9.08.2007

coisas que fascinam (59)

Só havia um som de cada vez. E também um gesto. Ela abriu a carteira e procurou um maço de cigarros. Tive a sensação que o procurou durante mais tempo do que realmente precisava, talvez para justificar a piada que veio depois: que a carteira era a única coisa mais confusa do que a cabeça dela. Acendeu-o e fez uma bola de fumo que dançou no ar, como se fosse o génio da lâmpada. Se a pudesse esfregar talvez se desse um milagre, pensei. No entanto faltou-me a coragem. Pedi-lhe para ir ao frigorífico buscar mais uma cerveja. O milagre, mesmo assim, estava feito: à escala astronómica, onde a Terra tem quatro bilhões e meio de anos, os mamíferos apareceram há setenta milhões e os primeiros hominídeos há quase dez milhões, estar ali a vê-la a fumar um cigarro, naquele preciso momento, já era um pequeno milagre.

5 comentários:

Elisa disse...

Eu acho que tu compreendes as mulheres mais do que pensas ou mais do que aquilo que nos queres fazer acreditar...

bagaco amarelo disse...

elisa, à escala astronómica podemos dizer que a incompreensão entre homens e mulheres, nos dias que correm, é dialéctica. :)

Anónimo disse...

HMmmm.......!
Qui será, será.......
Fica bem amigo e aproveita a vida....
Bjinho

Rita

Fatyly disse...

...e há que saborear esses pequenos "nadas" que todos juntos e valorizados preenchem-nos mais do que imaginamos.
Como te compreendo:):):)

bagaco amarelo disse...

Ritinha, vou tentando... ainda bem que estás aí, e às vezes aqui. :)

fatyly. :)))))