11.21.2011

pensamentos catatónicos (264)

Ninguém de nós nasce a conseguir apaixonar-se ou a Amar tal como o faz depois de crescer. Há, portanto, uma primeira vez em que isso nos acontece. Olhando para trás, não me lembro da linha de partida do verbo Amar na minha vida. Perdeu-se, tal como um  farol que se apaga no denso nevoeiro do mar. 
Olhando para a frente, no entanto, consigo adivinhar que a meta será a minha morte. Pelo menos é o que eu desejo, para que nunca morra antes de morrer. O Amor tem esta certeza de ser o oposto do trabalho em tudo, até na idade que lhe desejamos para a reforma. E hoje, enquanto ouvia uma amiga falar sobre a forma como pensa investir na sua carreira profissional, pensava em como eu tenho preferência que o Amor me corra bem. O resto não é bem viver. É sobreviver.

14 comentários:

Fatyly disse...

Mas nada se faz sem trabalho, remunerado ou não e até para que o "amor corra bem" é preciso trabalho emocional e ou afectivo, julgo eu de que...

Anónimo disse...

Esse tipo de romantismo de um amor e uma cabana só funciona nos livros e no cinema. A vida real, essa, precisa de um pouco mais.

CR

Me disse...

Me too!

Di disse...

"O resto não é bem viver. É sobreviver." concordo plenamente, se o amor correr bem, então nós arranjamos maneira para que tudo o resto corra bem.

Carmo disse...

..."para que nunca morra, antes de morrer"..., pois é, mas será que está em nós não deixar que isso aconteça? Eu não estou morta, mas sinto-me moribunda e é um estado de espirito sufocante... A vida sem Amor não tem sentido. Vive-se num estado vegetativo.

Olga disse...

Infelizmente a maior parte da vida não se vive, sobrevive-se. Culpa nossa ou do "sistema" mas a realidade é que geralmente quando se abre os olhos já não dá para recuperar o tempo perdido.

bagaco amarelo disse...

fatyly, pois... eu trabalho por isso mesmo. :)

cr, mas eu nem falei em cabana nenhuma. :)

me, :)

di, exacto. :)

carmo, eu acho mesmo que somos nós mesmos. :)

olga, é verdade... e cada vez mais trabalhamos apenas para poder continuar a trabalhar. :)

Anónimo disse...

Ok, então não te esqueças de comer caldeirada de Amor ao jantar, sopas de Amor ao pequeno almoço, rissóis de Amor ao lanche, etc... ah e de dormir sob um tecto de Amor também. :)

CR

Carmo disse...

Acredita, não me consigo apaixonar, e já estou separada há 4 anos, completamente insensivel.

:|

Malena disse...

É muito bom ler alguém apaixonado! :))

Drª taberneira disse...

so true.

bagaco amarelo disse...

cr, a parte de dormir está garantida. :)

carmos, tive essa sensação durante algum tempo após o meu divórcio. nem sei bem como é que a ultrapassei, mas sei que forcei a coisa algumas vezes... :)

malena, é bom estar. :)

dra taberneira, :)

Maria disse...

Olha estou como tu, primeiro o amor, o resto logo se vê.

bagaco amarelo disse...

maria, :)