9.11.2011

conversa 1822

(num bar)

Ela - Desculpa. Não te cumprimentei porque não te estava a conhecer. Vi-te há bocado mas nunca pensei que fosses tu.
Eu - Não faz mal. Tudo bem.
Ela - É que olhei primeiro para os teu pés e vi umas sapatilhas. O meu cérebro afasta automaticamente do grupo dos meus amigos qualquer homem que saia à noite de sapatilhas.
Eu - Hum... comprei estas esta semana numa promoção. Estavam a menos de dez euros e gostei delas...
Ela - Ainda pior. Não me devias ter dito isso.
Eu - Porquê?
Ela - Nunca se diz o preço da roupa que se está a usar.
Eu - Desconheço essa regra de etiqueta, sinceramente. Mas tu é que começaste a falar das minhas sapatilhas...
Ela - Mas porque é que raio vieste para aqui de sapatilhas?
Eu - Porque não gosto de andar descalço na rua. Mas até acho que isso é normal.
Ela - Bem, se calhar ainda nos cruzamos por aí esta noite. Até já.
Eu - Até já.

22 comentários:

AC disse...

Elitista a menina....Olha não gosta, temos pena!Cada um calça o que quer:))

Marta disse...

eish... sapatilhas... :O

cycle disse...

Acho que compreendes as mulheres para além do que era razoável compreender :)))

bagaco amarelo disse...

ac, boa. :)

marta, lol. :)

cycle, às tantas é isso... :)

Cármen disse...

Eh pá, há com cada peneirenta...

bagaco amarelo disse...

cármen, e as minha sapatilhas até parecem sapatos, senão não sei o que seria. :)

Anónimo disse...

Já vi que estou automaticamente excluído desse grupo... sapatilhas sempre que possível!!! :D
E também não gosto pseudo "regras".

Abraço,

Rui M

Moleskine disse...

xiiiiiiii mulheres dessas realmente é dificil de compreender!!!

Turtle disse...

Profunda e sem preconceitos, essa senhora...

Olga disse...

Não me digas que és amigo da Lili Caneças?!! Que máximooooo! ;)

Noites disse...

Cada um usa o que quer e o que PODE. Experimenta ir de sandálias para a próxima :p Ela deve de gostar de ver homens com sapatos de um casamento ou iates... é assim que ela te examina a conta bancária, apesar de isso ser algo que não está escrito na testa de ninguém muito menos nos pés...

bagaco amarelo disse...

ruim, eu calço o que está mais à mão. quer dizer... mais ao pé. :)

moleskine, compreender até se compreende. o que é não se aceita. :)

turtle, nenhuns preconceitos mesmo. :)

olga, lol lol. :)

noites, mas olha que há para aí muitas sapatilhas que não são para a minha conta bancária. :)

Confuskos disse...

Muito bom!!

És cá dos meus, quando vemos que não lhe cabe nem um alfinete, em vez de vaselina usamos álcool etílico e um fósforo a ver se resulta!!

Aquele abraço! ;)

Estudante disse...

Humm... acho um bocado disparatado o critério dela relativamente às sapatilhas... x)

Teresa disse...

Com o meu mau feitio, o desfecho era mais "seco"!
"Ela - Bem, se calhar ainda nos cruzamos por aí esta noite. Até já."
"Eu - Ou não. Como trouxe as sapatilhas posso correr mais depressa e evitar gente como tu!"

bagaco amarelo disse...

confuskos, uau! abraço. :)

estudante, e são tão fixes, as minhas. :)

teresa, lol! até era bem. :)

estórias disse...

"porque não gosto de andar descalço na rua"! ahahahaahahahah!! já ganhou! :D

bagaco amarelo disse...

estórias, :)

pois disse...

Acho que o seu texto começa muito bem: "... Não te cumprimentei porque não te estava a conhecer..." o resto foi apenas a demonstração que efectivamente não o conhece. Se o testo terminasse tão bem como começa, seria algo do género "...até nunca mais."

bagaco amarelo disse...

pois, não levo a peito... :)

Fatyly disse...

Não é a mesma das sandálias? Coitada dela´...se fosse comigo dizia-lhe: olha anda daí e oferece-me uns sapatos...oh toina!

bagaco amarelo disse...

fatyly, lol... toina é fixe. :)