8.27.2010

respostas a perguntas inexistentes (103)

Passei a acreditar que o Amor é sempre uma coincidência. Aliás, convenci-me que o mundo se faz exclusivamente de coincidências para que o Amor seja sempre uma. É-nos agradável pensar na sorte que tivemos em encontrar alguém, e escusamos de pensar que se não fosse essa a dar-se seria outra qualquer. É por isso que quando vivemos um amor o mundo é o primeiro a quem nos lembramos de agradecer. E agradecemos-lhe sempre, nem que seja pelo simples facto de o percorrermos com um ar feliz.
O problema das coincidências é terem a mania que se fazem sozinhas e que depois vêm ter connosco. Não vêm. Somos nós os pais e as mães de todas as coincidências que se passam à face da Terra e temos que fazer por elas.

10 comentários:

memyselfandi disse...

Tem dias... =)

bagaco amarelo disse...

memyselfandi, :)

Closet disse...

coincidência... eu também penso assim!

O Gaijo disse...

bagaco, sem comentar deixo-te o meu artigo :) http://pensamentosdeumgaijo.blogspot.com/2010/08/certeza-de-encontrar-cara-metade.html

Sandra disse...

Gostei muito do "Somos nós os pais e as mães de todas as coincidências que se passam à face da Terra e temos que fazer por elas." :) concordo!

Luís Maia disse...

Não há coincidências o livro da vida é complexo e não foi escrito por nos.

A jornada é longa e tem várias etapas

bagaco amarelo disse...

closet, :)

o gaijo, :)

sandra, obrigado...:)

luis maia, pois... eu acho que o escrevemos nós. mas eu sou ateu e materialista dialéctico... :)

mr.Z disse...

a melhor e mais linda mulher que conheço, conheci por coicidencia...

ta td dito

Fatyly disse...

Há de facto coincidências e só por si a palavra diz tudo, mas não acredito que somos "mães e pais de todas e muito menos no que toca o Amor", porque surge quando tiver que surgir, sorte? talvez vá mais por aí...e se surgir há que aproveitar!

bagaco amarelo disse...

mr Z, somos dois. :)

fatyly, há quem diga que a sorte se procura. :)