7.01.2010

de doméstica a rainha em poucos segundos


A Frigidaire, marca de máquinas para a cozinha, apresentava assim o seu forno amovível em 1966. A mulher podia temporariamente deixar de ser uma escrava na cozinha para passar a ser uma rainha. Atenção, mas nada de exageros, apenas temporariamente. Pelo anúncio podíamos concluir que todas as mulheres domésticas americanas não pensavam em mais nada senão em tornar-se uma rainha. Eu cá não acredito nisso. Não sei porquê...

15 comentários:

Luís disse...

na verdade isso era um forno que sai para fora do encastrado para facilitar a limpeza. Parece bastante útil, na verdade...

bagaco amarelo disse...

luis, epá, tens razão. ando com a minha máquina da lavar louça no subconsciente. vou já mudar... :)

Caia disse...

Posso tentar, mas sentir-me rainha dentro de uma cozinha (com ou sem essa coisa), vai ser complicado!
A não ser que arranjes um homem bonito e sexy... :)

Anónimo disse...

Olha eu por acaso até acho que existe uma rainha em cada uma de nós!
Eu adoro cozinhar, e qualquer coisa que facilite a limpeza seja ela na cozinha ou noutro lugar, é bem vinda :)

Tulipa Negra disse...

Isto de ser rainha antigamente não implicava ter criados para fazer as limpezas? É que ser rainha e ter de limpar o forno, por mim, dispenso. ;)
Até porque não basta tirar as luvas e colocar a coroa para fazer uma rainha. Sobretudo, é preciso ser tratada e sentir-se como tal.
(Eu ameacei, mas não resisti a voltar.)

Rui de Brito disse...

o verdadeiro Nuno Markl revelado num e mail a um fã

Vergonhoso... Qualquer amante do humor e escrita que se faz em portugal deve ver isto

http://overdadeironunomarkl.tumblr.com/

EJSantos disse...

Mas é caso para dizer: o que queres? (OK, mostrar o ridiculo!) Aquela época era machista e os profissionais de marketing não conseguiam pensar "out of the box".
É claro que estes anuncios são, para nós, horriveis (felizmente!), mas provavelmente reflectem bem a mentalidade da época.

Ainda bem que as coisas mudaram.

Matilde {not Carrie} disse...

Ser uma Cinderela é o estatuto mais próximo de uma Rainha, que uma dona de casa alguma vez chegará. Mas não era só em 1966 que a publicidade era enganosa, ainda hoje nos querem fazer acreditar que basta uma simples pastilha para a máquina da louça, e a tua vida transforma-se num mar de rosas.

Beijocas

bagaco amarelo disse...

caia, eu não consigo arranjar nada disso. não existe, pois não? :)

anónima, de facto... :)

tulipa negra, eu cá nem gosto de rainhas... sou republicano. :)

rui de brito, obrigado. admito que não fiquei surpreendido... mas também nunca fui fã do Markl. :)

ejsantos, os tempo mudaram sim... mas não tanto assim. :)

matilde, nessa da pastilha já eu caí também, de facto. :)

Malena disse...

Até parece que o forno se limpava sózinho! Esqueceram-se foi de avisar que as unhas limpas e arranjadas da "rainha" eram da autoria do desenhador! :)

bagaco amarelo disse...

malena, ou d@ empregad@, lol. :)

Fatyly disse...

Uma altura em que mulher era escrava da cozinha, mas hoje felizmente já existem muitos homens que partilham essas tarefas.

Eu também não acredito nisso mas sei que a maioria das mulheres odeiam a cozinha, tal como eu!

bagaco amarelo disse...

fatyly, eu por acaso gosto da cozinha. bastante. :)

Anónimo disse...

Gente, isso de dizer que as mulheres podiam se tornar rainhas em um instante foi uma estratégia da mídia americana para fazer com que as mulheres, que tinham saido para trabalhar fora durante a guerra, voltassem para casa. Eles promoveram inúmeras propagandas em que diziam que as mulheres eram as "rainhas do lar". Tudo isso não passou de mais uma forma para reprimir as mulheres que já estavam tomando muito espaço no mercado.

bagaco amarelo disse...

anónimo, :)