8.15.2011

pensamentos catatónicos (255)

O Amor mesmo e o quase Amor

Há dois tipos de felicidade: a felicidade que se quer ter e a felicidade que se consegue ter. A felicidade que se quer ter é sempre a felicidade do Amor, a felicidade que se consegue ter é a felicidade do quase Amor. Sim, porque o Amor tem a mania de querer ser quase ele mesmo.
É muito fácil distinguir o quase Amor do Amor mesmo. O quase Amor acaba sempre bêbado, às tantas da manhã, num bar qualquer da cidade. O Amor mesmo acaba sempre na cama e tendencialmente sóbrio. Sim, porque a sobriedade é outro dos defeitos ou efeitos do Amor mesmo, e um defeito ou efeito tão grande que para sentirmos que Amamos temos que nos embebedar.
Há pessoas que passam a vida a quase Amar. É uma pena mas também é verdade, e é uma pena porque essas pessoas são a maioria. É como na política, acho eu. A maioria das pessoas é quase qualquer coisa que não sabe muito bem o que é, mas é como o quase Amor, ou seja, sempre uma merda. As pessoas que quase Amam acabam por mandar nas pessoas que amam mesmo. Não percebem é que as pessoas que Amam mesmo, por Amarem mesmo, se estão nas tintas para elas.
Eu recuso-me a ser seja o que for se for apenas quase. Tenho uma certeza na vida e só uma: o Amor não pode ser quase nada, tem que ser tudo. E acredito tanto no Amor mesmo que me recuso a viver um quase Amor, que é com quem diz um Amor mau. Se todos rejeitássemos a palavra quase, acho que vivíamos num mundo melhor. Ou quase...

11 comentários:

assenav disse...

o amor: ou é oito ou oitenta mas o melhor mesmo era ser 100.

AC disse...

Vivemos na época dos quase qualquer coisa...quase que tenho um emprego, quase que tenho uma profissão , quase que amo alguém...e realmente quase é sempre muito pouco ou nada de qualquer coisa..Excelente reflexão e que muito nos faz pensar...afinal quase que somos pessoas:))

bagaco amarelo disse...

assenav, exactamente. :)

ac, é a minha sensação... :)

Fatyly disse...

Parei, pensei e respeirei fundo. Sabes o que descobri? Que definitivamente o "quase" nunca fez, nem faz e talvez não fará parte da minha pessoa. Ou tudo...ou nada no quer que seja!

e a política actual... cambada de merda...quase nada! ARREEEEEEE

Gostei!

Turtle disse...

Nunca deveria haver um "quase". Porque se é quase, é porque na verdade, é "nada"!

bagaco amarelo disse...

fatyly, obrigado. :)

turtle, é mesmo isso, sim. :)

Ana rita disse...

Acredito tanto no que disseste. Detesto a palavra quase.
Tudo ou nada. Acho que as relações são melhores e mais saudaveis se assim forem. Tudo ou nada.

bagaco amarelo disse...

ana rita, :)

Ísis disse...

Adorei! Eu costumo dizer que ou tenho "tudo" ou não quero "nada"...e acho que não me entendem. Eu não quero quase ser amada porque não sei o que é isso :)

Ísis disse...

Adorei! Eu costumo dizer que ou tenho "tudo" ou não quero "nada"...e acho que não me entendem. Eu não quero quase ser amada porque não sei o que é isso :)

bagaco amarelo disse...

ísis, nem há outra possibilidade. :)