6.30.2009

pensamentos catatónicos (182)

Às vezes convenço-me que há um certo síndrome de Diógenes em todas as pessoas que se sentem apaixonadas. Diógenes foi um filósofo grego que desistiu de tudo o que tinha e acabou os seus dias a viver dentro de um barril abandonado. Não estou a dizer que quando nos apaixonamos vamos todos viver assim, estou a dizer que só somos capazes de nos apaixonar quando também somos capazes de abdicar um bocadinho de nós...

15 comentários:

Francesa disse...

O maior entrave a qualquer tipo de amor é o egoísmo.
Diogenes foi viver para um barril para viver de um modo auto-suficiente e despegado da sociedade, era um filósofo muito peculiar. É bastante interessante ler as histórias sobre a vida dele.
Quanto a paixão, penso que amámos aquilo que imaginamos da outra pessoa, é bom quando se transforma em amor... o pior é qd batemos com a cabeça...

Paula disse...

Grande verdade... assim mesmo ENORME!!! (e algo que passei uns meses a dizer a quem se dizia apaixonado...)

Beijo

susana disse...

tás muito profundo tás...
mais vale ir viver p dentro duma lâmpada mágica, ao menos satisfazemos 3 desejos :P

bagaco amarelo disse...

francesa, essa é uma visão da coisa, sim... mas também há quem lhe chame o síndrome de Diógenes e o ache uma doença. :)

paula, pois... tipo um aviso. :)

susana, satisfazemos? eu não acredito... :)

bia disse...

é bem verdade... aliás, acabamos sempre por abdicar de pequenas coisas quando estamos com alguém, é assim mesmo!

bagaco amarelo disse...

bia, pois é... não muda. :)

GiGi disse...

Diógenes... Será que a personagem Chaves (El Chavo, em mexicano) foi inspirada nele? LOL

zeni disse...

"estou a dizer que só somos capazes de nos apaixonar quando também somos capazes de abdicar um bocadinho de nós..."

Não percebi o "também". (?!)

bagaco amarelo disse...

gigi, tive que ir ver quem é a personagem Chaves. não conhecia... :)

zeni, o também é porque temos que ser capazes de duas coisas: apaixonar e abdicar. :)

Giovana disse...

Nossa!

Um seriado bastante antigo no Brasil (da década de 70) que faz sucesso até hoje. Achei que fosse um fenômeno mundial, LOL.

bagaco amarelo disse...

giovana, pois... não conhecia mesmo. :)

Apple disse...

Concordo plenamente...O despojamento (diferente da anulação que não trás nenhum aporte positivo)é condição para o êxito do amor.

bagaco amarelo disse...

apple, :)

subtilezas disse...

só somos capazes de nos apaixonar quando também somos capazes de abdicar um bocadinho de nós...

acho que acabei de perceber a minha incapacidade de me apaixonar. tank u bagaço*

bagaco amarelo disse...

subtilezas, welcome. lol. :)