3.19.2012

respostas a perguntas inexistentes (199)

o olhos do sexo

É tudo por causa do sexo. Ela levantou-se logo pela fresca, passeou-se pelo quarto nua depois de tomar banho e experimentou três vestidos antes de se decidir por um azul, com a saia a ficar por cima dos joelhos. Foi assim que ele foi acordando devagar, a espreitá-la pelo canto do primeiro olho que conseguiu abrir. Está ainda ali, de barriga para baixo e com o pénis a espreguiçar-se na escassa energia matinal. Sente-se tão cansado quanto apaixonado, como se todos o seu vigor se tivesse concentrado apenas no membro sexual. Está tudo ali.
E é tudo por causa do sexo. Ela traz-lhe um café à cama e diz-lhe que se despache, que está um dia de Sol e que quer ir passear para o jardim da cidade. Ele responde que não quer ir a parque nenhum. É este "não" que a mulher não percebe. O que ele não quer, de facto, é sair da cama sem fazer Amor com ela, distribuir de novo por todo o corpo essa força que está concentrada num único membro. Nem para ir ao jardim, nem para ir a lado nenhum.
E ela fica a olhá-lo da porta. Despacha-te, insiste. E estranhamente sorri. Foi pelos olhos que ele se apaixonou por ela. O corpo veio depois. Aliás, o corpo vem sempre depois do olhar, como se fosse o paraíso depois da grande e resplandecente porta do Amor. No primeiro encontro, ele levantou-se para ir buscar duas cervejas ao balcão, e quando voltou ela tinha o queixo pousado nas suas mãos em forma de taça, tapando-lhe a boca e parcialmente o nariz. Só se viam os olhos entre uma nascente viva de cabelos negros. Eram doces, tão doces que ele perdeu a fala.
E é tudo por causa do sexo. Ela acabou de se afastar. Talvez esteja na sala a ler um livro, talvez esteja na cozinha a fazer a lista de compras para a semana, talvez esteja a vestir o casaco para sair sozinha. E ele levanta-se, de pénis erguido e cabeça baixa, lavando a cara com água fria para amolecer esse estado de ansiedade. Vai sair com ela. Na verdade iria atrás dela fosse ela para onde fosse. O sexo, talvez logo à noite. É só isso.

20 comentários:

Poison disse...

quando se ama, o sexo é uma forma de "absorver" a existência do outro... como se nunca nos quiséssemos desligar dessa pessoa.

bagaco amarelo disse...

poison, é mesmo isso. é que é mesmo isso. :)

Anónimo disse...

Só posso dizer que a muito não lia nada tão... bom:) adoro ler o que escreves:)

bagaco amarelo disse...

anónimo, obrigado. :)

Anónimo disse...

Não são só as mulheres que, às vezes, não entendem esse não querer ir a lado nenhum...

Brisa disse...

Este post pede um copo de água gelada (e o que eu detesto beber água gelada :):)

bagaco amarelo disse...

anónimo, não sou determinista no que digo ou escrevo. :)

brisa, é por isso que eu gosto de cerveja. :)

houten disse...

Normalmente gosto imenso do que por aqui é escrito.. Gosto mesmo. Mas hoje,nem tanto... Desculpa. Se calhar é de mim, não sei... Este texto soa um bocado a "os homens são uns coitadinhos porque o sexo não é nada de mal, as mulheres é que não os entendes." e "As mulheres são as vilãs más que não entendem que o sexo são só coisas boas e que deviam quer fazê-lo a toda a hora. Em vez disso fazem os homens rastejar atrás delas para sítios, por uma probabilidade de virem a ganhar um rebuçado...mais logo!"
Nem nós somos as más, nem vocês são os coitados...

bagaco amarelo disse...

houten, não tens que pedir desculpa. o objectivo não era esse, mas a interpretação de cada um tem sempre a ver com a sua própria vida. por isso é sempre legítima. :)

Eli disse...

E por que razão ele não lhe diz, não a puxa?

bagaco amarelo disse...

eli, não sei, mas acho que no fundo é porque não precisa. :)

Maniac disse...

Adorei...mas acho que às vezes as mulheres precisam mesmo de serem puxadas, de sentirem que existe o desejo espontâneo. Afinal de contas o sexo é a materialização maior daquilo que sentimos e não conseguimos colocar em palavras.

bagaco amarelo disse...

maniac, é... mas andar sempre nesse "
puxanço" não é nada saudável. pelo menos para mim. :)

Foxy Ni** disse...

mais um texto brilhante... e tenho de concordar com a poison :) :) e a vontade de absorver o outro é tão... tão boa!

bagaco amarelo disse...

foxy ni**, concordo. :)

Fatyly disse...

Só se viam os olhos entre uma nascente viva de cabelos negros. Eram doces, tão doces que ele perdeu a fala..... e a vontade de absorve-la mais, que foi dar uma volta com ela:)

Gostei e descreveste o que "Poison" comenta...mas na realidade o que é demais pode trazer consequências sufocantes e catastróficas. Há tempo e espaço para tudo!

bagaco amarelo disse...

fatyly, :)

Helê disse...

Suspiro duplo carpado. Ai ai.

bagaco amarelo disse...

helê, :)

memyselfandi disse...

Brutal! Mái'nada! =)