12.15.2008

faca e garfo

Lembro-me da primeira vez em que percebi que a nossa relação não ia durar muito mais, apesar de ainda estar no princípio. Estávamos a jantar na cozinha dela e eu, que ainda me sentia um estranho naquela casa, tinha arrumado a louça toda que estava na máquina. Ela chegou e perguntou quem é que tinha colocado os garfos na zona das facas e as facas na zona dos garfos. Claro que fui eu, respondi. O silêncio foi aumentando de volume enquanto ela tirava todos os talheres para voltar a arrumá-los à maneira dela, isto enquanto o jantar que eu tinha preparado arrefecia. No fim aniquilou o silêncio fechando a gaveta com um pequeno estrondo.
Durante a refeição fui olhando para ela. Os dedos das mãos, os braços, a face e os cabelos dela já não eram os mesmos com que eu tinha feito amor na noite anterior...

17 comentários:

Fá disse...

Ás vezes, são as atitudes mais insignificantes que mudam os sentimentos...digo eu...

Anónimo disse...

Espero que a relação de que falas não seja a actual...

Estas coisas, pequenas e tão grandes também me acontecem...os encantos desvanecem com pequenos gestos...

Maria João

Olga disse...

Essa nostalgia não coaduna com o valor do índice ivariano.

SunGod disse...

lá se vai o indice querem ver? :P

bagaco amarelo disse...

fá, sim, é verdade. pelo menos às vezes... :)

Maria João, não é... e eu sou como tu, sim. :)

olga, não estou nostálgico... estou só a lembrar-me. :)

sungod, não vai nada. isto é uma memória... :)

Rui disse...

xiiiiiiiii :-/
quando as coisas no início são assim, como é que serão no "fim"?

bagaco amarelo disse...

rui, quando é assim o fim e o princípio são quase a mesma coisa... :)

subtilezas disse...

txiiiii...

com o passar do tempo já se percebe cedo demais estas coisas. eu já nem me apaixono, tenho "entusiasmos".

quando se passa demasiado tempo sozinha há coisas que não se querem perder e eu quero os garfos nos garfos e as facas nas facas na gaveta que eu escolhi.

descobri que o amor é algo muito mais universal e o dia-a-dia é dificil de partilhar. e tem coisas boas e muitas más, como hoje que estou constipada e não tenho ninguém para me mimar.

o indíce subtil está em baixa:P

JonyFingers disse...

"Se queres conhecer bem alguém, faz uma viagem em conjunto primeiro."

bagaco amarelo disse...

subtilezas, percebo-te perfeitamente. é por isso que não devemos fazer revoluções na vida... e ir sempre com calma. :)

jonyfingers, boa. :)

Anónimo disse...

Por essas é que eu não tenho máquina de lavar a loiça :P

Anónimo disse...

e na gaveta dos talheres...tá tudo a monte :)))

bagaco amarelo disse...

anónimo, lol. :)

MFP disse...

Esse tipo de atitude, lembra-me sempre o filme "Dormindo com o Inimigo”, onde o “homem” fazia de “grunho filho da puta “.

bagaco amarelo disse...

mfp, eu vi esse filme várias vezes. A Julia Roberts era novinha e super giraça... e sim, o gajo fazia de grunho filho da puta. :)

mf disse...

Pois... Também apanhaste alguém pela frente que de subtileza não tinha nada... Havia tantas maneiras giras de te fazer arrumar tudo no sítio... E de te levar a pensar quando é que outra noite como a anterior se repetiria... Enfim... Nem todas vêem para além do umbigo... ;)

bagaco amarelo disse...

mf, ainda bem... :)