7.06.2012

coisas que fascinam (150)

menino

Tenho ido almoçar a um restaurante onde a dona me trata por menino. Não me lembro da última vez que me chamaram menino da maneira que ela o faz, mas isso chegou para ter ficado cliente assíduo logo na primeira vez que lá fui. A cozinheira saiu da copa com um prato de sopa fumegante e perguntou alto para quem era. "É para aquele menino!", disse a dona. Eu sorri. É que vou fazer em breve quarenta e um anos. 
Uma vez, em criança, recusei-me a comer um prato de sopa assim, também fumegante. Pior, recusei-me a almoçar. Não tinha fome. A minha tia disse-me que eu estava com cara de menino apaixonado e que era por isso que não queria comer. "Já está um menino!", concluiu ela olhando para o meu tio, que acenava com a cabeça concordando. Na altura não percebi como é que ela adivinhou uma das minhas primeiras paixões, mas liguei imediatamente as palavras "menino" e "apaixonado". Pelos vistos era preciso ser a primeira para sentir a segunda.
Não me sinto velho. Na verdade sinto-me mais novo do que velho, embora não seja nem uma coisa nem outra. O que eu sei é que estou continuamente apaixonado há três anos e meio, mais coisa menos coisa, e para ser franco acho que isso nunca me tinha acontecido na vida. Deve ser da idade, lá está. Pelo menos é o que penso de vez em quando. Talvez finalmente tenha aprendido a Amar. Ou então foi sorte, sei lá. 
Já estive apaixonado na vida durante mais de três anos e meio, claro, mas nunca assim desta maneira: ininterruptamente. Admito que isto às vezes me dá medo, mas o que me dá mais vezes, quase sempre, é o oposto. Uma coragem qualquer que não sei explicar bem. Pela primeira vez na vida sinto-me, de facto, menino outra vez.
Quando era novo, menino mesmo, fartei-me de ouvir incentivos para me tornar homem. "Faz-te um homem", "Vê lá se cresces e arranjas uma mulher!" ou "Estás um homem feito!". Cheguei a pensar que ser menino é ser inconsistente, que é um limbo entre a criancice e a vida a sério. Aquela em que, lá está, arranjamos uma mulher para a vida. Depois cheguei à vida a sério e apeteceu-me ser menino outra vez. É que é uma desilusão descobrir que o Amor pode morrer devagar.
Tem piada, agora que penso nisso acho que foi a maior desilusão que tive na vida, essa de acordar de manhã e descobrir que o Amor morreu. Tive que estar agora mais de três anos ininterruptamente apaixonado para o voltar a ser. Menino, digo. Menino!

10 comentários:

Quase nos "entas" disse...

Como entendo as tuas palavras....
Voltar a ser menina...aliás adoro que me chamem menina...ehehheh
mas a inocencia da menina..já se foi....
Fizeste-me sorrir...
não por ter graça...mas pela demontração de AMOR... bonito...muito bonito :))

Bagaço Amarelo disse...

quase nos "entas", obrigado. :)

cores e outros amores disse...

Que bonito... gostei, ou melhor, adorei! Vou continuar a ler-te, menino!

Bagaço Amarelo disse...

cores e outros amores, obrigado. :)

homem sem blogue disse...

Como envolve uma sopa, posso dizer que me deliciei com este texto

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt

Bagaço Amarelo disse...

homem sem blogue, obrigado. :)

A Vida da Cinderela de Saltos Altos disse...

Bonito texto...

Mam'Zelle Moustache disse...

Medo, às vezes, não faz mal. A coragem que sentes, no resto do tempo, compensa, certo? :)

Fatyly disse...

Gosto da ternura dessa senhora como de outros e outras, mas já detesto quando peço e me dizem "a querida o que pretende"? (soa-me a falso ou jet 10!

É esse apelo que tento transmitir aos meus e até aqui já o manifestei: nunca deixem morrer a criança que há em vós, porque já o fomos, mas podemos continuar a ser: alegres, sem maldades, verdadeiros, genuínos e valorizar pelo que temos e passamos e fico feliz por te ler e saber que te sentes "menino".

Eu ontem também fui "menina" noutra forma de amar, já está na minha cubata:) mas amanhã vou ser "menina rebelde, refilona e medricas" porque não tenho vergonha que tenho PAVOR de ir ao dentista lolll

ADOREI e já imprimi para a minha mãe...que irá adorar...também ela é uma bela menina:)

Hoje deixo-te um xicoração e a quem te pôr de novo como "menino"

Bagaço Amarelo disse...

a vida da cinderela em saltos altos, obrigado. :)

Mam'Zelle Moustache, mais do que certo. :)

fatyly, obrigado. um xi-coração para ti. :)