8.24.2010

respostas a perguntas inexistentes (102)

As pessoas que marcam lugar têm uma grande probabilidade de falhar no Amor. Hoje estive algum tempo sentado na praça da alimentação dum shopping do grande Porto e vi uma mulher atirar-se desalmadamente para uma das poucas mesas disponíveis. Depois tirou o casaco e cobriu-a com ele antes de ir para uma slow fila duma casa de fast food. Quando voltou trazia a comida e o marido, com quem passou o jantar a discutir por ele se ter atrasado numa loja qualquer. Fez-de de vítima e de heroína, por ter conseguido arranjar aquela mesa.
O Amor não marca lugar. Procura-o quando já tem o tabuleiro na mão mesmo que demore mais a encontrá-lo. Aliás, procura-o quando já tem o tabuleiro na mão precisamente para que demore mais a encontrá-lo. É que o corpo alimenta-se do que está no tabuleiro e o Amor alimenta-se dessa procura, dos olhares que nela se cruzam, dos ombros que nela se tangem, dos cheiros que nela se misturam. O Amor é só uma probabilidade, não é uma marcação.
Marcar um lugar desta forma é virarmo-nos de frente para esse pequeno lugar e de costas para o grande resto do mundo inteiro, ainda por cima para comer uma dose de batatas fritas e um hambúrguer com queijo...

6 comentários:

Fatyly disse...

Exactamente e realmente a tua escrita surpreende-me. Adorei!

Girl in Motion disse...

adorei *.*
já te disse que adoro estes teus textos.

bagaco amarelo disse...

fatyly, obrigado. :)

girl in motion, obrigado. :)

Eva Morais disse...

Muito bom. parabéns.

Naz disse...

Lindo...gostei...tão verdadeiro...
falta de paciência, humildade, tolerância...o que é feito dos "pequenos gestos" e do respeito? enfim...

bagaco amarelo disse...

eva morais, obrigado. :)

naz, exacto. é por aí. :)