha a chaleira ao lume e disse-me que já não me Amava. O chá levantou fervura e apagou o seu próprio fogo, tal como me acabara de acontecer a mim. Admiro a mulher que fez isso. É de homem, embora apenas as mulheres o façam.
Também já acabei relações, namoros e coisas a que nem sei bem o que chamar. Nunca o fiz da melhor maneira. Uma vezes disse que não me sentia bem e precisava de tempo, outras vezes disse que sou um solitário por natureza. Outras ainda, as piores de todas, escondi-me num manto de silêncio e saí de fininho. Nunca fui capaz de dizer "Não te Amo", embora o tenha ensaiado inúmeras vezes. Eu, homem, cobarde me confesso.
Com a idade aprendi a nem sequer chegar lá, a esse ponto em que se tem que dizer que se Ama ou não alguém. É na mesma uma estratégia fugitiva, uma cobardia, mas pelo menos por caminhos mais transparentes. Esta coisa da obrigação depois do sexo é o mais difícil. Um homem enfia-se na cama duma mulher durante a noite e não sabe o que fazer na manhã seguinte. A estratégia passou a ser esperar pelo sinal dela, para embarcar na sua desresponsabilização do acontecimento ou então para fugir logo. Na primeira vez é legítimo fugir, não é? É. Até se pode dizer que foi bom mesmo que não tenha sido. O verbo ser no pretérito perfeito é mortal. Foi, e o que foi não volta a ser.
O que um homem não aprende com a idade é a não estar apaixonado. As mulheres, por seu lado, já nascem ensinadas. Não estão apaixonadas e esperam calmamente que lhes aconteça. Lêem um livro, vêem um filme, ouvem uma música ou tiram esse tempo da não paixão para dormir. Um homem esperneia na sua imensa solidão. É por isso que finge que se apaixona, a ver se acontece mesmo. Mas nunca acontece. Até um dia, claro, um dia que pode tardar. Nesse dia é o primeiro a dizer que Ama e é quem o diz mais vezes. É de mulher, embora apenas os homens o façam.

61 comentários:

Pedro Gaivota disse...

Há miudas que se "vestem" de adereços e adornos para se sentirem bem e há as que passeiam a sua natural beleza... Assim como há os que "engendram" testos muito elaborados na procura da eloquência e da poesia e aqueles que natural e despretenciosamente escrevem coisas sentidas, qiue fazem sentido e que fazem sentir... tu és um deles Pá! Gosto do que escreves.

Abraço

Ana disse...

=')

bagaco amarelo disse...

pedro gaivota, obrigado. :)

ana, :)

BlueBlood disse...

Hoje não acordei muito bem :/
Todos temos dias assim, acho eu.
Passei uma noite mal dormida, em parte a pensar um pouco sobre o tema deste texto.
Como todos os dias acontece, venho ler os blogs que gosto, e hoje não foi excepção. Deparo-me com isto e não pude deixar de te felicitar e agradecer :)

Parabéns por esta tua capacidade de escrever, de falar em Amor e de inseri-lo em qualquer tema.
E obrigada, por tornares estes textos públicos e de nos (a mim e a todos os que lêem) deixares gozar destas tuas palavras!

jmdamas disse...

Bom texto bagaço, em especial o último parágrafo. abraço!

TLD disse...

Carai Bagaço......este foi, no que toca ao tema, o post em que mais me revi desde sempre. Podia ter sido perfeitamente eu a escrever isto (se soubesse escrever como tu o fazes) com a excepção do termos medo de amar. Não me parece que seja por aí.

Eu nunca acabei, também, uma relação de forma decente. Verdadeira, pelo menos. Nunca o fiz por não querer magoar (e acho que um "já não te amo" pode ser, não estando à espera, uma coisa extremamente violenta de se ouvir) alguém que terá sido muito importante na minha vida e pela qual sinto um carinho enorme. E assim sendo arranjei 1001 desculpas e modos de o fazer que, às tantas, até acabaram por provocar mais danos do que a verdade o faria. Um cobarde. E um merdas. É o que sempre fui.

NiceGirl disse...

Gostei muito!

sendyourlove disse...

Admiro um homem que se assume, que se conhece e vive bem consigo mesmo... podes ainda não compreender totalmente as mulheres, nem nós nos percebemos completamente, mas estás no bom caminho para conviveres muito bem com elas...
O texto está fantástico... parabéns!

Fatyly disse...

Olha que é raro alguém tirar-me o pio...conseguiste porque me identifiquei nas tuas palavras.
Digo-te apenas que essa atitude por parte do homem, na minha opinião não é cobardia...e continuo sem pio:)

bagaco amarelo disse...

blueblood, eu é que te agradeço. :)

jmdamas, obrigado. lá está, o último é de mulher. :)

tld, estava a tentar não me chamar um merdas, mas sim, também é isso que eu sou. :)

nicegirl, obrigado. :)

sendyourlove, obrigado. conviver é o que eu quero... compreender é melhor não. :)

bagaco amarelo disse...

fatyly, sem pio costumo ficar eu. :)

TLD disse...

Temos de assumir o que somos, não é? Sou um merdas mas procuro ser um bocadinho menos todos os dias. Isto há-de ter algum valor,não?? ;)

Fisalis disse...

Este pensamento é um lavar de alma, considero-o muito claro e bem arrumado. Um bom entendimento do que é ser homem, e ser mulher na Sociedade actual.Sim as mulheres já nascem a saber amar diria mais, está inscrito no nosso ADN.penso que os homens amam as mulheres, estão com as mulheres abandonam as mulheres e ás vezes são abandonados.

bagaco amarelo disse...

tld, claro que tem, claro que tem... conhecermo-nos tem sempre todo o valor. :)

fisalis, às vezes... o que a mim me parece ser muitas vezes. :)

lolita disse...

perfeito :)

RudeBitch disse...

Podias mudar o título do teu blog para "Só compreendo os homens"... mas isso se calhar ia-te custar mais uns quantos "seguidores" :)

Anónimo disse...

5 estrelas!! adorei...para não variar:)

diz-me só uma coisa: onde, como ou com quem aprendeste a conjugar, tão bem, as palavras?

Daniela

Anónimo disse...

o homem é o primiero a dizer que ama, porque sucumbe mais rápidamente ao cupido!
é por isso que, quando se apaixona é mais rápido!
a mulher para se apaixonar, tem que sentir várias coisas!, ao homem talvez baste para se apaixonar a beleza, e sensualidade, talvez coisas mais banais! porque o seus sentimentos são vividos mais superficialmente!
mas há muitas excepções.

e dp há sempre a velha confusão entre paixão, sexo, aventura, e carinho, com o amor!! isto para ambos os lados.

e claro tentar esquecermo-nos de nós, fugindo para o mundo de outro.

have fun!

Senhor Geninho disse...

Vá-se lá perceber os homens... xD

bagaco amarelo disse...

lolita, :)

rudebitch, lol. com certeza que sim. :)

daniela, obrigado. nunca aprendi... ando a tentar agora aprender. :)

anónimo, obrigado. :)

senhor geninho, lol. :)

redonda disse...

Eu estava a pensar que as mulheres também o fazem (esconder com outros motivos a falta de amor).
Depois comecei a pensar se para alguns de nós, não será mais fácil ouvir outros motivos que não a verdade.
E por fim lembrei-me foi da música de Simon/Garfunkel "50 ways to leave your lover"

bagaco amarelo disse...

redonda, na verdade acho que não há nada que facilite a perda de um Amor... talvez o álcool, mas mesmo assim tenho dúvidas. :)

Sorriso de Menina disse...

Fantástico! Realmente os homens vão-se entretendo com a mulher errada até pensarem que encontraram a certa!
Concordo quase em absoluto com o texto_zinho :), porque as mulheres nunca acreditam nas mirabolantes desculpas esfarrapadas dos homens mas a maioria dos homens pensa que as meninas acreditam, e continuam a fazê-lo.
Tenho é que discordar com o jmdamas e o Bagaço, porque não concordo com parte do último parágrafo! Quem vos disse que as mulheres não dizem vezes sem conta que amam? Muito mais que os homens, desculpem lá... :P

bagaco amarelo disse...

sorriso de menina, :)

Ana, Dona do Café disse...

oh, que mania de nos entenderes!
ando a aprender a lidar com uma cobardia dessas, ainda não cheguei a conclusão nenhuma...*sigh*
beijinho

Menino da Mamã disse...

Disse-o há duas semanas. Não disse 'já não te amo', porque nunca amei, mas disse 'já não sinto o mesmo por ti, já não gosto de ti da mesma maneira'. Joguei seguindo todas as regras do manual. Fiz tudo certinho. Mas disse-o. Não só porque era verdade, mas também - e acima de tudo - fi-lo por mim, e porque achei que o devia à pessoa em questão. Resolvi ser honesto. Nem cobarde, nem corajoso.

Giovana disse...

Eu achei MUITO legal essa inversão que vc fez: por exemplo, colocou como comportamento de um homem um comportamento o qual a sociedade diz que é tipicamente feminino, como mostra o último parágrafo.
Aliás, o texto todo derruba preconceitos e clichês fincados por tanto tempo na nossa cabeça a respeito de comportamentos feminino e masculino, assim como sobre relacionamentos.
Muito bom!

Beijo

Iolanda Ribeiro disse...

É das melhores reflexões que já pude ler ...
Parabéns pela forma exímia como nos apresentou este tema :)

mary disse...

Acho que é a primeira vez que me revelo totalmente contra ao que escreveste! Nao totalmente, disseste umas boas verdades, e como sempre so escreveste coisas bonitas. Mas a minha (curta) experiencia de vida faz com que esse ultimo paragrafo me faça especie. As mulheres, talvez nao vou generalizar e vou falar de mim, eu nao espero enquanto nao estou apaixonada. Parece que me falta o chão se não sinto borboletas no estomago por alguma coisa, por alguem. Procuro em todo o lado e saio todos os dias de casa crente que é hoje que vou encontrar o amor da minha vida. E nunca é hoje. Quando acho que os encontro, apaixono-me tao rapidamente que eu propria estranho. Ate hoje nunca um homem me disse amo-te primeiro e nunca o disse, certamente, mais vezes que eu. Acho que o teu post nao deveria falar de homens ou de mulheres mas sim de pessoas apaixonadas. Isso sim, é quase padrão!

mary disse...

esqueci-me tambem de dizer que ainda ha uns dois ou tres meses a minha melhor amiga ficou sem namorado. ele chegou e disse-lhe simplesmente que ja nao estava apaixonado. assim, sem mais nem menos. gabo-lhe a coragem, porque eu nao a teria! ;)

bagaco amarelo disse...

ana dona do café, eu ia dizer que nunca se aprende. mas não sei... beijinho. :)

menino da mamã, boa. :)

giovana, obrigado. :)

iolanda ribeiro, obrigado. :)

mary, eu não escrevo verdades. escrevo as minhas verdades. tenho consciência disso. disso e de que o mundo é bem maior do que eu :)

Anónimo disse...

Texto simplesmente fantástico! Adoro a forma como brincas com as palavras e é impossível não nos revermos, de alguma forma, nelas.

Estou neste momento a aprender a lidar com essa cobardia masculina de que falaste e, apesar de dizerem que as palavras podem ser balas, o silêncio dói ainda mais.

É um prazer ler-te!
Beijinhos

Cármen disse...

Eu, mulher, cobarde me confesso.
A tua expressividade é uma coisa louvável. Gosto mesmo de te ler! :)

Ana disse...

Na minha opinião,é sempre preferível ouvir um não te amo mais,ou já não me sinto bem contigo, do que fugir.

Desculpas mal dadas só servem para mais sofrimento e mais horas desperdiçadas a pensar “ Mas o que terei feito eu de mal?”.

Adorei o texto, identifico-me na perfeição com ele! Ana

bagaco amarelo disse...

anónimo, força nisso, então. e obrigado. :)

cármen, obrigado. é bom saber que não sou o único, apesar de tudo. :)

ana, na minha também. obrigado. :)

martinha disse...

Como compreendo este texto.
Como magoa ouvir uma "lista" de razões e não acreditar em nenhuma delas, mas ter de dizer que sim ou é-se confundida com uma "dramática doida que não aceita o final de uma relação". É a mentira disfarçada.
Como custa tentar compreender a origem da ausência do sentimento.

Como dói, muito, muito mais, ouvir desculpas esfarrapadas sem que haja a decência da honestidade, e andar a dar voltas à cabeça a tentar perceber "onde é que eu errei?" ou "que mal tenho eu?" ou "porque é que acontece comigo, pensava que tinha feito tudo certo desta vez.."
Como é tão menos doloroso, a médio prazo, saber a verdade e começar a aceitá-la, a sarar a ferida, do que o tempo infinito (que parece ter cada dia) sem saber o que realmente se passa ou passou, com as dúvidas constantes, com a esperança que algum dia a situação mude, mas apenas resulta numa desilusão maior e numa dor que marca, que se torna em cicatriz. As cicatrizes do desamor.
E chegar à triste conclusão que a verdade é nunca te sido amada por tal pessoa, pois se um dia afirmava "amar", ser "a pessoa que o completa", sentir "algo que nunca senti antes" e pouco tempo depois sentir o oposto e mascará-lo como uma desculpa qualquer. Ou até aceitar uma que talvez nem a seja, ter de "inventá-la" para acabar com a esperança que afunda o coração, dia após dia, um bocadinho de cada vez, numa ilusão de um amor que retorna, mas não acontece.

Um homem que age assim não tem a consciência do que a falta de honestidade pode provocar a uma mulher. Dos estragos, da dor, da destruição que causa. Da impossibilidade ou o quanto lhe torna difícil curar o desamor que causou. A recuperação é mais lenta e dolorosa desta forma.
Homens de verdade, são os que não têm medo de o fazer, pois sabem que a mentira dói muito mais, e que dizer um "já não te amo" é tão menos destruidor.

É um homem de verdade que cada mulher espera encontrar, não um "homem perfeito". É um homem de verdade que eu quero.

Lily disse...

Peço desculpa, este comentário era daqui...
Devo ter-me enganado e foi parar ao anterior.

Acho que não há nenhum boa maneira de acabar "relações, namoros e coisas a que nem sei bem o que chamar", quando não é de consentimento mútuo...(parafraseando o Sérgio Godinho)

Anónimo disse...

Escreves tão bem bagaço..não páres vale?

:-)

Joana Neto disse...

De facto, este post é certeiro. Quando se trata de amor é difícil encontrar as palavras certas.. :)

Nessa disse...

Esta música deve adequar-se ao texto.

Carlos Ramos - Não venhas tarde

http://www.youtube.com/watch?v=t1W-mJi9d2c

bagaco amarelo disse...

martinha, é isso mesmo. obrigado pelo texto. :)

lily, na boa. mas há maneiras piores e melhores, mesmo assim. :)

anónimo, obrigado. :)

joana neto, e desAmor também. :)

nessa, gosto desta música. :)

Anónimo disse...

Acobardamo-nos homens ou mulheres porque "Já não te amo" não é fim de conversa, é início...Desde quando? Como? E alguma vez amaste?

bagaco amarelo disse...

anónimo, :)

Filipa P. disse...

"o homem é o primiero a dizer que ama, porque sucumbe mais rápidamente ao cupido!
é por isso que, quando se apaixona é mais rápido!
a mulher para se apaixonar, tem que sentir várias coisas!, ao homem talvez baste para se apaixonar a beleza, e sensualidade, talvez coisas mais banais!" Concordo plenamente...mas, e se, depois de irem viver juntos (1homem e 1mulher), e depois de verem como são os habitos diários, depois de alguns amúos ou zangas, que a mulher expõe, e o homem absorve, ele começa a ficar mais desligado, a já não chamar coisas fofinhas (como fez durante 5 anos e definiam o amor que sente(ia)), e cada vez que a muler tenta falar sobre isso ele não quer conversa... Porque precisa de pensar.Até que, entre choro da mulher, ele lá diz que não chama porque tem dúvidas acerca da paixão inicial...as certezas que tinha já não tem e só o tempo a trará...(?) Como reagir? Claro que as coisas no início são sempre óptimas, paixão acesa...mas ouvir que as certezas que sempre disse já não estão lá...é duro! Conselhos... :) Desculpa a intromissão e o testamento! Ups...

bagaco amarelo disse...

filipa p, não tens que pedir desculpa. até agradeço a tua opinião/testemunho. :)

Anita disse...

Bagaço,
aproveitando a tua confissão, eu tb me confesso. Eu nunca acabei uma relação de forma decente, aliás, nem sei se há uma forma "decente" de dizer a alguém que já não se gosta o suficiente para estar ali.
Ao ler o teu texto, juro que me senti um bocado homem [às vezes o meu cromossoma Y ataca-me]. Também eu me "apaixono" na esperança de isso acontecer, mas nada! Ainda não chegou o dia em que não tenha de arranjar desculpas e que me apeteça ficar...
:)

bagaco amarelo disse...

anita, é isso mesmo, sim... já andei com essa sensação tanto tempo... obrigado. :)

Sorriso de Menina disse...

Pois então tenho uma coisa a dizer, nunca me acobardei para dizer que não amo. Disse por achei correcto fazê-lo. Prefiro isso a enganar com "falinhas mansas" porque já me levaram em lume brando e sinceramente preferia que tivessem tido "tomates" (lol) para mo terem dito. Mas não, ouvi um "temos de dar um tempo". Mas qual tempo? Eu não sou de tempos,nem acredito nisso. Ou se gosta ou não se gosta.
Mas tudo tem prós e contras e a sinceridade, por incrivel que pareça, é mais mal vinda do que uma mentirinha agradável.
Não vos parece que a maioria das pessoas gosta de ser enganada?? Ou são coisas da minha cabeça?

bagaco amarelo disse...

sorriso da menina, é a distância entre o que se acha que se deve fazer e o que se consegue fazer de facto. :)

Filipa P. disse...

Obrigada :) Mas diz-me de tua justiça...quando o homem muda, é porque já não ama...ou porque o hábito de morar juntos traz esse comodismo de não ter de dizer amo-te tantas vezes?... Ás vezes apetece-me atirar tudo para o ar e fugir...mas sei que não encontraria melhor que ele.Que é muito bom, mesmo assim...E eu amo. beijinhos

bagaco amarelo disse...

filipa p, eu gostava de saber responder a isso, mas era preciso que eu próprio me fosse mais claro. e não sou. tenho a certeza que vais acabar por decidir o que é melhor para ti... :)

Nonsense disse...

boa noite

cheguei aqui por indicação de um amigo virtual, adorei o blog....quero pedir autorização para partilhar este post, com as devidas referencias a "de onde vem"...posso?

bagaco amarelo disse...

nonsense, até agradeço. obrigado. :)

Sofia disse...

adorei o texto :)
posso linkar?

**

bagaco amarelo disse...

sofia, claro que sim. eu agradeço. :)

Cristina disse...

A pior desculpa de todas é mesmo: “preciso de tempo”. Tempo para quê? Quem ama não precisa de tempo. Quem ama, não silencia ou desaparece. Mas até lhes dá jeito desaparecer, silenciar e fugir… Ao menos assim vivem como querem, com quem querem.
“Preciso de tempo”. Tempo para quê? Tempo para se acharem, desculpam-se eles.
E depois quando se cansam desse tempo regressam. “Ah, e tal, estava errado, mas agora já coloquei as ideias no lugar… “
Pois, mas agora é tarde. Pois de tanto tempo que nos deram, acostumámo-nos a viver sem aquele que afinal não nos merece…
Abram os olhos meninas!
E vós homens, deixem-se de ser cobardes e criançolas.
É muito preferível dizer sempre a verdade, ainda que ela doa cá dentro… Ao menos com a verdade, abrimos mais depressa os olhos e talvez o sofrimento seja num espaço de tempo mais curto. Afinal, não vale a pena sofrer por quem não nos ama, certo?
Um Feliz Natal a todos, e que a Verdade, honestidade e bondade inundem os vossos corações, não apenas no Natal, mas em todos os restantes dias do Ano.
Sejam íntegros!

Anónimo disse...

Acabei de ler este post, já não vinha aqui há vários meses. Não resisto a perguntar: e quando uma mulher diz a um homem (que está do outro lado do oceano) que já não o ama e ele insiste que sim, que sente que sim?
Às vezes a sinceridade não chega.
Como explicar a alguém que acabou?

Parabéns Bagaço, gostei muito de te reler.
Catarina

Anónimo disse...

Posso pedir um post? Volta a este assunto por favor :-) e eu volto cá mais assiduamente, palavra de
Catarina :-)

bagaco amarelo disse...

Cristina, :)

Catarina, de repente pareceu-me que andas a fugir de alguém. Acredito mais no que alguém sente sobre si mesmo do que sobre outra pessoa qualquer. :)

Anónimo disse...

Sabes que já me aconteceu mais do que uma vez dizer: 'já não gosto de ti e já não sou feliz contigo' e insistirem, insistirem, insistirem até eu perder a paciência e deixar de responder?
Sim, nessa altura talvez fuja da falta de amor próprio dos outros ;-)
Catarina

bagaco amarelo disse...

catarina, a falta de Amor próprio é um dos problemas de alguns homens, sim. acho que existe mais do que nas mulheres. :)