2.25.2010

violência contra as mulheres na agenda da ONU

Em 1995 a ONU organizou a IV Conferência Mundial sobre a Mulher: Igualdade, Desenvolvimento e Paz. Agora, quinze anos depois, a sessão anual da Comissão da ONU sobre o Estatuto da Mulher assinala essa data com o peso enorme da estatística. E porque não se pode deixar passar de ânimo leve essa estatística, o esquerda.net fala nela.

6 comentários:

Fatyly disse...

A ONU vai perdendo força porque cada estado membro ou sem o ser nada faz. A Serra Leoa de quem se fala pouco além das amputações por questões de roubo e não só, a mulher é o que se sabe. No Congo uma miséria e pior ainda no Zimbabué.

Por cá, de "entro marido e mulher não metas a colher" passou a "crime público" e todos nós podemos meter a colher (denunciando/socorrendo) como dever civico.

Embora seja um flagelo sobre as mulheres, cresce a olhos vistos também sobre os homens, que começam a deixar de lado o seu ar de "machista-parece-mal" e já denunciam!

A agenda tem que ser de cada um de nós contra esta merda e outras igualmente gravosas.

bagaco amarelo disse...

fatyly, a violência é sempre grave seja contra quem for. infelizmente, devido a uma série de contextos políticos, sociais e económicos, podemos falar da mulher enquanto vítima, da mulher que é vítima pela sua própria condição feminina. É isso que é preciso combater urgentemente. :)

Anónimo disse...

Esta tudo dito com a tua resposta a "fatyly".Ponto final.
Beijo x
P.S.

bagaco amarelo disse...

anónima, :)

Pimp disse...

Iremos ter mais sensibilidade a estas coisas quando estiverem mais mulheres no poder. =)

bagaco amarelo disse...

pimp, concordo. :)