2.01.2016

coisas que fascinam (203)

Mãos ao ar, isto é uma paixão!

Acho que ninguém sabe como é que nasce um Amor. Aliás, também ninguém sabe como é que ele morre. Apenas nos apercebemos que ele já nasceu ou que ele já morreu. É por isso que o Amor que se promete eterno é sempre uma mentira. A vida precisa tanto da morte como a morte precisa da vida.
É claro que se pode Amar alguém até ao fim da vida. Mesmo que o Amor não seja eterno, a vida também não o é. Neste caso basta que a vida de duas pessoas dure menos que o seu Amor.
É também por isso que me cansa que alguém justifique o seu Amor com uma enxurrada de adjectivos pomposos. Na verdade, ninguém opta por Amar ninguém ou, melhor ainda, se há quem o faça é porque não sabe Amar.
A questão central é que só nos apaixonamos realmente quando somos assaltados. Alguém que se cruza connosco e nos rouba a paz de espírito com uma arma poderosa como um olhar, um gesto, uma voz ou uma palavra. Mãos ao ar, isto é uma paixão!
É claro que, como em tudo, há pessoas que são assaltadas com mais facilidade e outras com menos. Depende, essencialmente, das más ou boas companhias com que andamos e dos locais que frequentamos.

6 comentários:

André Ferreira disse...

muito bom!

Bagaço Amarelo disse...

André ferreira, obrigado. :)

L. das horas disse...

Muito bom mesmo! Gosto do que escreves :)

Bagaço Amarelo disse...

L. das horas, obrigado. :)

redonda disse...

Hum, acho que pode ser um assalto e pode não ser, porque pode ser tão diferente quanto o número de pessoas que existem, e será eterno enquanto dure, para não me repetir de novo quanto a acreditar que há alguns que duram mesmo para sempre, ainda que o sempre seja só tempo da nossa vida.

Bagaço Amarelo disse...

redonda, :)