1.19.2010

ombro

Sentia-se desamparado há algum tempo mas nunca tinha percebido esse desamparo. Até hoje, quando no autocarro uma mulher adormeceu no seu ombro vencida pelo cansado do dia. Mais um dia. Ele ia sair já na paragem seguinte mas acabou por ir até ao fim da linha, onde já nos subúrbios da cidade ela acordou quando o pesado motor do veículo adormeceu. Corou levemente e pediu-lhe desculpa, enquanto ele a ajudava com os sacos das compras. Não faz mal, respondeu ele. E não fazia. Durante anos tinha procurado a cura para o seu desamparo nos sítios errados: ora numa prostituta estrangeira, ora num copo de uísque. Outras vezes, mais raras, numa inócua conversa na internet. Tinha-a encontrado agora ali, por acaso, numa cabeça que adormecera no seu ombro.

Sentia-se desamparada há algum tempo mas nunca tinha percebido esse desamparo. Até hoje, quando no autocarro adormeceu no ombro dum homem desconhecido, vencida pelo cansaço do dia. Mais um dia. Ia sair já na paragem seguinte mas, talvez como num embalo de mãe, foi dimanando a alma num suave percurso até ao fim da linha. Como numa nuvem, pensou quando corada pediu desculpa ao homem e o viu corar também. Durante anos tinha procurado a cura para o seu desamparo nos sítios errados: ora numa telenovela nocturna onde todos pareciam felizes, ora num frigorífico tão apetecível quanto ameaçador. Outras vezes, mais raras, numa inócua conversa na internet. Tinha-a encontrado agora ali, por acaso, na quietude dum ombro brando.

27 comentários:

K disse...

Ler-te actualmente torna-se contraproducente...

Faltam-me os ombros...

bagaco amarelo disse...

k, a escrita, melhor ou pior, tem a mania de não ligar nadinha à produção. deixa lá, não sofras. :)

Cindy disse...

Devemos aproveitar quando nos são dadas as oportunidades... podemos não ter uma 2ª!
Beijocas!

Kelle disse...

Que lindo :)

bagaco amarelo disse...

cindy, sim, tens razão... embora possamos ter formas diferentes de aproveitar. bjs :)

kelle, obrigado. :)

GiGi disse...

Os dois lados...

"Toda história tem dois lados". Isso foi mostrado de uma forma tão sutil, tão delicada... Dá-nos a entender o quanto duas pessoas diferentes, com histórias diferentes, têm tanta coisa em comum. Talvez, um objetivo comum. Ou sonhos em comum.

Afinal, não são os opostos que se atraem, mas os semelhantes.

PS: não nego que esta crônica trouxe-me algumas lembranças :-)

GiGi disse...

(depois de ler novamente)

Bagaço, você não existe.

Tricana disse...

Espero que se voltem a encontrar... :))

Boxexas disse...

Tenho de considerar andar mais vezes de autocarro. Não se procure o desejado amparo nas novelas.Já no frigorífico... :)
Belíssimo texto.Adorei.
Parabéns!

susana disse...

uau!! tenho de recomeçar a andar de transportes públicos e fingir que adormeço num ombro jeitoso :)

Candybabe disse...

Bastam pequenos pormenores para alegrar os nossos dias... Basta estarmos atentos ao que se passa à nossa volta!!
Longe vão os tempos em que adormecia no autocarro, mas nunca em cima de ninguém ;-)

bagaco amarelo disse...

gigi, obrigado por seres simpática... mas olha que eu existo. agora, por exemplo, estou com uma dor de cabeça que me faz perceber que existo mesmo. :)

tricana, :)

boxexas, obrigado. :)

susana, :)

candybabe, tens razão. pelo menos devemos tentar que seja assim. :)

AidaLemos disse...

'desamparada' é um raio de uma palavra...difícil, muito difícil.
AL

bagaco amarelo disse...

aida lemos, pois é. concordo... por isso é que a uso. :)

CCF disse...

Costumamos encontrar onde menos esperamos :)
~CC~

bagaco amarelo disse...

ccf, yep. :)

GiGi disse...

Ohhh, judiação... Dor de cabeça ninguém merece! Toma um comprimidinho que passa! :-))

E não estou a ser simpática, mas sincera :-)

bagaco amarelo disse...

gigi, preciso de dormir... é isso que preciso. :)

RPM disse...

E de beber menos...

Brid disse...

Simples, bem estruturado e com uma mensagem que possivelmente nem todos entendem; uns por distracção, outros por lhes servir a carapuça e não querem admitir que estão na mesma situação.

Gostei muito do texto :)

Malena disse...

Comoveste-me! Este ombro pode até nem ser um ombro de carne e osso, mas é alguém que apoia outro alguém, sem exigir nada. :-)

Myann disse...

Pena que momentos assim, só nos apercebemos deles nos outros. Os nossos, normalmente, passam-nos ao lado.

Red disse...

um bom ombrinho é do melhor :)

SSS disse...

Um texto muito sentido...
Gosto de te lêr.

bagaco amarelo disse...

rpm, para isso tinha que mudar de namorada. :)

brid, :)

malena, exacto. :)

myann, olha que não... também nos podemos aperceber de nós. :)

red, acredita que sim. :)

sss, :)

Myann disse...

Mas é mais raro... também o maior cego é o que não quer ver :)

bagaco amarelo disse...

myann, yep. :)