9.22.2010

respostas a perguntas inexistentes (106)

Lembro-me com alguma nostalgia do tempo em que me sentava em qualquer lado para namorar. Podia ser na beira dum passeio, num muro qualquer ou até no chão arenoso do liceu. Agora não o faço a não ser no conforto do sofá da sala e, vá lá, uma vez por outra na areia da praia ou numa relva que por acaso se encontre fofa e sem detritos caninos. O que interessa é que dantes estar perto dela era o mais importante, agora o mais importante é estar perto dela e em condições de higiene e conforto mínimas. Não é que esteja mal, mas continuo a acreditar que a adolescência é uma fase única da vida.

31 comentários:

N's disse...

A idade trás tudo... O bom e o mau, mas ficam as felizes lembranças que agora também me fez recordar.
Qualquer lugar era perfeito, não importando onde, o mais importante estava lá, nós e o nosso amor...
Hoje não troco o conforto do lar por nada, mas este post fez lembrar com saudade a feliz juventude que teima em afastar-se

Poetic GIRL disse...

Nessas idades é tudo mais espontâneo, sem as sombras que a própria sociedade nos vai impondo quer seja no comportamento, quer seja da forma que devemos estar na vida... também sinto saudades desse tempo! bjs

bagaco amarelo disse...

n's, :)

poetic girl, :)

Louise disse...

Pressupondo que dizias que a adolescência é uma fase única da vida, querendo dizer que para ti foi a melhor fase, não concordo contigo.
É verdade que é uma fase única sem dúvida, mas acredito que a maturidade tráz um novo sabor à vida. E esse sabor pode ser mais doce ou mais amargo dependendo de cada pessoa, mas se soubermos aceitar a mudança será certamente mais doce... bem mais doce.

A um par de anos dos 30, começo seriamente a acreditar que este é o meu auge. Ao invés de entrar em depressão como tantas outras pessoas.

Fatyly disse...

é e será sempre e essas nostalgias que por vezes surgem é sinal que tiveste uma adolescência saudável, bem ao contrário de muitos e muitas. Mas todas as idades ou fases são boas.

Mas além da areia da praia, etc, etc...ai as costas dos bancos de jardim...é que o gajo de tão alto que era só se sentava ali:)))))
e o meu grupo num banco? era o máximo...mas mal viamos a polícia ou os pidescos punhamo-nos em circulação...porque duas pessoas a falarem...era uma "rebelião"!

O que interessa é que não estejas mal!

Crises da Idade disse...

Selo para ti no meu blog :)

mariana disse...

eu sinto saudades do tempo em que o pouco era tudo

Anónimo disse...

Muito bom Blog, mesmo...bastante interessante; chego a divertir-me ao lê-lo...os meus parabéns!!
Gosto essencialmente da descrição das conversas...verdadeiras ou falsas, pouco importa, mas com bastante realismo!!
Para terminar queria deixar esta frase "no ar":
"As mulheres existem para que as amemos, e não para que as compreendamos."(Oscar Wild)

A.C. (Mulher!)

Anónimo disse...

É mesmo uma fase única... e quando os "adultos" diziam que era a melhor época da vida, para eu a aproveitar bem, eu achava que estavam doidos!! Como é que podia ser bom levantar cedo para ir às aulas, ter de estudar, não poder sair à noite quando queria, os escudos contados (se bem que agora os euros também estão)...
Que saudades da despreocupação, da entrega total a tudo o que fosse interessante e, claro, das paixões loucas vividas como se não houvesse mais ninguém no mundo!!
Agora vou espreitar o álbum de fotografias e recordar bons velhos tempos... Felizmente aproveitei-os bem :)

The Coiso disse...

Sim, isso é verdade. Com a idade a avançar o conforto começa a entrar na equação e a ganhar importância.

Lisa Pretender disse...

Vai chegar a hora em que na velhice da existência tudo o que rodeia um ser já não importa.
Seja pela artrose ou não, só os velhos dão as mãos em qualquer lado sem nenhum preconceito, mesmo que com pudor.

Anónimo disse...

Refinamos. Na adolescência qualquer hambúrguer nos serve, na idade adulta apreciamos o peixe grelhado.

Sofia disse...

Subscrevo...essa despreocupação, o sentar no chão de pernas cruzadas é algo que hoje, enfim, não existe...quase!
Beijinhos,Sofia

bagaco amarelo disse...

louise, não, não estou a dizer que foi a melhor. a melhor é a actual. :)

fatyly, ena... nunca passei por essa dos pidescos. :)

crises da idade, obrigado. :)

mariana, dito só assim parece triste. mas eu percebo-te. :)

ac, obrigado. :)

anónimo, ainda bem. :)

the coiso, :)

lisa, :)

anónimo, peixe grelhado sempre gostei, lol. :)

sofia, beijinhos. :)

Anónimo disse...

Meu querido bagaco,
há uns bem 5m que estou aqui no teu cantinho a deliciar me com um frango assado piri piri,dedos a escorrer molho picante e a relembrar a minha juventude...ui, sabe tão bem que até vou lamber os dedos...;)
Estou num prédio em construcão (passado) o bom é que estou com a mesma pessoa ( presente) soube me bem ;)
Agora vou comer um arroz doce de sobremesa e pensar em campos de basquetball :)
Beijo x
P.S.

lua disse...

tiraste essa do meu pensamento...

Lene disse...

Nessa época agente nem fazia esforço algum e éramos tão felizes. Um dia foi...


Construindo meu blog e vagando por aí, encontrei o seu. Fui ficando.


Abs
Lene

Nandita disse...

Quero pelo menos continuar a poder sentar-me em qualquer lado, seja para namorar, seja para partilhar um copo ou olhar melhor o mar ;) ainda que a idade me vá fazendo apreciar o enroscar no sofá, o namorar dentro de portas... acho que nos podemos sempre manter fieis ao adolescente dentro de nós. Haja, pelo menos, quem amar...

mcnulty disse...

epah.
estou a fazer um esforço enorme para me convencer a mim mesmo que não estou perto dos 30.
mas tu não vens ajudar nada...

bagaco amarelo disse...

anónima, bom arroz doce. :)

lua, :)

lene, é isso mesmo. é que era sem esforço. :)

nandita, :)

mcnulty, lol. eu estou perto dos quarenta. :)

Giovana disse...

Concordo plenamente ^^

bagaco amarelo disse...

giovana, :)

Ana disse...

nossa, esse post me lembrou demais quando a um tempo atras eu tinha esse tipo de amor.
e tinha o não conforto, mas pra mim aquela foi a melhor época.
agora tenho conforto, mas acho que não tenho amor.

Anónimo disse...

Não quero desmentir... mas não é só a adolescência... eu já vou mais perto dos 30 do que dos 20, ele já passou essa etapa, e parecemos putos. As condicionantes obrigam a que assim seja. Quando as fintas nos obrigam a agarrar todos os segundos como se fossem os últimos, não se pode pensar... não há tempo para pensar.
:) Mas sim... agora que penso nisso, acho que voltei a ter 15 anos.

pablohoney disse...

"relvado sem detritos caninos" mais que as hormonas a 100 Km/h, é essa lembrança que me lembra que a juventude já lá vai...

L. K. disse...

A adolescência foi realmente um período único por todas as descobertas realizadas, todas as paixões e por uma vivência no limite, ou seja entregarmo-nos de corpo e alma a tudo o que faziamos e por acharmos que vamos viver assim para sempre, que nunca vamos ser iguais aos "adultos" ... claro que a adolescência é um período único e irrepetivel: a maioria das coisas que fizemos só tem sentido naquela altura de vida em que sentimos que somos os 1ºs a fazer "aquelas coisas" ... adorei a minha e não tenho saudades pois descobri que cada decada que atravessamos também tem as suas singularidades e devemos estar atentos às mesmas para que não nos "passem ao lado" apenas porque "ficamos lá atrás quando era tudo simples e bom" (?!?)

bagaco amarelo disse...

ana, o amor é um gajo estranho. às vezes está, outras vezes não... :)

anónimo, pois... eu faço 40 para o ano... sei o que é isso. :)

pablohoney, por acaso tens razão... dantes os relvados eram limpos... :)

l.k., tens razão, sim... eu também não voltava lá. gostava só de ir buscar esta característica de estar bem em todo o lado. :)

Anónimo disse...

O importante em qualquer fase da vida é fazer valer a máxima que : o pouco ao lado de quem amamos é tudo e o tudo longe da pessoa amada é nada .
Todas as idades da vida são maravilhosas quando estamos apaixonados . E a paixão não tem limite de idade .
Viva intensamente sua paixão . "Seja na rua , na chuva ,na fazenda ou numa casinha de sapê... " ( trecho de uma música )
Abs :)
Julia

bagaco amarelo disse...

julia, obrigado. :)

Pintas disse...

Adorei estas palavras. Roubei para o meu blog. Beijoca

bagaco amarelo disse...

pintas, obrigado. :)