1.26.2010

respostas a perguntas inexistentes (71)

A primeira divisão para onde vou quando entro em casa é a cozinha. A sala ou o meu quarto ficam sempre para depois. Ontem, por exemplo, quando cheguei a casa coloquei o porta-chaves em cima do frigorífico, o casaco e mala do computador em cima da banca, atirei com os sapatos para um canto e abri uma cerveja que fiquei a beber encostado à parede enquanto espreitava o mundo pela janela.
É uma sensação confortável, esta de espreitar à janela. É como se estivéssemos a ver o mundo sem ele nos ver a nós. Claro que da janela da minha cozinha não vejo propriamente o mundo, vejo apenas uma ínfima parte dele: umas casas e uns prédios, algumas árvores selvagens ameaçadas por uma estrada movimentada, um carro abandonado, uma loja de ferragens, alguns contentores do lixo e, lá muito ao fundo, o topo do estádio do Beira-Mar. Não é o mundo todo, de facto, mas é o meu mundo àquela hora em que chego a casa. É esse meu mundo que se disponibiliza todos os dias para me receber e por isso gosto dele. Na verdade sinto-me bem com ele.
Recebi um telefonema dum amigo depois de dar o último gole na cerveja e de pousar a garrafa em cima do microondas. Quando vejo o nome dele no ecrã do telemóvel já sei ao que vem: anda com problemas sentimentais ou coisa parecida. Disse-me que há uma segunda mulher na vida dele e que se sente mal com isso. Expliquei-lhe isto da cozinha ser o meu mundo. Não sei se ele percebeu...

10 comentários:

susana disse...

Realmente não há melhor sensação do que termos o nosso cantinho/mundo à nossa espera no fim de um dia de trabalho!

Pocahontas na Cidade disse...

Ahahah.. Não percebi porquê que explicaste isso ao teu amigo. É porque ele interrompeu o teu momento íntimo?

Se o telefonema fosse a meio da cerveja, partias a loiça toda :p

GiGi disse...

Fez-me pensar qual é o meu mundo.

:-)

bagaco amarelo disse...

susana, yep. :)

pocahontas na cidade, na verdade, a meio da cerveja nem atendia. :)

gigi, cada um tem um, não é? :)

Brandie disse...

Também para o teu amigo há um mundo de possibilidades se ele não tver medo delas;)

Malena disse...

É curiosos que, quando estou sozinha, passo o tempo na cozinha. Leio, vejo TV, espreito da janela enquanto bebo ou como... Acho que as nossas janelas são reconfortantes porque estão lá para acedermos ao mundo sem que o mundo possa aceder a nós! Faz sentido? :-)

Anónimo disse...

Não sei se ele te entendeu, mas eu entendo te.
Tão bom o cheiro a lar.
O relvado do vizinho dificilmente será mais verde ;)
Beijo x
P.S.

bagaco amarelo disse...

brandie, não é bem medo... é respeitinho, acho eu. :)

malena, faz. :)

anónimo, :)

memyselfandi disse...

Também eu acho que te entendi... Já agora usei um texto teu e gostaria de usar outro
http://thefifthceiling.blogspot.com/

Espero que não te importes... ;)

bagaco amarelo disse...

memyselfandi, está na boa. :)