9.09.2015

coisas que fascinam (188)

Pois é!

Quando o Amor nos corre mal, o mundo passa a ser uma tortura constante. O motivo é óbvio: quando o Amor nos corre bem o mundo é uma partilha e, todo ele, vale o dobro por isso mesmo. Ao não partilharmos o mundo, ele não vale nada a não ser dor.
Apaixonados, tiramos todo o prazer em partilhar cada pormenor, seja ele o manequim na montra dum pronto-a-vestir, uma música que passa na rádio ou uma sobremesa barata num restaurante ainda mais barato.
De repente, tudo aquilo que experimentamos, mesmo o que é bom, passa a sofrer do efeito bumerangue. O que nos dá prazer é lançado ao ar e ninguém agarra. No meu caso, volta para mim e atinge-me no estômago com força.
Até chego a pensar que o Amor não serve para muito mais do que para partilhar o mundo, mais até do que para uma boa queca ou poder entrar numa discoteca foleira de fim de semana. Serve para olharmos para uma coisa feia qualquer e dizermos "olha que feio!" e o outro responder "pois é".  Assim, até o que é feio se partilha e sabe bem.
Pois é.

5 comentários:

Maria Eu disse...

Ai, homem, que bem escreves!!!

Beijinhos, Bagacinho. :)

Maria Varredora Pau de Vassoura disse...

Desde que haja disposição.. boa disposição.
O amor serve para muita coisa. :)

Bagaço Amarelo disse...

Maria Eu, obrigado. :)

Maria Varredora Pau de Vassoura, :)

redonda disse...

Gostei da imagem e da ideia, pareceu-me muito certa.
um beijinho
Gábi

Bagaço Amarelo disse...

redonda, obrigado. beijinho. :)