2.10.2010

mulheres com garantia


Um embaixador árabe dos Emirados Árabes Unidos descobriu, já depois de ter assinado o contrato do casamento, que a noiva tinha barba e era vesga. Vai daí, pediu a um tribunal islâmico a anulação do contrato de casamento e exigiu à ex-noiva o pagamento de cerca de 92 mil euros, montante que diz ter gasto para presentear a ex-futura mulher com roupas, jóias e outras prendas. A mãe da noiva ter-lhe-á mostrado fotografias duma irmã, pelos vistos uma boazona de todo o tamanho, e o tipo acreditou até à última que era ela que estava debaixo da burka. [ler no JN]
Tendo em conta o sucedido, proponho que as noivas nos Emirados Árabes Unidos venham com garantia de dois anos. Um paralelismo com a política europeia nos electrodomésticos em que a mãe (vendedora), garante ao homem (consumidor) o bom estado geral da mercadoria (a filha) e o seu funcionamento durante esse período. Passados esses dois anos, a devolução não é imediata mas a mulher pode ser enviada para a fábrica para arranjar (fazer a barba, por exemplo).

16 comentários:

Ana, dona do café disse...

Mas esses dois anos de garantia nem sempre são assim tão fáceis de aplicar; para já, aquando da aquisição de um bem desses há quinze dias para troca por defeito ou por insatisfação por qualquer motivo... - com esta pequena cláusula ia muito relacionamento por água abaixo logo na lua de mel :D

Mas acho a história fantástica e dou toda a razão ao senhor... no entanto, poderia ter tentado ficar com a mulher à mesma, pagando-lhe depilações, corrigindo-lhe a vesguice (?) e fazendo-lhe uma plástica radical...porque os 92 mil euros serviriam para a tornar na pessoa mais feliz do mundo...aí sim: boa, bonita, ver bem! Ela ia querer agradar-lhe para o resto da vida! mas isto, sou eu... :D
beijo!

bagaco amarelo disse...

ana, dona do café, eu punha esta mulher muito bonita sem precisar de tanto dinheiro. basta-me o photoshop... e olha que para quem casa com uma mulher que não conhece de lado nenhum, só porque viu uma fotografia, não deve fazer assim tanta diferença. :)

**Gi** disse...

Precisamos respeitar a história e a cultura alheia e com isso compreendê-la.

No entanto, quando se trata da cultura islâmica/muçulmana, eu realmente não consigo. Não consigo compreender como uma sociedade tão escrota ainda possa existir nos dias de hoje.

bagaco amarelo disse...

gi, eu não concordo sempre com isso. quando a cultura promove aquilo que para mim é injustiça não respeito nadinha. :)

Ana, dona do café disse...

Realmente...bastava-lhe photoshop e ficava-se por aí.
:P

bagaco amarelo disse...

ana, dona do café, :)

Fatyly disse...

Culturas que jamais consigo entender.

bagaco amarelo disse...

fatyly, eu nem a nossa entendo. :)

Celeste disse...

eu proponho que se acrescente a classificação tipo electrodoméstico A- gasta pouco e por aí em diante! Parece-me que os 2 anos de garantia são excessivos uma vez que temos que contar com o uso do marido.

bagaco amarelo disse...

celeste, ena! grande ideia. :)

Anónimo disse...

quanto à noiva, até pode ter uma vida mais animada por não ter que ser propriedade de um marido...
o futuro dela pode ser bem melhor

a.

bagaco amarelo disse...

a, se fizer a barba, claro. :)

Anónimo disse...

e as alemãs muitas delas, não tiram os pelos dos sovacos e das pernas, e fazem muito sexo ( principalmente com gajos tipo zézé camarinha)!
então esta noiva afegã só tem q ir viver para a alemanha e vir fazer férias cá ao algarve!! eu até fico amiga dela, a sério, é q simpatizo com mulheres diferentes

a.

bagaco amarelo disse...

a, isso das alemãs é um mito urbano. :)

Anónimo disse...

mas com os copos marcha tudo até gajas com pelos! ( risos )

a.

bagaco amarelo disse...

a, :)