12.15.2008

pensamentos catatónicos (160)

Hoje no comboio uma mulher, com um bebé de dez ou onze meses ao colo, sentou-se à minha frente. Interrompi momentaneamente a leitura do meu livro para lhe sorrir e estender o meu dedo indicador da mão direita. Ele agarrou-o, sorriu e emitiu uma quantidade de sons imperceptíveis. A mãe disse carinhosamente: É o senhor. Tu não estás habituado a senhores porque o teu papá é um filho da puta. Olhei para ela e depois voltei à minha leitura sem saber o que pensar.

23 comentários:

Fá disse...

Só consigo rir... :))))

Sayuri disse...

A educação começa no berço, não é assim que se costuma dizer? :)

papagaio disse...

eheheheheheh bem dita lingua portuguesa

bia disse...

AHAHAHAHAHA!!

começa cedo a ensinar palavrões ao filho...
a situação até tem o seu Q de engraçada, mas ao mm tempo é grave...

a mim não me acontecem coisas assim interessantes!! LOL

M. disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAH
aiiii... desculpa, mas palavra de honra que parece uma anedota! :)
Mais seriamente, passando a parte risível da coisa, já pensaste no desespero e na enorme frustração que essa mulher carrega para dizer uma coisa dessas, no comboio?
Provavelmente esse foi o desabafo possivel para uma pessoa muito, muito triste com a sua vida... :)

Olga disse...

O sofrimento torna as pessoas amargas. No entanto a criança não deveria ser exposta a esse tipo de manifestações.

Buttafly disse...

Ups! [engole-se em seco e olha-se pela janela do combóio a ver o que passa...]

;)

kaila disse...

LOL!
ups!....;)

Ritinha disse...

:(

SunGod disse...

ahahahahah epah desculpa lá o riso mas essa é de morrer...sem falar no belo início de educação do petiz mas pronto, a criança ainda vai passar mais uns anos até começar a falar como deve de ser e até lá já se esqueceu... ou então não, especialmente se a mãe continuar a repetir o mesmo ao longo dos anos. Mas seriamente, cá pra mim a senhora em questão devia de ter apanhado recentemente o marido com a secretária ou algo assim... lol só pode :P

bagaco amarelo disse...

fá, a mim deu-me um misto de vontade rir e de chorar. :)

sayuri, é e muito bem. isso é que me preocupa. :)

papagaio, lol. :)

bia, a mim ninguém me chamou nada. :)

M. tens razão... num segundo deu para perceber que alguém tem a vida completamente de pernas para o ar. :)

olga, exacto... mas como eu tb já falhei na vida, prefiro julgar a situação e não a pessoa. :)

buttafly, exacto. :)

kaila, :)

ritinha, eu também. :)

sungod, yep... se é que vê ou tem marido. :)

ComoHacerElAmor disse...

Nossa senhora!!!!!

Anónimo disse...

aconteceu-me situação semelhante no restaurante, mais directa e ali a fome da mãe era outra.

heidy disse...

Acho que não me iria rir da situação. Amargura no seu estádio mais elevado. Desilusão... tudo presente nessa frase dita por uma mãe a um filho.

bagaco amarelo disse...

como hacer el amor, pois.... :)

anónimo, :)

heidy, sim... é um estado miserável. :)

joaninha versus escaravelho disse...

Portugal no seu melhor...

MS disse...

Confesso que tambem já me senti assim impotente como tu perante algo tão aberrante mas, para minha sorte, foi apenas durante a leitura do livro de Sua Excelência Dra. Carolina Salgado.
Isto, porque nunca dei tempo ao Dr. Marco Borges, de sequer iniciar uma frase antes de eu mudar para o programa da Oprah no National Geographic.

Betty disse...

com estas situações quem ainda tem sente vergonha somos nós, quando na verdade deveriam ser os que proporcionam estes momentos menos bons...lol só consigo rir... :)

bj

bagaco amarelo disse...

joaninha versus escaravelho, quase melhor, infelizmente. :)

MS, lol. :)

betty, ainda bem que te ris. :)

A Pão! .. e A Chourico! disse...

Vou ter de colocar este post no meu blog...
A Pão!

bagaco amarelo disse...

A Pão! .. e A Chourico! , :)

Red disse...

seria um excelente momento para a minha bonita reacção "okeeiii...."

bagaco amarelo disse...

red, eu nem reagi... :)