12.26.2012

conversa 1978

Ela - Tenho alguns amigos que fazem uma festa sempre que me vêem, a não ser que estejam com as respectivas namoradas ou mulheres. Aí, cumprimentam-me discretamente ou nem reparam em mim. Nunca percebi porque é que há tantos homens assim...
Eu - Não há muitos, de certeza. Tu é que deves ter amigos fora do normal.
Ela - É o que eu estou a dizer. Os homens são todos igualmente fora do normal.

11 comentários:

Olga disse...

Agora que penso nisso também já me aconteceu uma vez ou outra. Às vezes penso que não me viram, outras que o dia não lhe está a correr bem e o resto não me interessa. :)

Fatyly disse...

Não, "ela"...felizmente e falo por experiência própria (sobretudo por ser divorciada há canossss) essa atitude parte mais das mulheres/namoradas que chingam a cabeça dos pobres com a idiotice de que os podem rouba, mas felizmente...são poucos, muito poucos os que se deixam dominar por esse factor, daí não concordar com essa opinião!


Bagaço Amarelo disse...

olga, tenho que fazer uma estatística. :)

fatyly, ena! nunca me tinha passado tal coisa pela cabeça. :)

carla disse...

Já senti esse efeito "axe" nas duas versões:
a) amigos que me cumprimentam de forma mais expontanea quando estão sozinhos e de forma menos efusiva quando estão com as companheiras (acredito que sim, que elas lhes chaguem a cabeça como já aqui alguém referiu)

b) amigas casadas que senti afastarem-se e que depois me vieram confessar (quando confrontadas) que os maridos não gostavam muito que convivessem comigo, por me ter divorciado e eles sentirem que de alguma forma, pudesse contagiar as respectivas companheiras com o "bicho-mau-do-manda-à-merda-o-teu-marido-inseguro-e-controlador".

Analisando as coisas de cima: ambas as situações partem de pessoas sem tomates para serem elas próprias.

Eva Maria disse...

Nos achamos que os homens sao estranhos voces acham que as mulheres sao estranhas... acho que nao há nada a fazer senao aceitar ambas as opinioes... :P

Bagaço Amarelo disse...

carla, essa b) fez-me mesmo muita confusão. o divórcio pode ser uma questão de influência? Porquê, por ser bom? :)

Eva Maria, eu até nem vos acho estranhas. só a brincar. :)

Anónimo disse...

Quando me divorciei o meu cunhado temeu que fosse uma má influência para a minha irmã(eu rejunenesci) e não gostava que convivesse muito com comigo. Na minha presença referia-se às mulheres divorciadas depreciativamente. Foi constrangedor essencialmente para as duas. Preço de estar casada com um analfobruto.

Carla disse...

Sei lá eu?! Eu também achei parvo e confuso! Daí dizer que, pessoas que têm atitudes destas não podem ser chamadas de "amigas", um "amigo" não nos rotula nem nos trata de forma diferente seja qual for a decisão que tomemos na nossa vida. Penso eu de que...

Bagaço Amarelo disse...

carla (penso que os dois comentários são teus), além de que é ter em baixa conta a mulher, pensar que ela se pode divorciar por influência externa e não por outro motivo qualquer. :)

Carmo disse...

Os homens são uns fingidores, quando têm a mulher ao lado, inibem-se, acho mal sabes, mas nós mulheres tb podemos interpretar mal demasiada descontração à nossa frente, né:)

Bagaço Amarelo disse...

carmo, ena! é ainda mais complexo, então. :)