2.09.2012

Zapping Sobre As Madrugadas Idênticas

A Eugénia Brito quer que o Amor nunca surja por acaso, mesmo quando surge. Para além da forma como escreve, é essa forma de sustentar uma paixão que faz de Zapping Sobre As Madrugadas Idênticas um livro tão obrigatório de ler quanto o do Amor passar pela nossa vida. Mesmo quando passa sem querer.
Posso apaixonar-me por uma mulher e todos os dias dizer para mim mesmo que tenho sorte em tê-la encontrado. Mais sorte ainda por ela se ter apaixonado por mim da mesma forma que eu me apaixonei por ela. Só que a sorte nunca chega para aguentar um Amor de pé, e é por isso que todos os dias, na mulher que eu Amo, procuro as razões desse Amor. Encontro-as em tudo: no corpo, no cheiro, no olhar, nas lágrimas, no ombro, nos pés, na voz, no sono, no sexo e até no adeus. Depois espanto-me por ver tanto daquilo que à partida me parecia invisível.
Conheci a Eugénia por sorte há uns anos, num pequeno passeio que fiz a Braga. Desde então, tenho encontrado em cada livro seu mais uma razão para a ter conhecido. O Zapping Sobre As Madrugadas Idênticas pode ser comprado nestes sítios. Por acaso ou por opção.

"Ver a verdade não é possuir a verdade. Ver a tristeza é possuir a tristeza. Só a reconhecemos porque temos espaço disponível para a sustentar e porque já fomos tristes, já fomos felizes, já fomos contentes, já fomos e sentimos. Já agimos em função desses estados e sabemos que para conseguirmos expulsá-los temos que os reconhecer."


in Zapping Sobre As Madrugadas Idênticas, Eugénia Brito, edição de autor, 2011
Prémio Literário Cidade de Almada 2010

4 comentários:

Olga disse...

Parece-me uma boa sugestão. Ando sempre à procura de bons livros mas infelizmente acabo por trazer alguns que ponho na estante sem acabar de ler.

Estas "cartas de amor" para a Raquel são uma delícia. :)

bagaco amarelo disse...

olga, eu também não insisto nos livros que não estou a gostar. :)

Fatyly disse...

Só tenho pena é que os livros sejam tão caros e não possa comprar mais.

Já notei a sugestão e o pedacinho que mostras de facto deve ser uma obra excelente.

bagaco amarelo disse...

fatyly, concordo. :)