1.24.2012

coisas que fascinam (138)

vaivém

Tomamos café. A Sónia pergunta-me como estou. Que estou bem, respondo. A Sónia pergunta-me se ainda estou apaixonado. Faço silêncio com os olhos e ela insiste. E tu, ainda estás apaixonado? Abano a cabeça afirmativamente e sem determinação. Sei que ela não quer saber a resposta, que apenas que eu saiba que ela não está. Então e tu? O Amor foi-se? Ela abana os ombros também afirmativamente.
Fico a pensar na minha pergunta. O Amor foi-se? É a assumpção de que o Amor se vem e se vai como se fosse um passageiro na nossa vida. Na vida de duas pessoas, porque o Amor é sempre isso, a vida de duas pessoas. O meu não se foi, mas também eu tenho medo que um dia destes ele se despeça de mim e saia num apeadeiro qualquer deste tempo que é o meu. Sorrio, talvez nervoso, e digo-lhe que a vida é assim.
Dizemos sempre que a vida é assim quando lhe perdemos o rasto; quando, de facto, nos apercebemos que não sabemos como ela é. Dizendo que ela é assim parece que a estamos a agarrar, mas não estamos. Estamos a escapar-lhe. Sabemos apenas como ela devia ser. Mais nada. E agora sorri a Sónia, talvez nervosa, e abana os ombros, desta vez negativamente. A vida não é assim.
Quando um Amor se vai a vida vai-se com ele. Da mesma forma que quando um Amor se vem a vida vem-se com ele. É assim, no sexo e fora dele, com o alívio de que a vida nunca se vai toda. Vai-se uma parte dela, talvez quase toda, talvez nervosa abanando os ombros esmorecidos. A que resta fica, às vezes, num amigo a quem se pergunta se ainda está apaixonado mesmo que não se queira saber a resposta. Quer-se só dizer que já não se está. E tomar um café.

17 comentários:

Bernardo disse...

Mulheres , ai ai :D



Visita:


http://www.facebook.com/pages/Apontamento/148429151889831

Maria disse...

Pois, ela estava a precisar, do teu ombro amigo, quando o amor se vai algumas vezes precisamos disso, noutras apenas de estarmos sós. :(

*Lili* disse...

Ela tem razão , de algum modo consegui entender o teu ponto de vista e o dela , e sinceramente neste momento em que não existe ninguém na minha vida a não ser o amor da minha família, tenho esse receio de pensar como tu, a verdade é que penso e tenho 'medo' (Se calhar é uma palavra muito forte...mas tenho)...e bem arrepiei-me toda com esta "definição" de amor, vida... Tocou-me! :) Gostei muito*

bagaco amarelo disse...

bernardo, :)

maria, exacto. :)

lili, o medo faz parte de tudo o que se gosta e pode perder. :)

AF disse...

"Quando um Amor se vai a vida vai-se com ele. Da mesma forma que quando um Amor se vem a vida vem-se com ele."

A meu ver essa frase diz tanto da realidade dessa situações e às vezes basta mesmo tomar um café com um amigo(a) para nos sentirmos vivos, ainda, com o que resta! :)

bagaco amarelo disse...

af, :)

Malena disse...

Que bom ter-te para lhe dares o ombro! :)

bagaco amarelo disse...

malena, para mim também é bom. :)

Paula disse...

Compreendo-a porque eu própria sou assim. Ainda há pouco tempo passado 3 meses, após um choque com a realidade de que só eu é que gostava (e gostei durante algum tempo) e que não havia hipóteses, me perguntaram se ainda gostava dele. E eu disse que não. Disse que não porque é tudo o que ele e outras têm que saber, porque adoramos armo-nos em duronas que somos as maiores e fazer das tripas coração porque ainda que existia paixão queremos que ela se vá e dizer que gostamos não vai adiantar de nada não nos vão fazer limpeza ao coração.
E esse tipo de coisas são aquelas que se contam àquele amigo àquele com quem contas a tua vida toda e mais alguma e te conhece como mais ninguém. E ainda bem que esses amigos (tipo tu) existem para tomarmos cafés quando no fundo só queremos desabafar.

Eva disse...

"Quando um Amor se vai a vida vai-se com ele. Da mesma forma que quando um Amor se vem a vida vem-se com ele." - Perfeito.
Roubei-te e pus lá no tasco, com a devida referência e link, espero que não te importes.

bagaco amarelo disse...

paula, estamos em sintonia. :)

eva, obrigado. :)

Fatyly disse...

Ao dares o ombro também recebes sempre algo em troca, nem que seja o simples o facto de teres sido bom ouvinte/observador, porque como dizes e bem a vida nunca se vai toda e com esses altos e baixos da vida, todos crescemos e aprendemos.

Que o dia eu, logo hoje que cheguei aos 61 anos e continuo apaixonada pela VIDA!

Mr. disse...

por vezes os teus posts deixam-me aterrado porque me vejo reflectido no que está escrito... é tudo muito verdade e faz nos de facto pensar, mas a tua escrita tendo a maturidade que eu não tenho, faz me perceber algumas verdades... é dificil enfrentarmos os nossos próprios erros. e eu pelos vistos, tenho cometido muitos. mesmo sem saber. tendes aqui um grande blogue!

bagaco amarelo disse...

fatyly, concordo, e acho óptima essa tua energia. :)

mr, obrigado. :)

mary disse...

eu tambem roubei lá para o meu sitio, com os devidos crédito.s porque as vezes ha coisas que simplesmente génios como tu dizem por pessoas simples como eu...

bagaco amarelo disse...

mary, obrigado. :)

Anónimo disse...

sim, é verdade as vezes o amor vai-se

w