8.06.2010

conversa 1572

Ela - Estive a pensar na minha vida.
Eu - Estiveste?
Ela - Sim, estou feliz no meu casamento mas nem sei se o mantenha ou se o termine.
Eu - Se estás feliz... não percebo a dúvida.
Ela - É que se calhar só estou feliz porque nunca experimentei outro.

29 comentários:

Eli disse...

Acho que a tua amiga vai de encontro à estatística dos divórcios!

Girilim disse...

lol

Cisne disse...

Isso, perdoe-me a sinceridade, é só rídiculo...


Cisne.

hoje vou casar assim disse...

Isso não pode ser real!!
Não pode mesmo!

LOOL

Doce disse...

WTF????

→ Calipso disse...

LOOL Adr as conversas qe tu tens :p

m disse...

ok, costumo seguir as converças e tal, mas esta aqui tenho que dizer que é muito estúpida --'

Amarelinha disse...

E tem a sua lógica, a felicidade é muito relativa! :)

GiGi disse...

Acho que compreendo o que ela quer dizer :)

Fatyly disse...

O que é que eu disse ali em baixo?...a era do descartável.

Ai, ai dá deus nozes a quem não tem dentes!

Nox Lilin disse...

Uma vez alguém disse que a ignorância é o segredo da felicidade.

S* disse...

As mulheres, eternas insatisfeitas.

Cátia disse...

Ah... as dúvidas!
Mas a última frase dela é bem verdade. Quando não se conheceu mais nada como se sabe que o que se tem é felicidade?
É como viver sem sofrimento; como saber o que é bom?
Tem de se conhecer os opostos para saber o que cada um deles é.



Beijos, bom fim-de-semana :)*

Sara disse...

Às vezes é preciso provarmos um limão para perceber que, afinal, as laranjas até são doces...

bagaco amarelo disse...

eli, às tantas vai mesmo. :)

girilim, :)

cisne, eu não sei... :)

hoje vou casar assim, existe, existe... lol. :)

doce, :)

calipso, obrigado. :)

m, :)

amarelinha, como vês as opiniões divergem sobre esta conversa. eu concordo contigo. :)

gigi, tem sim... :)

fatyly, deus farta-se de fazer, de facto, e por algum motivo há-de ser. :)

nox lilin, os fascistas dizem, por exemplo, e é verdade. eu não acho é que se deva apostar na ignorância por causa da felicidade. o saber também traz felicidade... :)

s, yep. :)

cátia, exactamente. e bom fim de semana também. :)

sara, é verdade. e o contrário também. :)

Calcinha Ltda. disse...

Bom...
Entendo perfeitamente

Anónimo disse...

Bem, caro Bagaço. ESta é pura e simplesmente horrivel. Nem acredito que alguém diga tal dispatate.
Ela que se divorcie e arranje um homem que lhe dê porrada. Ou em alternativa que se trate.
EJSantos

Miss Piglet disse...

Vê-se mesmo que não percebes nada de mulheres. Aquilo é simplesmente rídiculo e falso. As mulheres, dum modo geral, acreditam no amor romântico e só querem ser felizes. Ninguém troca a felicidade pelo incerto...digo eu.

GiGi disse...

Por falar em ignorância, o maior problema do ignorante é quando ele descobre o quanto o foi durante a vida. Se ainda for jovem, há tempo de recomeçar. Se já for idoso, aí a dor de não poder voltar atrás pode ser terrível. Mesmo para o jovem, sempre fica uma sensação de perda de tempo.

Sejamos ignorantes, mas tomemos cuidado para não descobrir mais tarde o quanto o fomos LOL!

Beijinhos

PS: blog novo: poetica-do-corpo.blogspot.com

C disse...

Tenho um selo para ti no meu blog (http://7lados.blogspot.com/search/label/selos)
porque acho mesmo que é um esboço de qualidade. Gosto da maneira como escreves.

Ritinha disse...

AHAHAHAHHA!!!! Eu tb sou assim... Nos relacionamentos,the grass always looks greener on the other side of the fence... ;)

Maria Albertina disse...

ao tempo que não vinha aqui espreitar as novidades...ehehe
saudades :)

Feiticeiro disse...

Eu também compreendi a mensagem.
É certo que quando nos focamos no que mais nos indigna, acabamos por esquecer o resto.
Mas o que é isso de pensar na vida? Passado? Presente? Ou será futuro?
E a vida de quem? A de quem pensa? Ou dos outros também? Improvável esta última hipótese.
Poderia especular que algo falta na vida que é pensada ou então vive-se a vida e não se pensa acerca dela.
Um casamento estável, com todas as seguranças, sim, pode-se ser feliz num casamento assim, mas seremos nós assim felizes?
A felicidade relativiza-se às circunstâncias mas é uma linha recta no eixo da apreciação da nossa existência em interelacionamento com os outros...
Mas se algo falta, como já escrevi, então de facto poderá experimentar outro casamento, outro relacionamento que se afine ou que tente dar resposta ao que falta.
E de facto nunca se sabe mas antes de acharmos o problema no outro, ou que o nosso amor não é suficiente para ele, será nosso amor suficiente para nós mesmos?
E que o sol brilhe de novo =)

Anónimo disse...

Eu andei anos a pensar que o que vivia era felicidade... até que conheci outras vidas, e descobri que a minha "felicidade" era o comodismo do outro... e já não fui mais feliz.

Portanto, compreendo absolutamente.

bagaco amarelo disse...

calcinha ltd, :)

ejsantos, lol... acho melhor isto do que levar porrada. :)

miss piglet, que não percebo nada de mulheres é, de facto, um dado adquirido. :)

gigi, exacto. :)

C, obrigado, estou de férias e com acesso dificultado à net mas quando regressar não me esqueço de ir lá. :)

ritinha, sempre, sempre?

maria albertina, :)

feiticeiro, exacto. :)

anónimo, obrigado. eu acredito perfeitamente. :)

taniah disse...

eu sou muito a favor da minha própria teoria - que estranho - mais vale uma pessoa ignorante que limitada...

bagaco amarelo disse...

taniah, concordo... mas acho que a intersecção entre ambos é muito grande. :)

LittleHelper disse...

Caro bagaço,
Por favor, tranquiliza-me e diz-me que esta foi completamente inventada!...
:#

bagaco amarelo disse...

LittleHelper, lamento informar-te que nesta conversa o nível de criatividade é extremamente baixo. :)