1.10.2012

depois a Raquel chegou

Depois a Raquel chegou, sentou-se ao meu lado, e perguntou-me se eu estava bem.
Hoje, quando peguei no jornal do café para ler as gordas enquanto esperava pela torrada seca e pelo galão directo do costume, subi-o mais um pouco do que o habitual de forma a que ele me tapasse a cara. Mesmo assim quase todos me perguntaram se eu estava bem. A dona do estabelecimento que passa mais tempo na caixa a contar o dinheiro do que a atender os clientes, a empregada que passa o dia a varrer o estabelecimento com os próprios pés, o homem que vende cautelas da lotaria, a mulher que tem um cabeleireiro mesmo ao lado e vem sempre tomar café de bata vestida.
Não gosto que me perguntem se estou bem quando não estou. Ainda fico pior. A pergunta "estás bem?" só devia surgir quando o inquirido se sente de facto bem, caso contrário fá-lo ter uma noção mais intensa do seu próprio mal-estar. O "sim" não sai por ser mentiroso, o "não" não sai por ser inesperado e doloroso. Abanei os ombros a todos com um mastigado "hum hum".
A torrada lá veio, não tão seca quanto o desejado, e o galão também, não tão quente quanto o desejado. Nunca vem nada como o desejado quando o próprio dia não está a ser o que desejámos. Dobrei o jornal em dois, como se fosse possível fechar ali para sempre as más notícias sobre violência e sobre a crise económica, e dei a primeira dentada numa das tiras de pão protestando com a empregada pelo excesso de manteiga derretida.
Depois a Raquel chegou, sentou-se ao meu lado, e perguntou-me se eu estava bem. E eu respondi que sim, até porque já estava.

18 comentários:

Blue Eyes disse...

Acordaste com a neura foi?! Ou eram saudades da nossa blogger 'substituta' favorita?! :)
Por aqui o sol de Inverno brilha intensamente!!!

Anónimo disse...

"E eu respondi que sim, até porque já estava."
Há pessoas assim.

EJSantos

São Rosas disse...

Maravilha (e já tenho de passar a publicar os teus textos n'a funda São duas vezes por semana... com muito prazer).

bagaco amarelo disse...

blue eyes, põe neura nisso. :)

ejsantos, :)

são rosas, obrigado. para mim é sempre um orgulho afundaSar-me. :)

Olga disse...

Ás vezes não é preciso muito para se ficar bem. O amor faz milagres! :)

bagaco amarelo disse...

olga, pois faz... é o único que os faz. :)

São Rosas disse...

Bagacito, é um orgulho também para mim que a funda Sejas :O)

bagaco amarelo disse...

são rosas, :)

João F disse...

Abençoada Raquel!! É bom ter alguém assim :D

bagaco amarelo disse...

joão f, é o melhor. :)

Fatyly disse...

é meu amigo, de facto funciona como uma bomba, quando acordamos com uma telha, desculpa telhado. Ainda bem que a Raquel chegou:)

bagaco amarelo disse...

fatyly, é isso mesmo. :)

Jéssica P. disse...

AMEI! Os seus textos são bastantes inspiradores. Continue assim (:

bagaco amarelo disse...

jéssica p., obrigado. :)

redonda disse...

Gostei muito deste texto (já me aconteceu algo parecido, felizmente :)
um beijinho

bagaco amarelo disse...

redonda, obrigado. :)

qel disse...

espero ser uma Raquel dessas para o meu R. :)

bagaco amarelo disse...

qel, :)