9.11.2012

a nossa vida de volta!

Em defesa do meu género, devo dizer a todos os que me lêem que o Passos Coelho, actual primeiro-ministro deste país, não é bem um homem. Um homem (propositadamente escrito com h minúsculo) acerta e erra muitas vezes na sua vida, porque a vida é isso mesmo: uma aprendizagem. São as alegrias e as tristezas dessa aprendizagem, cujo epicentro é o Amor, que nos tornam capazes de olhar para os outros e para as outras como pessoas, homens ou mulheres que têm em comum connosco esse mistério da vida que se chama matéria, da qual todos somos feitos.
O problema de Passos Coelho é que, como nunca fez nada na vida, nunca aprendeu nada também. Foi um jotinha a vida inteira, num partido onde não se aprende muito mais do que a lamber as botas dos outros na esperança de que um dia nos lambam as botas a nós. Nisso, e só nisso, foi um excelente aluno. De tal forma que o sistema insistiu para que ele acabasse o curso de Economia, o que conseguiu apenas aos trinta e seis anos, mesmo sem fazer mais nada na vida. Depois elegeu-o para administrador de algumas empresas onde nunca pôs os pés e se limitou a assinar ordens dadas por terceiros.
Homens e mulheres, tive muitos como amigos e amigas. Ainda tenho, felizmente. São pessoas com nervo que choram, riem, sofrem, abraçam, beijam e Amam. Enfim, fazem pela vida. Passos Coelho nunca foi nada disso. Foi, e ainda é, um boneco preparado para defender os interesses do poder do capital que, por sua vez, está quase todo nos bancos centrais. Esse poder, para quem não sabe, escolhe os bonecos do mundo inteiro através de coisas como o Grupo de Bilderberg ou, de forma mais simples, através do media que controla em cada país.
O PSD, aliás, não é um verdadeiro partido. Um partido é uma organização política e ideológica, com uma ideia de organização para as cidades, para os países e para o mundo. O PSD é uma máquina de produzir bonecos mais ou menos iguais ao Passos Coelho. Os bonecos não têm, como é sabido, qualquer tipo de sentimento, mas têm uma enorme vontade de devorar.
A Troika, que é constituída pela Comissão Europeia, pelo Fundo Monetário Internacional e pelo Banco Central Europeu, também não passa duma máquina para roubar os Estados, entre os quais se encontra Portugal. Para o conseguir serve-se de duas coisas muito simples: um sistema financeiro que quase ninguém consegue perceber, e bonecos que põem esse sistema em funcionamento até às suas últimas consequências.
Esse sistema financeiro tem como consequência inevitável a gradual perda de valor da força de trabalho e o enriquecimento dos bancos, o que na prática quer dizer que as pessoas vão perdendo a sua própria vida para os bancos. A "ajuda" que a Troika está a dar Portugal, por exemplo, não é ajuda nenhuma. É um roubo! Os resultados estão à vista. Os bonecos apresentam-na como ajuda, mas na prática o que se passa é que o Banco Central Europeu, que é um banco público e por isso produz dinheiro à custa do trabalho de todos nós, empresta esse dinheiro (que é nosso) a bancos privados alemães a uma taxa muito baixa (normalmente 1%) e depois esses bancos emprestam-no aos Estados a um preço muito mais elevado (7%, 8% e por aí acima).
O pior, no entanto, ainda está para vir. Para os Estados terem direito a esse empréstimo, emitem títulos de dívida pública que são pagos ainda com mais juros a quem os compra. Quando um país qualquer não está a conseguir pagar esses juros ao dono do título da dívida, o banco Central Europeu vai lá e compra-o no Mercado Secundário, ou seja, tira a batatinha quente do investidor privado, mas o país continua com a dívida.
Se tivermos em conta que isto mexe com milhões e milhões de euros, é fácil perceber porque é que estamos todos cada vez mais pobres (vejam o vídeo) e alguns, muito poucos, cada vez mais ricos. É mais fácil ainda perceber que um sistema destes precisa de bonecos a mascará-lo.
A maior parte dos bonecos estão em partidos políticos, como o PSD, o PS e o CDS. O Sócrates, por exemplo, foi excelente a desempenhar o seu papel. O erro está em pensar que os políticos são todos iguais. Não são, e há políticos que nunca chegam ao Poder simplesmente porque se recusam a ser bonecos.
Eu sou político, por exemplo. Represento o Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal de Aveiro e acreditem que não me é fácil. Sei que o partido onde estou está cheio de problemas, discussões internas e que às vezes parece que andam todos à cacetada uns com os outros. Andam mesmo, aliás. Agora adivinhem uma coisa: é por isso que eu gosto dele. É feito de pessoas e não de bonecos.
Entretanto continuo a ser homem. Choro, rio, Amo, sofro, abraço, zango-me e mais o que for preciso. O Passos Coelho não. É por isso que estamos todos mais pobres.
Este sábado há manifestações um pouco por todo o país. Eu vou estar na de Aveiro, sábado às 17:00. Não por ser dum partido (a organização é da sociedade civil), mas sim por ser pessoa e, como tal, anticapitalista. Sou pessoa e estou farto de bonecos.

20 comentários:

Dalilah disse...

Genial, este texto. Absolutamente fabuloso. Gosto muito deste blog, mas este texto ainda está vários degraus acima disso. Parabéns, Bagaço.

Malena disse...

Eu também vou estar na da minha cidade... Estou cansada de tanto apanhar e de ver outros a apanhar!

Mesmo assim, toma um sorriso que tu mereces! :)

sem-se-ver disse...

dá-lhes, bagaço! :)

Anónimo disse...

Pois... A realidade ê que se olharmos para a generalidade dos lideres vemos imagem, só imagem e muito pouco sumo (AngelaM é excepção). PPC e JS são exemplo de pessoas que tem no CV apenas o pertencer às jotas (as empresas onde vão dar o nome não contam. Porque me lembrei do outro Angelo, o Correia?), nem conseguiram acabar cursos em alturas normais, os 20s. Mas não podemos generalizar. Nem podemos dizer que não há gente boa na política (são poucos e fartam-se rápido!). No BE há alguns e no CDS também... Infelizmente é mal visto estar-se na política, já ninguem acredita na "vontade de servir a pátria". Até porque depois saem e tem vidas de Lord.
Quanto à situação do país: isto está a ficar insustentável. Por um lado quem paga são os mesmos (os que trabalham e declaram) como professores universitarios, médicos ou juízes, por exemplo. Os supostos ricos (coitados! O que será o Belmiro?) que pagam 46,6% de IRS e alguns passam para os 17% deSs. E outro lado as pessoas que não podem comprar insulina ou medicamentos para o coração, é que nem para comer já há. Pelo meio os jovens com 30 anos que tem que emigrar(estamos a ficar um asilo!), e nem podem ter uma vida normal (ter filhos, sair da saia dos pais and só on). Pais de 3o mundo.
Tem que ir à urgência? Paga 20€. Escolaridade obrigatória? Os livros para o secundário custam 350€. Quer por uma queixa-crime? São 102€. Conclusão: o país está de rastos há que cortar. O mais fácil é em futilidades como a saúde, educação e justiça.
O Adriano Moreira no alto dos seus lúcidos 90 anos disse "que nunca viu o país tão mal". Ilucidativo... A manifestação de sabado faz sentido. O meu medo (de direita!) é que o país comece a ter tantos problemas como na Grécia. O que é assustador.

Fatyly disse...

Subscrevo inteiramente e o mal desses "bonecos políticos vindos dos betinhos das J da trampa...hoje jovens adultos é continuarem criançolas incompetentes que deveriam VIVER PARA A POLÍTICA e NÃO VIVER DA POLÍTICA.

Também estou farta de bonecos...e acho muito bem que o povo se manifeste...mas por favor não destruam os bens que são "o ganha pão de tantos" - lojas, pequenos supermercados, cafés, carros e caixotes do lixo que ainda me lixam mais porque é um bem comum, ou seja...bonecos armados em arruaceiros.

Pergunto Bagaço...que alternativas temos como um outro suposto governo? Eu não sou de nenhum, mas gostaria de ver um governo formado por "gente boa e apta para tais funções" de todos os quadrantes políticos porque existem.

Cansada só te digo que lutei pelo derrube de uma democracia e desde o 25 de Abril de 1974 continuei a lutar para viver com o produto do meu trabalho, passando os violentos anos de 80 a 86, e 40 anos depois tenho a reforma que tenho e não como fugir do que há dois anos me roubam, é pouco...mas a mim faz-me muita falta.

Oxalá que me saia o euro milhões que saía já deste país que me acolheu!

Melhores dias virão e vamos conseguir dar a volta, ou melhor irão vocês os jovens!

Bagaço Amarelo disse...

dalilah, obrigado. não desistimos. :)

malena, estaremos na mesma manifestação, com quase duzentos quilómetros de distância, mas na mesma. beijo. :)

sem-se-ver, é isso mesmo que eu quero. :)

anónimo, o caminho é o da Grécia, não tenhas dúvidas, porque isto não depende de nós. depende dos vampiros da banca. enquanto votarmos na direita, claro. :)

fatyly, claro que há alternativas. estes 2 mil milhões que o estado vai encaixar com esta medida são para pagar apenas 1% dos juros do empréstimo da troika. renegociar a dívida e pôr as pessoas em primeiro lugar é fácil, basta ter um governo de esquerda. .)

Mãe disse...

Sabes que adoro os teus textos...este é mais um...tens quase toda a razão...mas procura na net vai lá ver as manifestações que ele foi contra o Cavaco e a Ferreira leite...ele estava lá...ele n é o mesmo tipo...vendeu-se por um tacho...e se Bilderberg pela mão do Balsemão já tinha escolhido o Sócrates agora escolheu o Passos e ele está só...e vai sair só...a parte boa para ele é que terá sempre tacho...Portugal tem de deixar de pensar q existe o Messias e que o D. Sebastião vai voltar...

Always good Post´s :)

Sara Patrão :)

P.S- Depois conto-te umas mt giras sobre o PP do antigamente...n é para mudares de ideias só saberes o que faz um tacho...o que ele corrompe...uma pena...

Mãe disse...

Se fosses para lá...acho q votava em ti pá :)

Bagaço Amarelo disse...

mãe, mas ele era da jsd nesse tempo. portanto ficava-lhe bem. era aquela coisa do "ser do contra". do pp gosto de saber todas, embora já conheça algumas. :)

Anónimo disse...

Portanto... a ver se percebi. Eu, que sempre achei que era uma pessoa, como não sou anticapitalista, não sou pessoa...

Epá, não concordo nada contigo. Mas respeito a tua opinião. Gostava era que não me desqualificasses só por causa disso. Antes não ser anticapitalista do que ser antidemocrático.

João Henriques disse...

O Bloco de Esquerda é feito de pessoas, ao contrário dos outros partidos, que são feitos de bonecos? Quem diria! Só mesmo um deputado desse partido, realmente. Este blog já foi interessante, mas com este tipo de propaganda política ridícula acabou de bater no fundo.

Bagaço Amarelo disse...

anónimo, não foi bem isso que eu disse. :)

JHoão Henriques, lol! na verdade não precisas de vir aqui. :)

A Vida da Cinderela de Saltos Altos disse...

Por isso é que eu costumo dizer que os partidos políticos são pequenas ditaduras e que se limitam a servir os seus interesses...

Bagaço Amarelo disse...

A Vida da Cinderela de Saltos Altos, não são só isso. :)

Maria disse...

O Passos Coelho, (tal como muitos outros políticios de direita) a mim sempre me pareceu um boneco daqueles das marionetas, todo articulado e comandado por interesses supiores, umas vezes com cara de palhaço outras com cara de imbecil, mas sempre boneco.
Adorei o teu texto. E tal como tu também eu no sábado vou estar na manifestação em Lisboa, só falar não chega é preciso agir.

Quase nos "entas" disse...

eu nao ligo a politica/partidos politicos....
na realidade nao acredito em nenhum,
mas esta manifestação para mim não é dirigida a um partido, é dirigido ao CAOS em que nos dirigimos e eu enquanto pessoa que vivo neste pais a cair na loucura de um governo

Anónimo disse...

Bagaço, provavelmente não vais publicar este comentário por excesso no vocabulário, mas cá vai:

Para o caralho com estes betinhos de merda! Não sabem o que custa a vida, não sabem trabalhar, são uns lambe-botas sem caracter e uns analfabetos funcionais. Cambada de cornudos impotentes filhos de uma puta sem moral. Odeio-os. Odeio-os de uma forma insana.
Porra, prefiro como PM um camponês e como ministro das finanças um merceeiro que saiba fazer contas. Seriam melhores do que esta cambada de bestas que estão no governo.
EJSantos

Bagaço Amarelo disse...

maria, força aí. :)

Quase nos "entas", o afastamento dos partidos tem um problema, que é permitir que se chegue ao ponto a que chegámos. :)

ejsantos, até me apeteceu publicar duas vezes. :)

Olga disse...

Já marquei o compromisso na agenda e estou preparada para me fazer ouvir!

Bagaço Amarelo disse...

olga, boa. :)