10.19.2010

respostas a perguntas inexistentes (109)

Um homem queixa-se ao balcão do bar. Diz ele que a vida vai de mal a pior e que se fosse mais novo mudava de país. Estou a tomar café sozinho mesmo ao lado e, apesar de ele olhar apenas para a barwoman que finge prestar-lhe atenção enquanto arruma melhor os pastéis de nata numa travessa, está a falar para todos os presentes. Está zangado e quer que todos o ouçam.
Eu concordo com ele, que este país vai de mal a pior, até porque esta manhã já tinha lido no Público Online que a mãe do nosso primeiro-ministro comprou a pronto um apartamento a um "offshore" num ano em que declarou menos de 250 euros de rendimento. É apenas mais um apontamento na cascata de más notícias que todos os dias nos assola. O que acho estranho é que todos os que se queixam queiram mudar de país e não mudar o país. Talvez seja por isso que estão sempre os mesmos no Governo.
Nas relações também é assim. Quando correm mal foge-se e não se tenta perceber. Não se tenta mudar. Ontem, também num café, um amigo dizia-me entre algumas garrafas de cerveja vazias que já vai no segundo casamento e que não está a resultar. Se fosse mais novo tentava já o terceiro. Nunca somos velhos demais para aceitar o sofrimento, respondi-lhe. Muito menos quando ainda estamos nos quarenta, insisti depois depois de mais um gole. O amor, por um homem, por uma mulher ou por todos nós (diga-se país), é também a nossa capacidade de intervir nele. Sem desistir...

21 comentários:

Salsa disse...

o que eu digo de muita gente é que é mais facil olhar para o lado e dizer que não viu ou que não sabe.
a integridade das pessoas é cada vez menor. num destes dias em que vhoveu vi um idoso cair na rua, reparei que varis jovens se riam dele se ter estatelado no chão enquanto o ajudava a levantar e lhe perguntava se estava bem vi muita gente passar olhar e seguir o seu caminho como se nada fosse. o estado da nossa sociedade é este uma grande apatia por tudo o que nos rodeia, muitas das vezes somos directamente atingidos falamos mas nada fazemos para mudar a situação.

Salsa disse...

P.S. - repara na data em que foi efectuada a compra pela mãe do nosso 1º ministro!

bagaco amarelo disse...

salsa, ainda bem que o ajudaste. obrigado por isso. :)

bagaco amarelo disse...

eu reparei, salsa. foi em 1998. Portanto, na altura ela pensava que não havia razão para ter cuidado com as asneiras que fazia. :)

Salsa disse...

o que se passou nesse ano de relevante para o nosso 1º ministro!

bagaco amarelo disse...

salsa, não me lembro... em 1998 ele era para aí ministro do Guterres... e as notícias sobre ele não param. http://www.publico.pt/Sociedade/assessora-de-manuel-pedro-confirmou-pagamento-de-luvas-a-jose-socrates_1358264

Salsa disse...

julgo que ele era secretario de estado na altura destes factos, ou então ministro do ambiente. mas como o homem tem mais corriculos e todos diferentes nem me dou ao trabalho de consultar.

bagaco amarelo disse...

salsa, tens razão... acho que só passou a ser ministro no segundo governo do Guterres... mas para ser sincero também não me apetece ir ver. A certeza que fica é que já era um gajo que se mexia muito bem... :)

GiGi disse...

Se vcs não conseguem mudar um país de 10 milhões de habitantes, que o digamos nós, que vivemos em um 20 vezes maior!

Fatyly disse...

"O que acho estranho é que todos os que se queixam queiram mudar de país e não mudar o país. Talvez seja por isso que estão sempre os mesmos no Governo."
aplicas a mesma fórmula ao Amor e sabes o que te digo?

quer no estado do país quer numa relação nunca se deve desistir numa aposta positiva.

Ao bagacito, bagacito poderia escrever tanta coisa...mas só se aprende com os erros...e havemos de sair deste.

bagaco amarelo disse...

gigi, nós somos mais teimosos. :)

fatyly, espero mesmo que sim. :)

EJSantos disse...

E poruqe raio continuamos a votar em bestas sem secrupulos? PArecemos uma mulher casada com um energumeno, a levar porrada todos os dias, e não se divorcia...

bagaco amarelo disse...

ejsantos, dificilmente arranjaria melhor metáfora. :)

Poetic GIRL disse...

Bem verdade, convém não nos esquecermos que a responsabilidade de quem está no governo é nossa (entenda-se de quem votou nele) por isso agora não vale sacudir a poeira das costas e fingir que não temos responsabilidades também, porque as temos, bjs

bagaco amarelo disse...

poetic girl, pois... eu nunca tive essa responsabilidade. :)

Anónimo disse...

Querido bagaco
O melhor deste post, foi a resposta que deste ao comentário da gigi.
"nós somos mais teimosos"
Que riso, certo, tão certo.
Beijo x
P.S.

Malena disse...

" O amor, por um homem, por uma mulher ou por todos nós (diga-se país), é também a nossa capacidade de intervir nele. Sem desistir..."
Por causa de afirmações como esta é que sou tua fã!!! :)))

Miguel Carranca disse...

O tipo "tuga"... fala, fala, mas não faz nada, porque fazer dá trabalho e o "tugazinho" não gosta de trabalhar. No século XX tivemos duas revoluções: a implementação da república e o 25 de Abril. Ambas as revoluções foram feitas por menos de 100 pessoas. Penso que isto diz muito sobre a atitude das pessoas face ao país. Infelizmente, gerimos as relações pessoais da mesma forma... "quem não está bem que se mude". Não precisamos de mudar de governo, nem de políticos... precisamos de fazer uma revolução cultural/social. Tudo é efémero para os egocêntricas que são os "tugas".

bagaco amarelo disse...

anónima, somos mesmo. :)

malena, :)

miguel carranca, a questão política, infelizmente, é mais profunda. Na Grécia foi o que foi e as eleições derrotaram a alternativa, na França é o que o que é e vai tudo voltar a votar no Sarkozy... :)

Su disse...

O texto mais bonito que já li no seu blog!
E olha que acompanho os textos há um tempo já.
Lindo lindo! :D

bagaco amarelo disse...

su, obrigado. :)