7.31.2012

respostas a perguntas inexistentes (214)

Ontem a Patrícia veio ver-me. Digo assim, que a Patrícia veio ver-me, porque é mesmo esse o sentido da coisa. Eu estava sem vontade de sair e ela veio visitar-me como se eu estivesse internado na minha própria casa. Ela era a visitante, eu o doente. Ouvi-a a estacionar o carro lá fora (distingo o som do motor do carro dela muito facilmente), mas mesmo assim esperei que ela tocasse à campainha para me levantar e abrir a porta.
Tinha-lhe dito ao telefone que não me apetecia estar com ninguém, mas ela insistiu que queria vir. Argumentou que não demoraria muito. Esperei, entre esse telefonema e a chegada dela, talvez uns vinte minutos. Depois vi-a entrar, servir dois copos de vinho duma garrafa que ela própria trouxe, e sentar-se ao meu lado no sofá.
O cd áudio que estava a tocar acabou nesse preciso momento. Ela levantou-se de novo e escolheu uma colectânea de música popular brasileira para encher a casa com alguma alegria. Palavras dela, pelo menos. Perguntou-me várias coisas sobre mim: se eu ando bem, se está tudo bem entre mim e a Raquel, se está tudo bem com a minha filha e se ando a ler algum livro. Respondi que sim a tudo. Por fim saiu de novo, sem se servir de um segundo copo, e disse-me para lhe ligar se precisasse.
A Patrícia é uma amiga rara. É leve. Acho que me Ama sem nunca ter estado apaixonada por mim. Quer-me bem e não quer mais nada. Atura-me nas minhas infinitas mariquices de homem adulto, sempre sem demonstrar cansaço ou impaciência. Não me pede nada em troca da sua atenção. Nem sequer a minha própria atenção.
Ouvi o motor do carro dela arrancar lá em baixo e fui à cozinha molhar os copos de vinho para que os resíduos não secassem. Vi a garrafa dela a meio, pus-lhe uma rolha e guardei-a. E eu, que não queria ver ninguém, fiquei imediatamente com saudades dela.  

17 comentários:

Mam'Zelle Moustache disse...

Gostei da tua amiga Raquel. Quero uma amiga igualzinha!
E do texto, claro, também gostei do texto :)

Quase nos "entas" disse...

Não há muitos amigos assim....são preciosos...

;)

Maria disse...

Tens muita sorte. Amigos assim , ou amigas como a Patrícia são muito raros. :))

Bagaço Amarelo disse...

Mam'Zelle Moustache, obrigado. a Raquel é a minha namorada, a Patrícia é minha amiga. :)

quase nos "entas", são sim. :)

maria, eu tenho alguns... :)

Fatyly disse...

Esses é que são os verdadeiros amigos e sem interesses escondidos...

Gostei imenso

Olga disse...

Ter uma amiga destas é infinitamente melhor que ganhar o euromilhões e a probabilidade de ter amigos assim é menor que a de ganhar dito. :)

Bagaço Amarelo disse...

fatyly, pois são... obrigado. :)

olga, com certeza que sim. :)

PR disse...

A Amizade verdadeira é um Amor Incondicional, tal como tu próprio caracterizaste, sem pedir nada em troca e sem cansaço.Oxalá todas as nossas relações pudessem ser assim.
PR

Bagaço Amarelo disse...

PR, obrigado. é isso mesmo. :)

Anónimo disse...

"Acho que me Ama sem nunca ter estado apaixonada por mim."

Sim. Uma amiga, uma verdadeira amiga. Muito bom.
Há homens com sorte.
EJSantos

Bagaço Amarelo disse...

ejsantos, ser homem é uma sorte, já por si... :)

Mam'Zelle Moustache disse...

Então e eu não sei bem disso, BA! A sério, foi pura distracção. Desculpa :)

Bagaço Amarelo disse...

Mam'Zelle Moustache, não é caso para tanto. :)

Lily disse...

É isso a amizade. E é tão bom ter amigos!

Bagaço Amarelo disse...

lily, é. :)

redonda disse...

Parece mesmo uma grande amiga (ia escrever que também queria uma amiga assim, mas depois lembrei-me que tenho pelo menos uma que é assim :)

Bagaço Amarelo disse...

redonda, se calhar temos todos pelo menos um. :)