12.22.2008

conversa 1114

Ela - Acreditas na vida depois da morte?
Eu - Acredito. Quando eu morrer a vida continua, só que sem mim.
Ela - Mas já pensaste no que te vai acontecer a seguir?
Eu - Não. Se a vida continua sem mim não me pode acontecer mais nada.
Ela - E a tua alma?
Eu - A minha alma está bem, obrigado.
Ela - Mas não sobreviverá à tua morte?
Eu - A minha alma é um conjunto de pensamentos e emoções que são consequência duma série de processos químicos e físicos no meu corpo que, em determinada altura, se transformam em comportamentos. Deve ser qualquer coisa parecida com isto. Admito que não tenho formação científica suficiente para te explicar melhor...
Ela - Precisava que me dissesses que acreditas que a vida não é só isto. Desde que me separei, cada vez que olho para o meu filho preciso acreditar que a vida não é só isto.
Eu - A vida é isto. Podes é tirar o 'só' da frase e, just in case, tenta ser feliz.
Ela - Acho que preciso de ajuda.
Eu - Se tiveres uma garrafa de vinho em casa posso ajudar-te a bebê-la.
Ela - Tenho...
Eu - Então força. Vamos lá...

15 comentários:

Ana Camarra disse...

É uma solução transitória essa do vinho.

beijos

joaninha versus escaravelho disse...

Só pensamos no que é a alma quando necessitamos dum sentido para a vida. Quando nos correm bem os dias não nos lembramos disso. Claro que há sempre os mais espirituais, mas a esses que levam a vida duma forma mais psíquica, esboçamos um sorriso. Grande parte de nós,lê o horóscopo na coluna dos jornais e só pensamos neles se, por acaso, algo for coincidente com o que nos está a acontecer.
Aos vinte anos li intensivamente sobre o assunto. Vinte anos depois, dou por mim a ler e a pensar nisso novamente (escrevi há dias sobre isso).
Há mais conceitos, linhas de orientação com nomes diferentes, mais divulgação dos pensamentos orientais, mas tudo se resume à busca da perfeição do "Eu". O caminho eterno da Felicidade!
Vou chegar à mesma conclusão de há vinte anos.
Tenho que acreditar em mim para "Ser Feliz".

bagaco amarelo disse...

ana camarra, sim... por isso é que se deve repetir de vez em quando. :)

joaninha versus escaravelho, embora eu não leia o horóscopo nem seja adepto de nenhuma filosofia oriental, acho que a conclusão a que chegaste há 20 anos está mais do que certa. :)

Fá disse...

Para mim a Alma é a voz da minha consciência...que eu nem sempre escuto...

bagaco amarelo disse...

fá, deixa lá, eu também ando um bocado surdo. :)

Olga disse...

Um beijinho para essa tua amiga que está triste e outro para ti que és um grande amigo. :)

bagaco amarelo disse...

olga, os amigos são todos grandes. :) beijinho

Anónimo disse...

Espero que tenha sido um vinho tinto...acho que ajuda melhor...mas é só uma opinião...

Maria João

bagaco amarelo disse...

Maria João, é uma opinião excelente. :)

Anónimo disse...

Já falei de ti ao Charlie...aproveitei para lhe telefonar e ouvir a sua boa disposição contagiante...

Perguntou-me, ao perceber que não te conhecia, e, em jeito de brincadeira se queria saber como eras...Não!, disse...assim tem mais piada...

Anabela

bagaco amarelo disse...

anabela, lol... acredita que tem mais piada assim, sim. :)

heidy disse...

Eu acredito que fica sempre algo de nós... nem que seja nas recordações de pessoas com quem nos cruzamos. O nosso corpo, não passa disso mesmo... um corpo. Nasce e morre. Ponto. A nossa alma... é algo prosaico. Falamos de ideias... que discutimos e que vão sobrevivendo... de sentimentos que provocamos... de toques que vamos deixando... sei lá. Se nos referir-mos a isso... sim. Não morremos. Agora o resto... é tipo as discussões que vamos tendo sobre a possivel existência de Deus. Enfim...

bagaco amarelo disse...

heudy, eu não discuto sobre o que não existe. :)

redonda disse...

Eu preferiria ter esperança de que não é só isto.

bagaco amarelo disse...

redonda, esperança podes ter... :)