6.12.2012

pensamentos catatónicos (274)

Desde que acordei até à hora do almoço tive um dia mais ou menos cinzento. Andei sozinho pela cidade à  procura de nada, a olhar para algumas montras tristes. Acabei por tomar um café sem sabor numa pastelaria da baixa e voltar para casa sem vontade de fazer o almoço. Foi uma manhã sem gosto, pode-se dizer. Não sei porquê.
Gosto de gostar, passe a redundância. Às vezes é como se a vida, infelizmente, não me desse a possibilidade de gostar de coisas suficientes para ser feliz. Pelo menos é isso que sinto e acho que é essa é a grande arma do facebook: poder gostar de um ror de coisas com um simples click. Abro a página inicial e em dez minutos já gostei mais vezes do que no resto da semana. É uma sensação efémera de prazer, mas ainda assim funciona.
Na verdade, aquilo de que o facebook se apercebeu a tempo é de que todos sofremos um défice no verbo gostar. Por um lado, sentimo-nos permanentemente insatisfeitos com as poucas coisas de que realmente gostamos, por outro, não nos chega a quantidade de vezes de que somos gostados. O facebook tornou o verbo gostar uma questão administrativa. Até podemos estar a mentir, mas fica lá carimbado que gostamos de qualquer coisa.
Não estou a dizer mal do facebook. Hoje, por exemplo, já gostei de uma mão cheia de coisas de que já nem lembro quais foram, tudo para compensar a falta de coisas que tive para gostar de manhã. Soube-me bem gostar delas, assim como me soube bem saber que há mais pessoas que ficaram a saber que eu gostei. Gostei disso, pronto. Às vezes é o que se tem. Mais nada.
O meu telemóvel tocou há bocadinho. Vi um número que não conhecia e demorei a atender. Era uma mulher muito simpática a representar uma rede de supermercados, a propósito duma reclamação que lá deixei a semana passada. Explicou-me o que se tinha passado e acabou por me dizer que espera que eu lá volte. Que gosta muito de me ter como cliente, concluiu.
Lá está o cabrão do verbo gostar, pensei. Serve para tudo e mais alguma coisa. Fiz imediatamente uma chamada, a quem de direito, para lhe dizer que a Amo. Senti-me melhor. Amar é um luxo, gostar pode ser um lixo. E eu gosto de Amar.

24 comentários:

Anónimo disse...

Gostei e Partilhei! :) (em boa linguagem facebookiana)

Etelvina

Anónimo disse...

Gostei e Partilhei! :) (em boa linguagem facebookiana)

Etelvina

Bagaço Amarelo disse...

etelvina, obrigado. :)

pontodeluz disse...

só gostar... apodrece-nos.

Fatyly disse...

Do Facebook não sei nada porque não ando lá. Por aqui e por outros que ando e até na vida real jamais aplico o verbo gostar quando não gosto, só para bem parecer? era o que faltava!

"Amar é de facto um luxo" e como sabe bem dizer a alguém que se ama, assim como ouvirmos que somos amados...e ainda há pouco disse a uma das minhas filhas que a amo muito...e que irá vencer!

Mas calma lá, nem 8 nem 80...porque jamais em tempo algum "gostar é um lixo"!

Joaquim Mota disse...

muito bom..!!

Bagaço Amarelo disse...

pontodeluz, :)

fatyly, então és tu que não tens FB... lol. :)

joaquim mota, obrigado. :)

Briseis disse...

Oooohh... que conclusão grandiosa mas tão triste... as coisas que se gostam desfrutam-se de forma despreocupada e descomprometida. É importante haver na vida espaço para os dois, para o gostar e para o amar.

memyselfandi disse...

eu também! ;)

PR disse...

No inicio do texto pensei em comentar o que tu no fim escreeves, sabes acho que nos tugas Gostamos muito e AMAMOS POUCO. Gostar eu gosto de uma peça de roupa, uma música e de certas pessoas que me são mais ou menos importantes. AMAR, eu amo todos aqueles com que me preocupo todos os dias, incluindo o meu pássaro. Se calhar os ingleses não falam assim tão mal...

Bagaço Amarelo disse...

briseis, espaço vai-se tendo... preencher esse espaço é que é outra questão. :)

memyselfandi, :)

pr, são os franceses que falam mal... :)

Mi disse...

GOSTO! :)

Mam'Zelle Moustache disse...

Gostei muito. Ups... digo amei o teu texto, muito mesmo ;)

Bagaço Amarelo disse...

mi, lol. bem visto. :)

mam'zelle moustache, não sofras, por mim até podias fazer um like. :)

Olga disse...

Então cá vai a minha sentença: amo o teu blog e a maneira como escreves e não posso passar um dia sem passar por cá. :)

Bagaço Amarelo disse...

olga, obrigado. não imaginas o que isso é importante para mim. :)

SM disse...

"Amar é um luxo, gostar pode ser um lixo. E eu gosto de Amar."
Amei esta tua frase... Já me senti um "lixo" quando disse a alguém "amo-te" e essa pessoa respondeu - "gosto de ti".

Anónimo disse...

Gostei.

Fatyly disse...

Bagaço

fatyly, então és tu que não tens FB... lol. :)

esta não percebi!

seria obrigada a ter uma coisa que só oiço dizer mal e que isto e mais aquilo e é tudo amiguinho do peito tal como o governo que não me conhece de lado nenhum e só faz merda sobre tudo a tinha direito incluindo o recebo depois de muitos anos de trabalho?

Traduzindo: Face-cara; book - livro

alguém tem cara de livro? sinceramente ...olha pá explica lá isso por miúdos:)

por FB pode significar muitas outras coisas :):):)

A Vida da Cinderela de Saltos Altos disse...

O facebook veio banalizar ainda mais a palavra gostar...
Mas concordo quando dizes que amar é um luxo...

Blocodecotas disse...

Amar não é um luxo é uma necessidade, um luxo é sim ser amado...pelo que somos apenas, não pelo que podemos dar!

Bagaço Amarelo disse...

sm, é por aí... :)

anónimo, obrigado. :)

fatyly, lol... não deixas de ter uma certa lógica :)

a vida da cinderela de saltos altos, é a conclusão a que cheguei nesta vida. :)

blocodenotas, há sempre vários primas para analisar uma ideia. :)

Show me the sea disse...

Este post faz em muito reflectir, essencialmente em «gostar».
É quase escusado dizer o quanto gostei do ler, é um tema que apesar de banal em muito tem de interessante, principalmente com esta redundância do facebook.
Faço também das palavras ''um luxo é ser amado'', minhas palavras!
Boa noite!

Bagaço Amarelo disse...

show me the sea, obrigado. :)