11.03.2009

apaixonei-me por ela numa viagem de comboio.

Apaixonei-me por ela numa viagem de comboio. Primeiro vi-a sentada num dos bancos da estação, folheando um livro enquanto arrumava o seu próprio corpo na quantidade exagerada de objectos que a acompanhavam. Uma pequena e coçada mala vermelha cheia como um ovo; uma carteira de tiracolo de onde tinha tirado o livro e que agora esperava como um cão obediente, de boca aberta, que ela o tornasse a arrumar; um casaco comprido adormecido serenamente no seu colo apetecível e, ao seus pés, um saco de plástico de um supermercado qualquer com algumas compras.
Apaixonei-me por ela numa viagem de comboio. Depois vi-a a guardar calmamente o livro na carteira, acordar com doçura o casaco antes de o vestir, pôr a carteira a tiracolo ajustando-a milimetricamente ao seu corpo e, por fim, caminhar para o comboio com o saco de plástico numa mão e a mala vermelha noutra.
Eu já lá estava, observando-a privilegiadamente a partir duma janela, porque tinha corrido para a carruagem com a pressa de todos os outros passageiros. Foi só aí que me expliquei aquela paixão súbita, enquanto ela se instalava num banco à minha frente exactamente como se instalara no cais: com o casaco a adormecer de novo ao seu colo e a carteira de boca aberta ao seu lado. Ela tinha uma velocidade diferente. Era como se todos caminhassem rapidamente para a morte e ela, apesar de ir na mesma direcção, parasse de vez em quando para contemplar a vida.
Apaixonei-me por ela numa viagem de comboio. E se ela contemplava a vida eu contemplava-a a ela, e se ela se perdia num mar de letras eu perdia-me num mar de mulher. Um mar de ondas calmas e espaçadas, às vezes provocadas pelo virar de mais uma página, outras vezes por uma efémera troca de olhares e outras vezes pelo simples acto de respirar.
Apaixonei-me por ela numa viagem de comboio. Depois adormeci... e talvez por o meu sono ser ciumento do sono do seu casaco, fui mergulhando nessas ondas como num sono cada vez mais profundo. Quando acordei ela já não estava. Tinha saído numa estação qualquer. Não faz mal, às vezes apaixonamo-nos por quem não pode viajar connosco.

43 comentários:

Este Blogue precisa de um nome disse...

Como te entendo, ando a viver uma coisa semelhante...Beijo;)

loira disse...

Que bonito :)

Kelle disse...

Caramba, que texto lindo! Consegui imagianr cada pormenor do cenário escrito no texto!

Sandra disse...

Lindo :)

Electra disse...

que inveja da rapariga do comboio... às vezes dá-me vontade que um desconhecido se apaixone por mim: puro egoísmo bem sei, até porque eu não poderia seguir viagem com ele. mas ia saber-me bem encontrar a faísca da paixão num olhar de um desconhecido... e depois sair.

Paula Raposo disse...

Sem dúvida, como tens razão!
Beijos, adorei este texto...

memyselfandi disse...

Faz mal, faz sim senhor! Te digo eu.

Cindy disse...

Adorei o texto, parabéns!
Beijocas

A Tela disse...

Que sorte! Em tempos idos, já me apaixonei por muito menos...Só foi pena teres adormecido ;-)

bagaco amarelo disse...

este blogue precisa de um nome, eu tento viver todos os dias... :)

loira, obrigado, :)

kelle, :)

sandra, obrigado, :)

electra, procura bem... :)

paula raposo, obrigado. :)

memyselfandi, no meu caso, acredita que não faz mal. só faz bem... :)

cindy, obrigado. :)

a tela, adormecer soube-me bem... :)

Ginasol disse...

É assim B.A., por norma as paixões são efémeras... Umas mais que outras!Vêm e vão, algumas "descambam" em amor... A tua escrita é apaixonante e pelo que já vi, nada tem de efémera...
Beijos

GiGi disse...

Apaixonamo-nos sempre. Ainda que já amemos alguém, existe algo que nos impulsiona a certa paixão que nos faz sonhar por alguns instantes.

Se o amor é envolto em mistério, a paixão então... :-)

Beijos!

. disse...

Isso roça um pouco o voyerismo não?

Tweety disse...

Uau...
Acho que a isto se chama amor platónico...lol
O texto tá lindo, tudo bem promenorizado. Parecias um escritor que recebera um premio nobel.

continuando assim... disse...

adorei!!!

precisava mesmo de me apaixonar assim:) :(

bj
teresa

Se o "se" não tivesse ficado só no "se" disse...

Acho ao mesmo tempo belo e triste apaixonamos por pessoas que n poder viajem conosco, mas a vida é assim...e seria até chata se assim n fosse!

sophia disse...

Encontrei este blog à duas semanas e fiquei que tempos a ler textos antigos... Agora venho diáriamente ver se há posts fresquinhos. Agorei este texto, parabéns, consegui imaginar tudo ao pormenor :)Como disse a Electra gostava de ter sido a rapariga do comboio!! Parabéns.
Sofia

Princesa Bé disse...

gostei muito, muito, muito

Nelson Ferreira disse...

Também aceita comentários de homens :)?

Parabéns por este texto e por este blog.

Fabi disse...

Não devia ser permitido apaixonarmo-nos por quem não pode seguir a nossa viagem...não devia ser...

Lotus Blossom disse...

Confesso que me surpreendi, não pelo texto estar bem escrito, o que é habitual neste blog, mas pela delicadeza das palavras. Esperava mais detalhes físicos, afinal de contas um(a) estranho(a) chama a nossa atenção pela aparência física, pela cara bonita, pelo estilo, etc. Mas este texto não se foca no impacto físico da mulher o que foi surpreendente.

Claudia disse...

Belíssimo post...brincaste com as palavras como se fosse uma coisa fácil. adorei.

bagaco amarelo disse...

ginasol, obrigado... :)

gigi, exactamente, :)

., não. :)

tweety, lol. obrigado. :)

continuando assim, concordo que a paixão é uma necessidade. :)

Se o "se" não tivesse ficado só no "se" , em vez de triste prefiro chamar-lhe nostálgico ou assim. :)

sophia, obrigado pela presença. :)

princesa bé, obrigado. :)

nelson ferreira, lol... aceito. claro que sim. obrigado. :)

fabi, ao mesmo tempo isso dá-nos uma sensação de liberdade. :)

lotus blossom, obrigado... é pelos gestos, sim, que também nos podemos apaixonar. :)

claudia, obrigado. :)

Olga disse...

Senti-me a viajar também nesse comboio. Palmas!

Isto traz-me alguma nostalgia das longas viagens que fazia nos meus tempos de estudante. Tinha o hábito de desenhar histórias sobre os desconhecidos que se cruzavam comigo.

RPM disse...

Pronto, fiquei apaixonada. Tens jeitinho, tens.

bagaco amarelo disse...

olga, esse é um bom hábito, acho eu, que passo a vida a fazer isso. :)

rpm, :)

Lady_M disse...

Durante 5 anos viajei de comboio, precisamente para, e de Aveiro, onde estive a estudar, e não foram poucas as vezes que adormeci depois de me apaixonar...
Sabia tão bem acordar com a sensação de ter vivido por momentos outra vida que não a minha...

Joana disse...

Pois é, às vezes a viagem não dá mais para os dois, custa tanto. Pena ela ter saído noutro tempo que não o teu. Mas que bom teres amado alguém que te fez escrever o texto mais bonito que li de todos os teus textos. Delicioso.

Princesa Canela disse...

E às vezes apaixonamo-nos apenas pelas viagens que fazem connosco. (Bonito texto)

bagaco amarelo disse...

lady-M, foi numa viagem dessas, então. :)

joana, obrigado. :)

princesa canela, exacto. obrigado. :)

bang disse...

A poesia é uma paixão constante.

Um abraço.

SadLonelyCat ^_ _^ disse...

Oh, bagacinho...

Deixaste-me arrepiada! Continuo fascinada pelos teus textos :)

Tenho que voltar a andar de comboio. É um bom sítio para se observar e ser observada... e para novas paixões. São do melhor que nos pode acontecer. Parece que essa pessoa nos ilumina, e nos deixa mais leves. E como eu estou a precisar de me sentir apaixonada, nem que seja só durante uma viagem de comboio...

Ainda bem que adormeceste. Não sentiste o "peso" da separação.

Xi-Coração.

bagaco amarelo disse...

bang, :)

sadlonelycat^_ _^, ando de comboio quase todos os dias... :)

Bibendum disse...

Impecavel!! ALI

bagaco amarelo disse...

bibendum, :)

Beta disse...

Extremamente sedutor!!!! Realmente dá vontade de ser observada, e detalhadamente descrita por alguém, assim como fez com a moça do texto!!! Lindo... Doce... Apaixonante!!!!
Parabéns pelo seu dom! E as mulheres que seu cuidem com todo esse ar de sedução e magia!

bagaco amarelo disse...

beta, obrigado... :)

nuvem disse...

Este texto está tão bonito... :) Gostei muito.

Beijos

bagaco amarelo disse...

nuvem, obrigado. :)

abdzilagu disse...

PT-1
sou um desconhecido... googlei por "apaixonei-me numa semana", encontrei este blogue, tomei a liberdade de partilhar um sentimento.

Apaixonei-me numa semana, pode ser o título do meu "problema".

Apaixonei-me na realidade por uma pessoa em uma semana, uma mulher, uma rapariga, uma pessoa que lhe chamo de “extremamente maravilhosa e exclusiva”, porque é isso que ela é. É especial, aos meus olhos é única!

Ela "caiu na minha vida de pára-quedas", de um dia para o outro...
Enquanto falávamos de coisas banais, fomos também conversando sobre assuntos pessoais, sobre amizade, vida, relações, etc... fomo-nos conhecendo. (não falo das confidências dela porque são pessoais), mas uma das minhas confidências foi a dificuldade, a minha dificuldade que ultimamente encontro em me apaixonar por alguém.
...

abdzilagu disse...

PT - 2
Por vezes pensava que tinha perdido a "capacidade" de me apaixonar, mas também pensava que as mulheres que se aproximaram de mim não despertaram paixão... só sei que não me conseguia apaixonar, de tal forma que pensei em consultar um psicólogo, porque já me custava lidar com isto. Das poucas vezes que aconteceu, nestes 19 meses (após ter acabado uma relação) as pessoas por quem me apaixonei (2), mostraram ser diferentes do que eram na realidade! Fiquei desiludido e abandonei, "fugi". Tenho 31 anos e em 19 meses apaixonei-me 2 vezes.

Agora, descobri que me consigo apaixonar, que me provocaram esse sentimento tão lindo tão indescritível, um sentimento que o ser humano pura e simplesmente venera. Que eu tinha saudades.
A “special one”, aquela MULHER (bem grande), conseguiu despertar em mim algo que eu não conhecia há já algum tempo e que achava não conseguir sentir de novo.
Fê-lo da forma mais simples que se pode imaginar, sendo ela própria. Devo-lhe muito!

Como se pode imaginar com todas as conversas que tivemos conhecemo-nos, conhecemos muito em muito pouco tempo, principalmente do “campo” pessoal. Descobri muito sobre ela e adoro o que descobri o que vou descobrindo e quero descobrir tantas outras coisas.
Acho que cometi o erro de me abrir, de me exprimir e expor os meus sentimentos, as minhas intenções. ESTA MULHER FAZ-ME SENTIR FELIZ, VIVO COM VONTADE DE AMAR!!

abdzilagu disse...

PT - 3
Como me poderia ter fechado a isto?!?! Tive de partilhar o meu sentimento, que é algo que tenho muita dificuldade em fazer, até com amigos. Fui forte, aconteceram poucas vezes, como homem é sempre difícil quebrarmos o lado do sentimento, mas fi-lo. Com toda a força que tive

Uma vez disse-lhe e não esqueço, que tinha chegado à conclusão que deixamos “escapar” pessoas na nossa vida por não termos tido a coragem para ir em frente, falar, dar a conhecer o nosso sentimento!!
Por motivos que só a ela dizem respeito custa-lhe acreditar que eu tenha conseguido apaixonar-me numa só semana. Custa-lhe acreditar que tenho as melhores intenções e que quando não foi valorizada como devia que a vida segue e aparece alguém na vida que o consegue fazer, consegue fazer em apenas uma semana!

Dou-lhe o valor que merece, o valor que tem para mim, porque abalou comigo, abalou com a minha vida, abalou com o meu ser… Se fechar os olhos e pensar em alguém com quem ficar para o resto da vida, se o fizer o primeiro nome que me vem à cabeça é o dela! Um nome que conheço apenas desde Dezembro, consegue vir à minha mente para o resto da vida! Apaixonei-me primeiro pela personalidade dela, pela pessoa bondosa, nítida/transparente, pela necessidade de amar, que mostrou ter.

A parte mais “estranha” é que a conheci pela net, o primeiro contacto que tive até este sábado foi sempre verbal, sábado conheci-a pessoalmente, o doce de pessoa que mostrou ser, ali estava mas desta vez no “aspecto físico”. Tudo o que lhe disse foi sentido e foi antes de a ver pessoalmente.

Desde já desculpo-me por algo que tenha dito que tenha aborrecido os leitores e pela extensão do comentário, tinha mais para dizer mas fico-me por aqui...

Precisava de me ajudar a encontrar casos de “paixões em uma semana”, pelos vistos pelo bagaco amarelo, foi em muito menos tempo.
Basicamente não quero adormecer para quando acordar ela já não estar presente, por ter saído na estação anterior. Quero que a única estação que ela saia, seja na minha!

Afinal sou normal, afinal é normal…

Ela ajudou-me a descobrir algo, agora quero ser eu a ajudá-la!!
(mandei-lhe o link para ver este blogue porque tenho e quero provar que apaixonarmo-nos não tem data tem tempo previsto. Mandei antes de imaginar escrever aqui algo)

Cumprimentos e felicidades para todos!

bagaco amarelo disse...

abdzilagu, obrigado. :)