5.24.2015

pensamentos catatónicos (321)

Quando estamos sozinhos dizemos que a vida é uma merda, quando vivemos um Amor dizemos que estamos a viver uma história bonita. É o nosso subconsciente a pensá-lo, na verdade. Todos sabemos que, lá no fundo, a solidão é a realidade e o Amor é a ficção. A grande virtude do Amor é essa: tornar-nos, a todos nós, autores e intérpretes duma história qualquer.
Saímos dessa história e caímos na realidade quando temos uma chatice no Amor. Quando somos maltratados, por exemplo. É por isso que usamos o verbo cair. A realidade é sempre uma queda e só nos tornamos a pôr de pé quando nos apaixonamos de novo.
As pessoas que sofreram muito numa história de Amor, às vezes desistem dele. Passam a considerar a solidão o maior dos bens, mesmo que seja triste, e optam por viver sempre sós. Podem escrever um pequeno conto de vez em quando, mas desistem de escrever grandes romances.
É uma pena que isso aconteça, perdermos a noção de que somos nós que escrevemos a nossa história de Amor. Até porque perdemos também a noção de que é melhor uma intensa verosimilhança do que uma frágil verdade.
Viva o Amor verosímil! Abaixo a realista solidão!




P.S.: Já foram ao site Out Of Love - WORLD FAILURISTS CONGRESS?

3 comentários:

Maria das Palavras disse...

SShhhhh. Isso são aquelas coisas que sabemos e nos recusamos a admitir. Vamos viver o amor como se fosse essa e só essa a realiade. Tudo mais é uma pausa.

Desabafista Profissional e Cusca de Blogues disse...

Tentar, tentamos... mas as nossas histórias, passados fazem sempre com quem tenhamos dúvidas, receios.. mas gostava de pensar assim.. atirar-me de cabeça ..

Bagaço Amarelo disse...

Maria das Palavras, recusamos... e dá tanto jeito recusar... :)

Desabafista Profissional, atira-te sempre de coração. Não de cabeça. :)