9.29.2011

respostas a perguntas inexistentes (180)

a luta contra o tempo

A luta contra o tempo é a pior das lutas porque é uma luta perdida à partida. O tempo passa quando estamos a gostar da nossa vida e passa quando não estamos. Passa sempre. É mau mas é assim. É cruel, o gajo, e olha para nós sempre da mesma maneira sobranceira, sem sequer nos perguntar como é que andamos. Se passarmos a vida toda entristecidos, ele passa por nós sem nos ligar nada. Se andarmos sempre bem dispostos é mais ou menos igual.
Nós, portugueses, somos dos melhores povos a enfrentar esta arrogância do tempo. Achamos sempre que temos tempo para tudo mesmo quando não temos. Tomamos um café cinco minutos antes da hora de embarque num avião, dormimos mais um bocadinho depois do despertador já ter tocado três vezes ou pedimos mais um uísque quando o restaurante já fechou. Depois vivemos sempre atrasados, mas na verdade não faz mal. É a nossa forma de gozar com o tempo da mesma forma que ele goza connosco.
O orgulho que eu tenho nesta nossa forma de ser esbarra em mim mesmo. Tenho a mania de não me atrasar nunca. Muito pelo contrário, tento chegar sempre com cinco minutos de avanço. Em viagens, por exemplo, ainda a minha companheira está a acabar de fazer as malas, já eu estou à porta com tudo pronto e a olhar impacientemente para o relógio. Depois torno-me chato. Olha que vamos perder o avião, digo. E conto até dez para não me enervar.
As manhãs são uma excepção, talvez por eu trabalhar por turnos e andar invariavelmente cansado. Custa-me sempre levantar e o meu despertador já o sabe, pois toca invariavelmente três a quatro vezes por dia de cinco em cinco minutos. A Raquel também já o sabe, pois levanta-se sem me acordar para me deixar dormir mais uns minutos. Esta semana exagerei e saímos os dois de casa apressados. Ela já ia a uns cinquenta metros de distância quando eu parei, olhei para trás, e corri para lhe dar o beijo do dia que não tinha dado.
Depois tive que correr para o comboio mais que o normal, mas pela primeira vez com este orgulho de ser português e não deixar que o tempo, esse sacana sem lei, me ganhasse essa pequena batalha do dia. E acreditem que tive um dia melhor.

23 comentários:

Mery disse...

Olá, é muito legal o jeito maroto como relatas as coisas do dia a dia, eu gosto muito...
De manhã, na hora de acordar para o trabalho, faço o mesmo que tu, fico na cama mais um pouquinho, é tão gostoso esse descansinho.
Essa é a nossa vida, quando ficar velha e me aposentar, com certeza vou ter saudades dessa correria.
beijos do Brasil, Mery*

bagaco amarelo disse...

mery, beijinhos para o brasil, e obrigado. :)

Giovana disse...

Há uma frase que diz mais ou menos assim: o problema de ser pontual é que os outros acham que vc não tem o que fazer". LOL!
Vale mais a pena estar sempre atrasado.

Ísis disse...

Boa! ;)

Anónimo disse...

Ele até pode olhar para nós sempre da mesma maneira, já nós não o vemos sempre com as mesmas medidas, nem sempre um minuto nos parece uns simples sessenta segundos, às vezes é muito mais e outras é muito menos, acho que afinal somos nós que somos arrogantes com ele, ainda que inconscientemente.
CR

bagaco amarelo disse...

giovanna, lol. :)

ísis, :)

cr, com certeza que sim. ainda há pouco tempo escrevi sobre isso. http://naocompreendoasmulheres.blogspot.com/2011/08/respostas-perguntas-inexistentes-172.html :)

Carmo disse...

Sou pontual e exijo pontualidade. Se alguém me quer ver de verdadeiro mau humor é chegar atrasado/a à hora combinada, seja quem for.

Fii disse...

Adoro a sua maneira de escrever...
E gosto particularmente de saber como os homens pensam (alguns).

Parabéns pelo blog :D

Beijos

bagaco amarelo disse...

carmo, de manhã e tudo? :)

fii, obrigado. :)

Carmo disse...

Mesmo de manhã! :P

Sou eu que levo as minhas 2 filhas à escola, aprendi desde cedo a gerir o tempo é sempre uma boa sensação chegar a horas.

:)

bagaco amarelo disse...

carmo, já tive uma fase assim... mas eu estou a exagerar. às vezes tenho pouco mais de quatro horas para dormir. :)

DM disse...

"É a nossa forma de gozar com o tempo da mesma forma que ele goza connosco." Amei:)

DM

Bang disse...

"Ela já ia a uns cinquenta metros de distância quando eu parei, olhei para trás, e corri para lhe dar o beijo do dia que não tinha dado."

Excelente... esses são os "Beijos".

Um abraço,
Luís.

Malena disse...

Nunca se perde tempo se for para beijar quem se ama! :)

bagaco amarelo disse...

dm, :)

bang, pois são.. :)

malena, exactamente. :)

Fatyly disse...

Pode ser bom essa finta que julgas dar ao tempo...mas sou totalmente contra esse "só mais um bocadinho", porque mais tarde irás pagar com juros altíssimos devido a esse "corre-corre-stressado-ensonado" e dá-me uma raiva com essa "postura bem à portuguesa".

Sempre sofri de ansiedade, mas nunca que ela me dominasse...Falo do que sei e já com um pouco de experiência e dou-te o mesmo conselho que dou aos meus: cuidai-vos, levantem-se meia ou uma hora mais cedo do que o habitual, façam tudo com calma, não saiam sem tomar um bom pequeno almoço, o trânsito será menos e de preferência utilizem transportes públicos, porque o dia continua a ter 24 horas e há tempo para tudo. Melhor dizendo sejam ORGANIZADOS E COM REGRAS! Quando existe filhos que sejam educados desta forma, será uma geração "pontual, mais bem disposta, menos ansiosa, menos obesa e as suas consequências (obesidade não se adquire apenas pelo que se come mas também pelo descontrolo de muita coisa).

Nunca cheguei atrasada ao serviço (excepto quando havia avaria nos transportes), nunca levantei as filhas num stress dantesco e durante 30 anos levantava-me às 5 da manhã, às 7 deixava as filhas na escola, apanhava o comboio das 7 e um quarto e entrava antes do horário laboral que era às 8,30h. Mas também era REGRA: às 21,30h cama, quando não era mais cedo.

Ainda hoje mantenho essa forma de ser e estar e odeio a falta de pontualidade no quer que seja!

bagaco amarelo disse...

fatyly, o pior é que trabalho por turnos. às vezes chego a casa às três da manhã e no dia seguinte trabalho de manhã. :)

AnAndrade disse...

Desculpar-me-ão, mas esqueci tudo o resto (o tempo que não pára, o maldito despertador, a pontualidade de que fui já mais maníaca) quando alguém escreve que voltou atrás para dar o beijo que não tinha dado. Porque esses é que são os tempos que importam.
Bravo! :)

bagaco amarelo disse...

AnAndrade, sim... esse é o tempo que importa. o resto são formalidades da vida. :)

memyselfandi disse...

Eu também sou assim com isso do beijo que não pode ficar por dar, mesmo que depois tenha de correr, como tu. É fixe ser assim! =)

bagaco amarelo disse...

memyselfandi, é por isso que o somos... :)

Ana rita disse...

Nunca tinha pensado nisso mas realmente a adrenalina de se estar atrasado faz me sentir viva. O ter que correr para chegar mais ao menos a horas é fantástico, faz me sentir bem.
Acabei de me aperceber que tenho orgulho em ser portuguesa só por causa deste pequeno detalhe. "É a nossa forma de gozar com o tempo da mesma forma que ele goza connosco." ^^ Até me sinto melhor por ser portuguesa só por causa disto.

bagaco amarelo disse...

ana rita, :)