10.01.2010

divorciemo-nos

A política de rabo na boca, texto que publiquei no site distrital de Aveiro do Bloco de Esquerda, é só uma visão, mais uma, de como nos podemos deixar adormecer pela política. O poder é hegemónico e determina aquilo que está certo mesmo quando está errado. E nós vamos aceitando...
O medo da mudança é tal que teimamos em preferir essa hegemonia mesmo quando ela nos esmaga todos os dias. Hoje, por exemplo, e a sério que é só mais um exemplo, o mesmo PS que votou contra a criação duma bolsa de manuais escolares para famílias pobres, decidiu também enquanto governo gastar 134 mil euros num carro para transportar individualidades. Se o governo PS formasse uma maioria absoluta, o projecto da bolsa de livros escolares não tinha passado, ou seja, uma proposta que é apoiada por uma larga maioria da sociedade tinha morrido ali.
Estou a falar nisto porque rejeito relações doentias, sejam elas do foro amoroso ou político, e acho que a relação doentia que os portugueses mantêm com o poder político PS/PSD é a mesma que muitos sentem na sua relação pseudoamorosa. Quem está mal numa ou noutra que se divorcie e comece uma vida nova. Divorciemo-nos...

17 comentários:

Malena disse...

Parece que as pessoas temem a mudança! Protestam, estrebucham, mas na hora do voto a mão foge-lhes para o conhecido, como se conhecido fosse sinónimo de bom!
Somos mesmo um povo brando que escolhe sempre o centro, onde sentimos uma oferta de segurança sem extremismos. Ainda não percebemos que é preciso romper com estas águas mornas que acabam por nos congelar ou nos escaldar à vez!
Desta vez não vou deixar aqui um sorriso! Só por causa do assunto!
Para ti sim, sorrio!!

Salsa disse...

O problema é que nenhum politico, majistrado foi punido pelas barbaridades que cometem. Depois queixam-se que ninguém acredita neles. Eu já consumei o meu divórcio com esses dois faz muito tempo.

bagaco amarelo disse...

malena, e eu sorrio para ti. :)

salsa, o problema é isso ser uma desistência e não contribuir para mudar absolutamente nada... :)

Salsa disse...

não considero uma desistência mas sim uma revolta muda contra o sistema que esta instituído, cada dia que passa vejo as coisas mais negras para a sociedade portuguesa mesmo aqueles que agora estão bem o dia deles chegara!
em pais nenhum do mundo dito democrático vejo aquilo que vejo no meu, o estado em banca rota total e no entanto a manter uma vida megalómana (aeroportos, TGV, Carros topo de gama, despesas de representação com papas e afins).
um dia isto vai para mas esses dia não vai ser um dia muito bom, pois acredito que será um dia de revolução e desta vez acredito que haverão mortos pois as politicas referentes ao controle de armas estão longe da realidade vigente neste pais!
Podia-mos ser um pais de sonho e somos apenas um pais de pesadelos!

bagaco amarelo disse...

salsa, a tua revolta, a sério que a percebo bem. Percebo-a e compreendo-a, basicamente porque tens razão em tudo o que dizes. A nossa diferença está no meio para atingir a revolução. Eu não acredito em revoluções com mortes, acredito em revoluções com ideias, que por certo serão mais lentas mas com certeza serão mais eficazes.
É por isso que estou na politica. É na política que está o problema e é na política que ele tem que se resolver. Aquilo que eu não admito a ninguém, é que meta os políticos todos no mesmo saco, porque eu garanto-te que não ganho um tostão na minha actividade. Aliás, garanto-te que só gasto. Gasto dinheiro e grande parte da minha vida pessoal para tentar viver num mundo mais justo. É só isso. :)

Salsa disse...

como já te disse anteriormente não conheço a tua obra.
mas sei que há políticos honestos e que dão a camisa pelo povo embora sejam poucos, a maior parte apenas se servem dos cargos para fazerem crescer o seu património e o da suas famílias e amigos.
como tu nas tuas conversas acabas sempre por beber uma cerveja agora vou eu beber uma e brindar a um Portugal com futuro e alguma prosperidade para o povo que tanto é martirizado por políticos de merda que se servem dos cargos que exercem!
bom fim de semana.

bagaco amarelo disse...

salsa, eu estou a trabalhar até à meia-noite e meia. depois também bebo uma... ou duas. bom fim de semana. :)

Egas disse...

A verdade é que também acredito que também deva haver pessoal honesto no PS e no PSD. Mas como a gordura é que vêm ao de cima, somos apanhados com estas tristes figuras, mesmo com as de outras forças politicas (todos votaram a favor quando foi para manter o sigilo das doações das campanhas eleitorais)... Outra questão é que a crise é internacional, não é só em Portugal, mas sem ninguém se preocupar com as contas, apesar de a classe média/baixa andar a apertar o cinto a quase 10 anos...
Concordo com o Salsa, devia existir uma fiscalização que cobrasse quando as coisas não estão a correr bem.

"Portugal é hoje um paraíso criminal onde alguns
inocentes imbecis se levantam para ir trabalhar,
recebendo por isso dinheiro que depois lhes é
roubado pelos criminosos e ajuda a pagar
ordenado aos iluminados que bolsam certas leis."-Barra da Costa

Giovana disse...

Amanhã temos eleições aqui.
Vc não tem ideia do CIRCO que se tornou a política no Brasil.
Lamentável.

Fatyly disse...

É por isso que estou na politica. É na política que está o problema e é na política que ele tem que se resolver. Aquilo que eu não admito a ninguém, é que meta os políticos todos no mesmo saco(...)
..................
Subscrevo inteiramente e todos nós devíamos estar na política ou mais dentro dela para saber de uma vez por todas, separar o trigo do joio. Em todos os partidos há bons e maus políticos e porque raio os bons têm medo de levantarem a voz, serem justos e lutarem contra quem manda dentro do partido? Salazar era o que era e o povo po-lo de lá para fora ou terá sido a cadeira?
Somos peças inertes de um xadrez em que se aponta o dedo, manda-se bitaites, diz-se mal e nas campanhas o que fazem a troco de uma bandeirola, chapéu, saco e até beijinhos? Conforme os puseram lá podem ser retirados mas a união, garra e força do povo...só aparece em torno do futebol e do fado. Também não é preciso violência como tem ocorrido noutros países, há mil formas de matar ratos!!!!!

O estado do país é culp de todos nós, onde a abstenção é tremenda (quando aprendem que abstenção é nocisa bem ao contrário do voto em branco?)e o medo da MUDANÇA RADICAL (ninguém sabe o fariam porque nunca lá estiveram) é tremenda...

Outra coisa que não percebo é para que servem tantos sindicatos dentro do mesmo ramo profissional?

Mas com esta CGTP ou UGT, colados ao tacho há anos...o barco não vai a lado nenhum!

Enfim, até Janeiro teremos nova segada e gastos de rios de dinheiro e lá vamos ter o mesmo magrela ou outro de pantufas. Já alguém se deu ao cuidado de saber mais sobre os outros candidatos? Pois não sabem quem são...vão ver!!!!

Já há anos que estou divorciada e farta destes palhaços políticos!!!

bagaco amarelo disse...

egas, com certeza que sim... mas um gajo honesto que continua a contribuir para um partido que não o é...

giovana, hum... acredita que faço ideia. :)

fatyly, tens razão... devíamos todos ser políticos. O problema da UGT é que não é uma verdadeira central sindical. depois do 25 de abril a UGT não tinha sindicalizados nenhuns e teve que andar a comprar gajos do PS. Por isso é que se tornou no que se tornou. A CGTP, por seu lado, é a mesma coisa que o PCP, embora cada vez menos. :)

Mefistofeles disse...

Bem vistas as coisas também dava jeito que neste país se decidisse o que é se quer... Numa centúria assassinou-se um rei porque a monarquia não servia os interesses do país, a 1ª República foi de morte (literalmente...), acresce-lhe mais 40 anos de regime em que se estabilizaram as contas públicas mas progredir, nada! Finaliza-se com a mascarada do 25 de Abril e foi uma alegria. Curiosamente, e se se atender ao estado financeiro da nação, a coisa regrediu escandalosamente depois disso...
Afinal... em que é que ficamos?

bagaco amarelo disse...

mefistófeles, se calhar está na altura de ficar naquilo que nunca ficámos: uma economia mais justa. :)

Mefistofeles disse...

B,
por muita justiça que reconheça ao teu comentário não sei bem se neste país é isso se procura... Já dei por mim a achar que a revolta contra a corrupção não quer necessariamente dizer que se queira acabar com ela, mas que muita gente gostaria de estar do lado de lá... Pode ser que tenha a felicidade de me enganar!! (mas duvido, sim?!)

bagaco amarelo disse...

Mefistofeles, isso é bem verdade, a corrupção parece um tentáculo invencível, mas quando eu falo de justiça na Economia não falo só de corrupção, falo também do que é actualmente um roubo generalizado e legalizado a todos os que trabalham. Mas compreendo bem a tua decepção e partilho-a. Tanto que continuo na política o mais que posso, mesmo sem ganhar nada com isso... acho que é a única saída possível, uma mudança política. Posso estar enganado, claro... :)

Mefistofeles disse...

Vamos esperar que não. As alternativas implicam, a priori, maiores convulsões...

Beijos
M

bagaco amarelo disse...

mefistofeles, concordo. beijos :)