12.05.2007

crónicas da cidade que sopra | aniquila-se o silêncio numa noite

Amanhã, no Diário de Aveiro, mais algum silêncio aniquilado.

Aniquila-se o silêncio numa noite, da forma mais imediata possível, para afastar a solidão. Caminha-se pela fria taciturnidade das montras na avenida principal, percutindo os passos com a convicção de quem sabe para onde vai. Mas não se sabe. Nunca se sabe. Ora se entra num bar despovoado, ora num cinema atapetado por cadeiras vazias, ora numa loja cuja luz mais intensa é a do painel da saída. Às vezes, nem se sabe bem porquê, nem se entra em lado nenhum, e a luz da Lua é a única que nos vê calcorreando cada esquina da cidade que sopra.

4 comentários:

Anónimo disse...

o silêncio e a solidão, a noite e o vazio não se aniquilam, aprendem-se e apreendem-se.
estás em greve de envio?
Carla

bagaco amarelo disse...

carla, estou só com problemas no pc e na vida em geral... hoje ainda envio, em princípio :)

Anónimo disse...

o melhor é fazer um refresh aos problemas quer do pc quer da vida!
carla

bagaco amarelo disse...

yep, carla... pois é... mas há refreshs em que o pc não liga de novo... :)